quarta-feira, 30 de novembro de 2016

MANCHAS ESCURAS - Em poucos dias de aplicação, elimine-as com este creme caseiro!

Muitas pessoas enfrentam o problema de ter axilas, joelhos, pescoço ou cotovelos escuros.

Essas pessoas, em sua maioria, ficam com a autoestima abalada e desenvolvem certos comportamentos característicos de quem tem algo a esconder, como evitar levantar as mãos e andar com roupas que cobrem os joelhos.

As causas para o escurecimento das axilas são variadas, como uso de barbeador, ventilação insuficiente, excesso de transpiração, acúmulo de células mortas e uso de desodorantes e antiperspirantes à base de álcool.

A pele da região das axilas, pescoço, cotovelos e joelhos é geralmente mais grossa e mais seca, já que nela existem poucas glândulas sebáceas, responsáveis pela produção de gordura/oleosidade.
Por isso, se você não cuidar da pele dessas partes do corpo, ela terminará ficando muito mais escura do que a de outras partes do seu corpo.
Mas pode ficar despreocupado(a).

Estamos trazendo agora um presente para você: um guia com os melhores remédios naturais para o escurecimento da pele.

1. Batata ou pepino

Corte uma fatia fina de batata e esfregue-a em suas axilas.

Você também pode amassar a batata e coloque seu sumo sobre as manchas escuras.
Seja a primeira ou segunda, você precisa deixar secar por 15-20 minutos e depois lavar com água morna.

Aconselha-se fazer duas vezes diariamente.
Com a sequência do tratamento, haverá o clareamento da pele.
Em vez de batata, você pode usar pepino.

2. Bicarbonato de sódio

Combine água e bicarbonato de sódio, em partes iguais, a fim de fazer uma pasta.
Aplique depois essa pasta na região escurecida durante 15 a 20 minutos, espere secar e lave para removê-la.

Repita este método de 3 a 5 vezes por semana.

3. Limão

Esfregue um pedaço de limão na sua pele durante alguns minutos.

Deixe agir por 10 minutos e depois lave muito bem para que não fique nenhum resíduo da fruta.


Use um hidatante depois na região em que houve aplicação de limão.
Faça este tratamento sempre à noite e evite a exposição ao sol.

4. Vinagre

Misture farinha de trigo e vinagre para obter uma pasta grossa.
Use durante o banho e deixe a pasta secar de 10 a 15 minutos.
Lave-a com água morna.
Faça este tratamento três vezes por semana.

5. Leite

Misture 1 colher (sopa) de farinha de trigo, 2 colheres (sopa) de leite integral e 1 colher (chá) de iogurte natural.

Esta mistura vai virar uma massa turva.

Coloque a massa em suas axilas e deixe-a agir por 15 minutos antes de enxaguar com água fria.
Repita a aplicação de 3 a 5 vezes por semana.

IMPORTANTE!

Faça um teste antes de iniciar qualquer um desses tratamentos, para ver se ocorre alguma reação alérgica (o que é muito raro).

Aplique uma pequena quantidade em uma das axilas, aguarde alguns minutos e veja se haverá alguma manifestação de alergia.

Se não ocorrer, o tratamento está liberado.

OUTRA INFORMAÇÃO IMPORTANTE!

Axilas escuras podem ser um sinal de uma doença rara conhecida como acantose nigricans, que geralmente está relacionada com diabetes, obesidade, disfunções hormonais, uso de certos medicamentos e câncer.

É por isso que é recomendado visitar o seu médico se o escurecimento persistir para descartar a hipótese de um problema mais sério.

Esta é uma publicação de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Segunda aplicação do Enem será realizada em 31 municípios baianos

Segunda aplicação do Enem 2016 acontece no sábado e domingo (Foto: G1)

A segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016, que será realizada no sábado (3) e domingo (4) por conta das ocupações de estudantes em alguns locais de prova, acontecerá em 31 dos 417 municípios baianos, segundo informações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A Bahia é o terceiro estado com maior número de locais de prova, totalizando 63 pontos, atrás de Minas Gerais (83) e Paraná (80).

Conforme o Inep, a Bahia possui 37.927 inscritos. A cidade de Feira de Santana, segunda maior do estado, é a que possui mais inscritos (5.212) que vão participar da segunda aplicação do exame.

Depois vem Vitória da Conquista, com 4.152. Salvadoraparece em seguida com 3.811 candidatos. Além dessas três principais cidades baianas, as provas serão realizadas em municípios como Valença, Teixeira de Freitas, Itabuna, Juazeiro e Barreiras.

No país, ainda segundo dados do Inep, são 277.624 inscritos que farão a segunda aplicação da prova. Do total, 147.373 (53,08%) já acessaram o cartão de confirmação.

Confira a tabela com os nomes das cidades em ordem alfabética:

Município Quantidade dos locais de prova Quantidade de inscritos

ALAGOINHAS
1 844
AMARGOSA 1 1.016
BARRA 1 248
BARREIRAS 2 1.152
BOM JESUS DA LAPA 1 180
CACHOEIRA 1 800
CAETITÉ 3 472
CAMAÇARI 1 416
CATU 2 567
CONCEIÇÃO DO COITÉ 2 442
CRUZ DAS ALMAS 5 1.933
FEIRA DE SANTANA 3 5.212
GUANAMBI 1 288
ILHÉUS 5 3.019
ITABERABA 2 510
ITABUNA 3 2.744
ITANHÉM 1 212
ITAPETINGA 2 1.100
JACOBINA 1 288
JEQUIÉ 2 1.351
JUAZEIRO 4 1.596
PAULO AFONSO 2 652
PORTO SEGURO 1 560
SALVADOR 3 3.811
SANTA MARIA DA VITÓRIA 1 208
SANTO ANTÔNIO DE JESUS 1 440
SERRINHA 1 552
SIMÕES FILHO 1 512
TEIXEIRA DE FREITAS 1 1.100
VALENÇA 3 1.550
VITÓRIA DA CONQUISTA 5 4.152

Saiba como votou cada deputado sobre a medida que pune juízes

Deputados aprovaram na madrugada desta quarta-feira uma série de medidas que desfiguram o pacote de medidas contra a corrupção proposto pelo Ministério Público Federal





















Deputados aprovaram na madrugada desta quarta-feira uma série de medidas que desfiguram o pacote de medidas contra a corrupção proposto pelo Ministério Público Federal (Divulgação/Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Nesta madrugada, deputados incluíram no pacote de medidas contra a corrupção proposto pelo Ministério Público uma emenda que propõe punir o abuso de autoridade praticado por juízes e membros do Ministério Público (MP), sob o argumento de que não se pode admitir “privilégios a ninguém”.
Em votação nominal, a emenda ao pacote anticorrupção foi aprovada na Câmara por 313 votos a favor, 132 contrários e cinco abstenções.
Confira, a seguir, como votou cada um dos 513 deputados:

Sim

Alberto Fraga DEM-DF
Alexandre Leite DEM-SP
Claudio Cajado DEM-BA
Efraim Filho DEM-PB
Elmar Nascimento DEM-BA
Dr. Jorge Silva (PHS-ES)
Felipe Maia DEM-RN
Francisco Floriano DEM-RJ
Givaldo Carimbão (PHS-AL)
Hélio Leite DEM-PA
Jorge Tadeu Mudalen DEM-SP
José Carlos Aleluia DEM-BA
Juscelino Filho DEM-MA
Marcelo Aguiar DEM-SP
Marcelo Matos (PHS-RJ)
Misael Varella DEM-MG
Missionário José Olimpio DEM-SP
Paulo Azi DEM-BA
Professora Dorinha Seabra Rezende DEM-TO
Sóstenes Cavalcante DEM-RJ
Afonso Motta PDT-RS
André Figueiredo PDT-CE
Assis do Couto PDT-PR
Carlos Eduardo Cadoca PDT-PE
Dagoberto PDT-MS
Félix Mendonça Júnior PDT-BA
Flávia Morais PDT-GO
Hissa Abrahão PDT-AM
Leônidas Cristino PDT-CE
Mário Heringer PDT-MG
Pompeo de Mattos PDT-RS
Ronaldo Lessa PDT-AL
Sergio Vidigal PDT-ES
Weverton Rocha PDT-MA
Erivelton Santana PEN-BA
Junior Marreca PEN-MA
Augusto Coutinho SD-PE
Aureo SD-RJ
Benjamin Maranhão SD-PB
Genecias Noronha SD-CE
Laudivio Carvalho SD-MG
Lucas Vergilio SD-GO
Paulo Pereira da Silva SD-SP
Zé Silva SD-MG
Uldurico Junior PV-BA
Ademir Camilo PTN-MG
Aluisio Mendes PTN-MA
Antônio Jácome PTN-RN
Bacelar PTN-BA
Carlos Henrique Gaguim PTN-TO
Dr. Sinval Malheiros PTN-SP
Francisco Chapadinha PTN-PA
Jozi Araújo PTN-AP
Luiz Carlos Ramos PTN-RJ
Ricardo Teobaldo PTN-PE
Luis Tibé PTdoB-MG
Rosinha da Adefal PTdoB-AL
Silvio Costa PTdoB-PE
Adalberto Cavalcanti PTB-PE
Arnon Bezerra PTB-CE
Benito Gama PTB-BA
Cristiane Brasil PTB-RJ
Deley PTB-RJ
Jorge Côrte Real PTB-PE
Jovair Arantes PTB-GO
Nilton Capixaba PTB-RO
Pedro Fernandes PTB-MA
Sérgio Moraes PTB-RS
Wilson Filho PTB-PB
Zeca Cavalcanti PTB-PE
Alberto Filho PMDB-MA
Alceu Moreira PMDB-RS
Altineu Côrtes PMDB-RJ
André Amaral PMDB-PB
Aníbal Gomes PMDB-CE
Baleia Rossi PMDB-SP
Carlos Bezerra PMDB-MT
Carlos Marun PMDB-MS
Celso Jacob PMDB-RJ
Celso Pansera PMDB-RJ
Cícero Almeida PMDB-AL
Daniel Vilela PMDB-GO
Darcísio Perondi PMDB-RS
Elcione Barbalho PMDB-PA
Fábio RamalhoPMDB-MG
Fabio Reis PMDB-SE
Flaviano Melo PMDB-AC
Jarbas Vasconcelos PMDB-PE
Jéssica Sales PMDB-AC
João Arruda PMDB-PR
João Marcelo Souza PMDB-MA
Jones Martins PMDB-RS
José Priante PMDB-PA
Kaio Maniçoba PMDB-PE
Leonardo Quintão PMDB-MG
Lucio Mosquini PMDB-RO
Lucio Vieira Lima PMDB-BA
Manoel Junior PMDB-PB
Marcos Rotta PMDB-AM
Marinha Raupp PMDB-RO
Mauro Lopes PMDB-MG
Mauro Mariani PMDB-SC
Mauro Pereira PMDB-RS
Moses Rodrigues PMDB-CE
Newton Cardoso Jr PMDB-MG
Osmar Serraglio PMDB-PR
Pedro Paulo PMDB-RJ
Rodrigo Pacheco PMDB-MG
Rogério Peninha Mendonça PMDB-SC
Ronaldo Benedet PMDB-SC
Saraiva Felipe PMDB-MG
Soraya Santos PMDB-RJ
Valdir Colatto PMDB-SC
Valtenir Pereira PMDB-MT
Vitor Valim PMDB-CE
Walter Alves PMDB-RN
Átila Lins PSD-AM
Diego Andrade PSD-MG
Domingos Neto PSD-CE
Edmar Arruda PSD-PR
Evandro Roman PSD-PR
Expedito Netto PSD-RO
Fábio Mitidieri PSD-SE
Fernando Torres PSD-BA
Herculano Passos PSD-SP
Heuler Cruvinel PSD-GO
Indio da Costa PSD-RJ
Irajá Abreu PSD-TO
Jefferson Campos PSD-SP
José Nunes PSD-BA
Júlio Cesar PSD-PI
Marcos Montes PSD-MG
Marcos Reategui PSD-AP
Paulo Magalhães PSD-BA
Raquel Muniz PSD-MG
Tampinha PSD-MT
rolde de Oliveira PSC-RJ
Gilberto Nascimento PSC-SP
Irmão Lazaro PSC-BA
Júlia Marinho PSC-PA
Takayama PSC-PR
Adilton Sachetti PSB-MT
Átila Lira PSB-PI
César Messias PSB-AC
Creuza Pereira PSB-PE
Danilo Cabral PSB-PE
Danilo Forte PSB-CE
Heráclito Fortes PSB-PI
Hugo Leal PSB-RJ
João Fernando Coutinho PSB-PE
José Reinaldo PSB-MA
Keiko Ota PSB-SP
Marinaldo Rosendo PSB-PE
Rafael Motta PSB-RN
Rodrigo Martins PSB-PI
Tadeu Alencar PSB-PE
Tereza Cristina PSB-MS
Alan Rick PRB-AC
Antonio Bulhões PRB-SP
Beto Mansur PRB-SP
Carlos Gomes PRB-RS
César Halum PRB-TO
Cleber Verde PRB-MA
Jhonatan de Jesus PRB-RR
João Campos PRB-GO
Jony Marcos PRB-SE
Lindomar Garçon PRB-RO
Márcio Marinho PRB-BA
Ricardo Bentinho PRB-SP
Roberto Alves PRB-SP
Roberto Sales PRB-RJ
Ronaldo Martins PRB-CE
Rosangela Gomes PRB-RJ
Silas Câmara PRB-AM
Tia Eron PRB-BA
Vinicius Carvalho PRB-SP
Adelson Barreto PR-SE
Aelton Freitas PR-MG
Alexandre Valle PR-RJ
Alfredo Nascimento PR-AM
Cabo Sabino PR-CE
Capitão Augusto PR-SP
Clarissa Garotinho PR-RJ
Delegado Edson Moreira PR-MG
Giacobo PR-PR
Giovani Cherini PR-RS
Gorete Pereira PR-CE
João Carlos Bacelar PR-BA
Jorginho Mello PR-SC
José Carlos Araújo PR-BA
Laerte Bessa PR-DF
Lúcio Vale PR-PA
Magda Mofatto PR-GO
Marcelo Álvaro Antônio PR-MG
Marcio Alvino PR-SP
Miguel Lombardi PR-SP
Milton Monti PR-SP
Paulo Feijó PR-RJ
Paulo Freire PR-SP
Remídio Monai PR-RR
Silas Freire PR-PI
Tiririca PR-SP
Vicentinho Júnior PR-TO
Wellington Roberto PR-PB
Zenaide Maia PR-RN
Aguinaldo Ribeiro PP-PB
André Abdon PP-AP
André Fufuca PP-MA
Arthur Lira PP-AL
Beto Rosado PP-RN
Beto Salame PP-PA
Cacá Leão PP-BA
Dilceu Sperafico PP-PR
Dimas Fabiano PP-MG
Eduardo da Fonte PP-PE
Ezequiel Fonseca PP-MT
Fausto Pinato PP-SP
Fernando Monteiro PP-PE
Franklin Lima PP-MG
Hiran Gonçalves PP-RR
Iracema Portella PP-PI
Julio Lopes PP-RJ
Lázaro Botelho PP-TO
Luis Carlos Heinze PP-RS
Luiz Fernando Faria PP-MG
Macedo PP-CE
Maia Filho PP-PI
Mário Negromonte Jr. PP-BA
Nelson Meurer PP-PR
Odelmo Leão PP-MG
Renato Molling PP-RS
Renzo Braz PP-MG
Roberto Balestra PP-GO
Roberto Britto PP-BA
Ronaldo Carletto PP-BA
Rôney Nemer PP-DF
Simão Sessim PP-RJ
Toninho Pinheiro PP-MG
Waldir Maranhão PP-MA
Bonifácio de Andrada PSDB-MG
Caio Narcio PSDB-MG
Geraldo Resende PSDB-MS
Giuseppe Vecci PSDB-GO
Marco Tebaldi PSDB-SC
Nelson Marchezan Junior PSDB-RS
Nilson Pinto PSDB-PA
Raimundo Gomes de Matos PSDB-CE
Rodrigo de Castro PSDB-MG
Rogério Marinho PSDB-RN
Alfredo Kaefer PSL-PR
Dâmina Pereira PSL-MG
Adelmo Carneiro Leão PT-MG
Afonso Florence PT-BA
Ana Perugini PT-SP
Angelim PT-AC
Arlindo Chinaglia PT-SP
Assis Carvalho PT-PI
Benedita da Silva PT-RJ
Beto Faro PT-PA
Bohn Gass PT-RS
Caetano PT-BA
Carlos Zarattini PT-SP
Chico D Angelo PT-RJ
Enio Verri PT-PR
Erika Kokay PT-DF
Fabiano Horta PT-RJ
Gabriel Guimarães PT-MG
Givaldo Vieira PT-ES
Helder Salomão PT-ES
Henrique Fontana PT-RS
João Daniel PT-SE
Jorge Solla PT-BA
José Airton Cirilo PT-CE
José Guimarães PT-CE
José Mentor PT-SP
Leo de Brito PT-AC
Leonardo Monteiro PT-MG
Luiz Couto PT-PB
Luiz Sérgio PT-RJ
Luizianne Lins PT-CE
Marco Maia PT-RS
Marcon PT-RS
Margarida Salomão PT-MG
Maria do Rosário PT-RS
Moema Gramacho PT-BA
Nelson Pellegrino PT-BA
Nilto Tatto PT-SP
Padre João PT-MG
Patrus Ananias PT-MG
Paulão PT-AL
Paulo Pimenta PT-RS
Paulo Teixeira PT-SP
Pedro Uczai PT-SC
Pepe Vargas PT-RS
Reginaldo Lopes PT-MG
Ságuas Moraes PT-MT
Valmir Assunção PT-BA
Valmir Prascidelli PT-SP
Vander Loubet PT-MS
Vicente Candido PT-SP
Vicentinho PT-SP
Waldenor Pereira PT-BA
Zé Geraldo PT-PA
Zeca Dirceu PT-PR
Zeca do Pt PT-MS
Arthur Oliveira Maia PPS-BA
Alice Portugal PCdoB-BA
Angela Albino PCdoB-SC
Chico Lopes PCdoB-CE
Daniel Almeida PCdoB-BA
Jandira Feghali PCdoB-RJ
Moisés Diniz PCdoB-AC
Orlando Silva PCdoB-SP

Não

Abel Mesquita Jr. DEM-RR
Carlos Andrade (PHS-RR)
Carlos Melles DEM-MG
Eli Corrêa Filho DEM-SP
Mandetta DEM-MS
Marcos Rogério DEM-RO
Onyx Lorenzoni DEM-RS
Pauderney Avelino DEM-AM
Subtenente Gonzaga PDT-MG
Walney Rocha PEN-RJ
Alessandro Molon Rede-RJ
Aliel Machado Rede-PR
João Derly Rede-RS
Marcelo Aro (PHS-MG)
Miro Teixeira Rede-RJ
Augusto Carvalho SD-DF
Carlos Manato SD-ES
Fernando Francischini SD-PR
Major Olimpio SD-SP
Evair Vieira de Melo PV-ES
Evandro Gussi PV-SP
Leandre PV-PR
Roberto de Lucena PV-SP
Alexandre Baldy PTN-GO
Ezequiel TeixeiraPTN-RJ
Renata Abreu PTN-SP
Cabo Daciolo PTdoB-RJ
Alex Canziani PTB-PR
Arnaldo Faria de Sá PTB-SP
Josué Bengtson PTB-PA
Luiz Carlos Busato PTB-RS
Paes Landim PTB-PI
Alexandre Serfiotis PMDB-RJ
Celso Maldaner PMDB-SC
Edinho Araújo PMDB-SP
Edinho Bez PMDB-SC
Hildo Rocha PMDB-MA
José Fogaça PMDB-RS
Lelo Coimbra PMDB-ES
Pedro Chaves PMDB-GO
Sergio Zveiter PMDB-RJ
Weliton Prado PMB-MG
André de Paula PSD-PE
Antonio Brito PSD-BA
Danrlei de Deus Hinterholz PSD-RS
Delegado Éder Mauro PSD-PA
Fábio Faria PSD-RN
Goulart PSD-SP
Jaime Martins PSD-MG
Joaquim Passarinho PSD-PA
Reinhold Stephanes PSD-PR
Rogério Rosso PSD-DF
Rômulo Gouveia PSD-PB
Sandro Alex PSD-PR
Thiago Peixoto PSD-GO
Eduardo Bolsonaro PSC-SP
Jair Bolsonaro PSC-RJ
Bebeto PSB-BA
Flavinho PSB-SP
Heitor Schuch PSB-RS
Janete Capiberibe PSB-AP
JHC PSB-AL
Jose Stédile PSB-RS
Júlio Delgado PSB-MG
Leopoldo Meyer PSB-PR
Luciano Ducci PSB-PR
Luiz Lauro Filho PSB-SP
Severino Ninho PSB-PE
Tenente Lúcio PSB-MG
ros Biondini PROS-MG
Felipe Bornier PROS-RJ
Ronaldo Fonseca PROS-DF
Toninho Wandscheer PROS-PR
Celso Russomanno PRB-SP
Cajar Nardes PR-RS
Christiane de Souza Yared PR-PR
Dr. João PR-RJ
Luiz Nishimori PR-PR
Afonso Hamm PP-RS
Conceição Sampaio PP-AM
Covatti Filho PP-RS
Jerônimo Goergen PP-RS
Jorge Boeira PP-SC
Marcelo Belinati PP-PR
Marcus Vicente PP-ES
Antonio Imbassahy PSDB-BA
Betinho Gomes PSDB-PE
Bruna Furlan PSDB-SP
Bruno Covas PSDB-SP
Carlos Sampaio PSDB-SP
Daniel Coelho PSDB-PE
Diego Garcia (PHS-PR)
Domingos Sávio PSDB-MG
Eduardo Barbosa PSDB-MG
Eduardo Cury PSDB-SP
Fábio Sousa PSDB-GO
Geovania de Sá PSDB-SC
Izalci Lucas PSDB-DF
João Gualberto PSDB-BA
João Paulo Papa PSDB-SP
Jutahy Junior PSDB-BA
Lobbe Neto PSDB-SP
Luiz Carlos Hauly PSDB-PR
Mara Gabrilli PSDB-SP
Marcus Pestana PSDB-MG
Mariana Carvalho PSDB-RO
Max Filho PSDB-ES
Miguel Haddad PSDB-SP
Nilson Leitão PSDB-MT
Otavio Leite PSDB-RJ
Paulo Abi-Ackel PSDB-MG
Pedro Cunha Lima PSDB-PB
Pedro Vilela PSDB-AL
Ricardo Tripoli PSDB-SP
Rocha PSDB-AC
Silvio Torres PSDB-SP
Vanderlei Macris PSDB-SP
Vitor Lippi PSDB-SP
Edmilson Rodrigues PSOL-PA
Glauber Braga PSOL-RJ
Ivan Valente PSOL-SP
Jean Wyllys PSOL-RJ
Luiza Erundina PSOL-SP
Andres Sanchez PT-SP
Alex Manente PPS-SP
Arnaldo Jordy PPS-PA
Carmen Zanotto PPS-SC
Eliziane Gama PPS-MA
Marcos Abrão PPS-GO
Pollyana Gama PPS-SP
Rubens Bueno PPS-PR
Pastor Eurico (PHS-PE)

Abstenções

Wolney Queiroz PDT-PEJosi Nunes PMDB-PR-TO
Bilac Pinto PR-MG
Luiz Cláudio PR-RO
Esperidião Amin PP-SC

Polícia Militar da Bahia poderá entrar em greve; assembleia acontece na sexta, 2


A categoria reivindica reajuste salarial de 2016, volta do financiamento da Conder e o cumprimento do acordo firmado em 2014 com a categoria.
Entre eles a regulamentação do artigo 92, na qual consta o pagamento do adicional de periculosidade e do auxílio transporte; plano de carreira dos praças, reajuste do auxílio alimentação; aprovação do código de ética; anistia dos policiais que participaram do movimento reivindicatório em 2012 e 2014, cumprimento da lei de anistia federal aprovada pelo congresso e aprovação da reforma do estatuto da PM que está na casa civil do governo.
O cumprimento do acordo e pagamento da gap 4 e 5 a todos policiais de forma automática foi autorizada na última semana pelo governador Rui Costa. O ponto fazia parte da pauta dos policiais. 

Fonte: Blog da Gente

OPINIÃO: Promotora de Justiça critica "mordaça" do Congresso aos agentes públicos


-

Solange Anatólio* - 




Não costumo me manifestar sobre pautas políticas ainda que tenham um conteúdo jurídico, mas desta vez não posso deixar de consignar o absurdo que o Congresso vem fazendo ao tipificar como crime atos próprios da atividade do Ministério Público e do Judiciário, amordaçando os agentes públicos que mais fortemente podem atuar no combate à corrupção e ao malfeito administrativo.

Basta ler o projeto que se percebe claramente sua inconstitucionalidade, porque cria figuras abertas, sem nenhuma densidade de sentido, como por exemplo: "proceder com indignidade ou fora do decoro"; que seria isso?! Ou ainda: "atuar com finalidade de autopromoção", que também é algo vago e sem precisão! A quem não milita na área essas expressões talvez sejam autoexplicativas, mas não é assim na prática.

É que, como o projeto permite que os próprios investigados representem contra o juiz ou o promotor responsável por seu caso, todos esses tais “atos de abuso de poder” acabariam por dar margem à utilização meramente política da Lei, porque qualquer coisa poderia ser “falta de decoro”, afinal, qual o criminoso que acha seu acusador ou julgador bonzinho, digno e correto? Óbvio que ele dirá que não há decoro e que tudo é indigno! Principalmente os criminosos que têm poder político/econômico/midiático...

E o projeto é inconstitucional por isso, porque fere o princípio da taxatividade, que quem é da área sabe o que é. Este princípio demanda que os crimes sejam descritos da forma mais exata possível, pra evitar o manejo ilegítimo da lei criminal.

O fato, meus amigos, é que tudo isso intimidaria e constrangeria o promotor e o juiz!

É isso que a sociedade quer?

Concordamos todos que a Lei de abuso de autoridade precisa ser revista, mas com calma, e não logo neste momento e dessa forma, tudo com o objetivo espúrio de reverter as conquistas alcançadas especialmente na Lava Jato.

Sem falar que já existem leis que punem os agentes públicos abusivos; há ainda as instâncias de corregedoria, que funcionam sim, basta ver os números no Conselho Nacional de Justiça e no Conselho Nacional do Ministério Público, com diversos juízes e promotores punidos nos últimos anos.

Mas como foram investigados e condenados os que criam as leis, então primeiro tentam mudar o juiz, o promotor... Como não conseguem, então mudam as regras do jogo, isto é: as mesmas leis que permitiram a sua punição! Historicamente sempre foi assim.

Chama atenção, ainda, que esse projeto surja no meio do projeto encabeçado pelo Ministério Público das "10 medidas contra a corrupção", como um verdadeiro cavalo de Tróia plantado pra destruir o "inimigo". Um projeto que era pra ser anticorrupção poderá ser utilizado pelo corrupto.
Repito, é isto que a sociedade quer?


Aos ressentidos, que argumentam que o MP e o Judiciário têm sido seletivos, fica um alerta: no dia que os investigados forem políticos que não pertencem ao campo partidário de vocês, FIQUEM ALERTAS, porque essa mesma medida que hoje vocês apoiam poderá ser utilizada por eles pra CALAR o Ministério Público.



* Promotora de Justiça do Ministério Público do Estado da Bahia.

BR-030: Ônibus da empresa Novo Horizonte pega fogo próximo a entrada de Malhada de Pedras



BR-030: Ônibus da empresa Novo Horizonte pega fogo próximo a entrada de Malhada de Pedras
Foto: Wilker Porto | Brumado Agora
Um ônibus da empresa Novo Horizonte, que seguia pela BR-030, trecho entre os municípios de Brumado e Caetité, pegou fogo na tarde desta quarta-feira (30). Segundo informações obtidas pelo Brumado Agora, o incêndio teve início próximo a entrada da BA-148, local que dá acesso a cidade de Malhada de Pedras, e rapidamente as chamas se alastraram pelo veículo. Não há informações sobre a quantidade de passageiros que havia no coletivo. Ninguém ficou ferido. 

Por Janine Andrade

Lava Jato reage a mudanças nas ‘dez medidas’ e ameaça renúncia

A força-tarefa da Operação Lava Jato reagiu nesta quarta-feira à desfiguração pelo plenário Câmara, nesta madrugada, das dez medidas contra a corrupção propostas pelo Ministério Público no ano passado.
Em entrevista coletiva no auditório da Procuradoria da República no Paraná, o chefe da equipe de procuradores da Lava Jato, Deltan Dallagnol, atacou a emenda que prevê a tipificação do abuso de autoridades por juízes, procuradores e promotores e disse que as investigações da Lava Jato podem acabar caso a “lei de intimidação”, como chama, for aprovada.
“Não será possível continuar trabalhando na Lava Jato se a lei da intimidação for aprovada”, afirmou o procurador, que classificou a medida aprovada pelos deputados federais como “o golpe mais forte efetuado contra a Lava Jato concretamente em toda a sua história”.
O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos principais integrantes da força-tarefa da Lava Jato, também disse que a operação pode parar caso a emenda seja aprovada e falou em “renúncia coletiva”. “Vamos renunciar coletivamente à Lava Jato caso essa proposta seja sancionada pelo presidente”, disse Santos Lima.
“Aproveitaram um projeto de combate à corrupção para se protegerem. O motivo é porque estamos investigando, estamos descobrindo fatos, iríamos chegar muito mais longe. O instinto é de preservação”, afirma o procurador.
A inclusão do abuso de autoridade no “pacote anticorrupção”, a partir de uma emenda da bancada do PDT, foi a primeira mudança aprovada na sessão. A emenda obteve o apoio de 313 deputados - muitos deles, enrolados no petrolão. Mais cedo nesta quarta-feira, Deltan Dallagnol já havia postado em seu perfil no Twitter que “está sendo aprovada a lei da intimidação contra promotores, juízes e grandes investigações”.
Citando a infame frase do senador e ex-ministro do Planejamento Romero Jucá (PMDB-RR) em conversa gravada com o ex-presidente da Transpetro e delator da Lava Jato Sérgio Machado, Dallagnol afirma que “o objetivo é estancar a sangria. Há evidente conflito de interesses entre o que a sociedade quer e o que o parlamento quer. Se instala a ditadura da corrupção”.

CONQUISTA - O TRÁFICO DESCE O "MORRO" E CHEGA AO ASFALTO

RONDESP fecha boca de fumo no Centro de Vitória da Conquista

86b86138-907f-4d72-9498-87100a2fe0fbApós denúncia anônima, as guarnições de serviço a cerca de tráfico de drogas nas proximidades da rua Salgado Filho, Centro de Vitória da Conquista. As guarnições em Patrulhamento Tático deslocaram em diligência afim de averiguar a veracidade da informação.No local deparou - se com dois cidadãos que empreenderam fuga numa viela adentrando uma residência, sendo capturados em sequência no interior da mencionada residência e identificados posteriormente como JUAN PABLO GUTIERREZ e um menor. No interior da residência também foram encontrada mais duas pessoas, sendo outra menor e José Heitor, este segundo maior de idade. Após buscas no interior da residência foram encontrada anotações, celulares, balanças de precisão, material de embalagem para comércio de drogas, a quantia de R$ 670,10 e quantidade 1  Kg de maconha. Cessadas as buscas, a posse material encontrado fora encontrado fora assumido por JUAN e juntamente com o material, todos os envolvidos encaminhados a Distrito Integrado de Segurança Pública para que fossem adotadas as medidas cabíveis.

Fonte: Blog do Léo Santos 

Caso Geddel: AGU já havia se manifestado a favor do Iphan antes de Temer sugerir consulta


 

Geddel, Temer e Calero Prédio em Salvador onde Geddel comprou apartamento na planta causou a mais nova crise no governo Temer

A Advocacia-Geral da União (AGU) já se manifestou a favor da manutenção da decisão do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) de derrubar autorização para construção de um edifício de 30 andares em área histórica de Salvador, o empreendimento La Vue.
O entendimento foi apresentado por meio de um parecer datado de 9 de novembro da procuradoria do Iphan, instância que representa a AGU no órgão. A BBC Brasil teve acesso ao documento, que inclusive tem o timbre da Advocacia-Geral da União.
Quatro funcionários de carreira da AGU ouvidos pela BBC Brasil disseram que uma revisão dessa manifestação nas atuais condições do processo fugiria aos trâmites normais do órgão.
Após esse parecer, a presidência do Iphan tomou, no dia 16 de novembro, decisão definitiva determinando que o prédio deveria ter no máximo 13 andares, para não prejudicar a visibilidade de locais históricos.
A AGU foi trazida para o centro da crise que já derrubou dois ministros - Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) e Marcelo Calero (Cultura) - após o presidente Michel Temer reconhecer que sugeriu que o órgão fosse acionado para solucionar um suposto impasse jurídico evolvendo o empreendimento.
Geddel, amigo pessoal do presidente, tem um apartamento comprado na planta desse edifício e, segundo Calero, desde junho o pressionava a conseguir que o Iphan liberasse a obra.
De acordo com o ex-ministro da Cultura, ele reportou o caso a Temer pela primeira vez na noite do último dia 16. No dia seguinte, Temer o sugeriu que envolvesse a AGU na questão, pois o órgão daria uma solução ao assunto.

Ao ser questionado em coletiva no último domingo sobre essa conduta, Temer argumentou que havia um conflito administrativo entre o Iphan da Bahia, que havia previamente autorizado a obra, e o Iphan federal, que havia derrubado essa autorização.
Segundo outra manifestação do presidente, a AGU é o órgão competente para "identificar e propor soluções para as questões jurídicas relevantes existentes nos diversos órgãos da administração pública federal", de acordo com o decreto 7.392/2010.

Image copyright Procuradoria do Iphan
Image caption Parecer de unidade do órgão em 9 de novembro embasou decisão contra prédio de 30 andares em Salvador de interesse de Geddel
Parecer da Procuradoria do IphanImage copyright Procuradoria do Iphan
Acontece que a AGU, por meio da procuradoria do Iphan, já havia dado sua manifestação sobre essa questão.
No parecer 362/2016, de 9 de novembro, a procuradora federal Genésia Marta Alves Camelo diz que a autorização concedida pelo Iphan da Bahia, em novembro de 2014, havia sido tomada de forma irregular, sem seguir os trâmites corretos.
Dessa forma, continua, a decisão do Iphan federal de anular essa autorização em 3 de maio deste ano, após recurso do Instituto de Arquitetos do Brasil contra o empreendimento, é legal.
"Tendo em vista que o ato de aprovação do projeto em comento foi emitido pelo Superintendente Estadual (do Iphan da Bahia), e não pelo Coordenador Técnico (do órgão), em desconformidade com a Portaria n° 420/2009, eventual vício quanto ao sujeito se concentra no citado ato de aprovação do projeto e não em eventual ato administrativo que venha a ser editado com a finalidade de se proceder à anulação do ato de aprovação", diz a conclusão do parecer.
Em seguida, o documento reconhece que a presidência do Iphan tem "poder hierárquico" para anular decisão do Iphan estadual.
O parecer é assinado também pelo procurador-chefe do Iphan, Heliomar Alencar de Oliveira, indicando que ele concordou com a manifestação da sua subordinada.
Questionado pela BBC Brasil sobre o fato de AGU já ter tomado uma decisão sobre essa questão, o presidente enviou o seguinte posicionamento por meio da Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência): "a Secom esclarece que não havia decisão da AGU, mas uma manifestação jurídica de uma unidade do órgão sobre o assunto em questão".
A BBC Brasil perguntou, então, que outra decisão a AGU poderia tomar além de se manifestar juridicamente, mas não obteve resposta.
Já a assessoria da Advocacia-Geral da União informou que seus pareceres "servem como manifestação opinativa utilizada como apoio à decisão da administração pública, (…) sendo preservado o poder de decisão do Iphan".
Também explicou que o parecer da procuradoria do Iphan "foi aprovado nos termos da normatização vigente (portaria da AGU 1.399/2009)" e que "essa manifestação, uma vez aprovada, passa a constar com efeitos imediatos para fins de orientação jurídica".
Temer não respondeu à BBC Brasil se sabia ou não da existência do parecer da procuradoria do Iphan. A reportagem não conseguiu contato com Calero para questioná-lo se tinha ciência sobre o presidente conhecer o parecer.
Depoimento do ex-ministro da Cultura à Polícia Federal indica que Geddel acompanhava de perto cada andamento do processo no Iphan. Ao relatar conversa por telefone com ele no dia 6 de novembro, por exemplo, Calero disse que o ministro afirmou "que não gostaria de ser surpreendido com qualquer decisão que pudesse contrariar seus interesses".

La Vue Ladeira da BarraImage copyright BBC Brasil
Image caption Construção do La Vue Ladeira da Barra foi embargado pela Justiça

Parecer poderia ser revisto?

O parecer da AGU, de 28 páginas, é público e integra um processo enorme dentro do Iphan. Apenas o último volume do processo, em que consta a decisão da procuradoria, tem 323 páginas.
A BBC Brasil ouviu quatro funcionários de carreira da Advocacia-Geral da União (que pediram que seus nomes não fossem revelados), sobre qual o valor desse parecer da procuradoria do Iphan e se ele poderia ser legalmente revisto.
Eles afirmaram que uma revisão dessa manifestação fugiria aos trâmites normais da AGU. Segundo esses profissionais, a instituição só deveria voltar a se manifestar sobre o caso se houvesse um segundo parecer jurídico em desacordo com a decisão da procuradoria do Iphan.
Esse outro parecer poderia vir da consultoria jurídica do Ministério da Cultura, outro órgão que também faz parte da AGU, caso Calero identificasse alguma inconsistência no parecer da procuradoria e solicitasse o posicionamento dessa instância. No entanto, o ex-ministro não fez qualquer solicitação nesse sentido.
A AGU tem procuradores espalhados pelos diversos ministérios e órgãos da União justamente para dar orientações jurídicas.
"Ele teria que forçar uma barra e apontar algum problema jurídico no parecer que demandaria nova consulta", explicou um dos profissionais consultados.
Segundo o depoimento e entrevistas concedidas por Calero, o que Temer, Geddel e também o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, teriam pedido é justamente que de alguma forma ele remetesse o caso para a AGU - mas não fica claro se o caminho seria esse, por meio de um parecer da consultoria jurídica do Ministério da Cultura.
Ainda na entrevista ao Fantástico, Calero disse que Temer "determinou" que ele criasse "uma manobra, um artifício, uma chicana como se diz no mundo jurídico, para que o caso fosse levado à AGU".
O ex-ministro diz que se recusou a tomar qualquer decisão que remetesse o caso para solução da AGU e preferiu se demitir.
"Não tem fundamento nenhum para a AGU se manifestar novamente nesse estágio do processo", afirmou outro dos funcionários ouvidos pela BBC Brasil.
"Não existe um conflito entre duas decisões jurídicas que a AGU precise uniformizar. No momento só há uma decisão e essa decisão é no sentido de embargar a obra", acrescentou.
Dois dos funcionários ouvidos ponderaram, porém, que casos em que não há conflito entre duas decisões podem eventualmente ser levados diretamente a análise do Advogado-Geral da União desde que sejam questões "seríssimas".
"Não é o normal", disse um deles.
"Nitidamente não é o caso", afirmou o outro.
Questionada pela BBC Brasil, a AGU informou não haver "conhecimento de posição contrária ao referido parecer".
O órgão disse também que o critério que determina se o caso deve ser submetido a instâncias superiores é a "exatidão da interpretação jurídica".
Ainda segundo a AGU, "o parecer em questão fez uma leitura adequada do caso concreto e das normas de competência interna do Iphan. Não foram identificadas conclusões que conflitem com orientações ou teses jurídicas vigentes no âmbito da PGF (Procuradoria-Geral Federal), cabendo destacar que o parecer seguiu as orientações de Boas Práticas Consultivas da AGU".
Calero afirma que Temer sugeriu o envio do caso ao órgão porque a advogada-geral da União, ministra Grace Mendonça, daria uma solução.
Questionada sobre a possibilidade de a questão ser submetida à ministra, a AGU respondeu que "em nenhum caso a análise se daria diretamente pela Advogada-Geral da União nem pelo Procurador-Geral Federal".

'AGU atuou dentro de sua competência'

Em nota divulgada na quinta-feira, após vir a público a sugestão de Temer de remeter o caso para a AGU, a ministra já havia afirmado "peremptoriamente que não há qualquer possibilidade de construir qualquer solução jurídica que não seja fundamentada na Constituição da República e no ordenamento jurídico pátrio".
Sem informar o número ou a data do parecer da procuradoria do Iphan, a nota também citou a decisão.
"As eventuais questões jurídicas relacionadas ao caso foram examinadas pela própria Procuradoria do Iphan, órgão competente para analisá-las. Tecnicamente, a unidade entendeu que a presidente do Iphan é competente para a anulação de ato da Superintendência estadual e que poderia decidir o caso concreto, conforme os critérios que a área técnica entendesse pertinentes", afirma o comunicado.
"Noutras palavras, a AGU, no caso, atuou dentro dos estritos limites de sua competência constitucional, pelo seu órgão setorial competente (Procuradoria junto ao Iphan), e tendo como parâmetro a legislação de regência, sem qualquer tipo de interferência ou pressão", diz ainda a manifestação do órgão.

Denúncias contra Temer

Parlamentares da oposição pediram nos últimos dias a renúncia de Temer. O PSOL apresentou um pedido de impeachment. O andamento dessa denúncia depende, porém, de autorização do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que já disse não ver motivos para tal.
"Geddel praticou crime de tráfico de influência e o seu superior, o presidente da República, ao invés de demiti-lo e reprimir essa ação, foi condescendente com essa ação", afirmou o deputado Ivan Valente (PSOL-RJ)
Já parlamentares do PT e PCdoB pediram nesta segunda-feira à Procuradoria-Geral da República que o investigue pelos crimes de concussão (exigir vantagem indevida para si ou outra pessoa em função do cargo) e advocacia administrativa (patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a administração pública, valendo-se da qualidade de funcionário).
Nesta terça, a Polícia Federal enviou à PGR os áudios que Calero gravou de conversas telefônicas com Temer e demais autoridades.
Em coletiva no domingo, o presidente negou ter cometido qualquer irregularidade. "Eu não estava patrocinando nenhum interesse privado, data venia, né? Não há razão para isso. Se você me disser, 'mas não foi útil, não foi conveniente', eu digo, de fato", reconheceu.

Planta de apartamento no La Vue Ladeira da BarraImage copyright La Vue Ladeira da Barra
Image caption Cada apartamento possui quatro suítes, quatro vagas de garagem e área de 259 m² 

Corpo encontrado no Rio São Francisco pode ser do diretor Glauber Teixeira

Corpo foi encontrado por pescadores na noite de segunda-feira; IML fará exame para identificar vítima

Diretor de teatro Glauber Teixeira
FOTO: Alagoas Boreal / Felipe Mirand

O corpo encontrado por pescadores na noite desta segunda-feira (28) no Rio São Francisco pode ser do ator e diretor teatral, Glauber Teixeira, que está desaparecido deste o início da noite. A área onde o corpo está é de difícil acesso próximo á cidade de Delmiro Gouveia. O resgate só deve ser feito nesta terça-feira (29).

Glauber era diretor da peça teatral "Sou mãe, vai encarar?" e o próximo espetáculo aconteceria na cidade de Arapiraca no próximo sábado (03).

Militares da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar foram deslocados para o local onde o corpo foi encontrado pelo pescador para realizar os procedimentos cabíveis.

AUTO & MOTO - Honda atualiza a CRF 1000L Africa Twin

CRF 1000L Africa Twin tem motor bicilíndrico
Divulgação Honda

A Honda apresentou a nova CRF 1000L Africa Twin em duas versões Africa Twin ABS e Africa Twin ABS Travel Adventure. O modelo traz como novidades: motor bicilíndrico paralelo, controle de tração HSTC, painel de instrumentos digital, em LCD e lâmpadas LED.

A CRF 1000L Africa Twin de 999,1 cilindradas gera 90,2 cavalos de potência a 7.500 rpm de força e torque de 9,3 kgf.m a 6.000 rpm, com seis velocidades, movida a gasolina. A moto tem sistema de partida elétrico, alimentação a injeção eletrônica PGM-FI, freios ABS e controle de tração HSTC em quatro níves de controle: 1, 2, 3 e Off (desligado).

O painel LCD tem dois mostradores amplos com informações posicionadas verticalmente, assim como nos modelos de rali, que facilita a visualização mesmo em ambientes de alta luminosidade. A traseira permanece com rabeta alongada e levemente elevada, onde se localiza o sistema full LED para luzes de freio e direção.

A moto permite regulagem na altura do assento, que varia em 20 mm, de 850 mm a 870 mm, e tem elevação no posicionamento dos braços do piloto em relação ao guidão. Possui peso de 212 kg e um tanque de combustível com capacidade de 18,8 litros.

O modelo manteve as carenagens da bengala utilizadas nos modelos de 1980, para dar um toque de sofistição. A dianteira tem carenagem frontal esguia, que é integrada a um para-brisa e conta com duas entradas de ar. A moto atende as necessidades on-off road, com jogo de rodas raiadas de pneu dianteiro 90/90-21 e traseiro de 150/70-18.



A CRF 1000L é fabricada em Manaus e estará disponível nas concessionárias à partir de dezembro, nas versões Africa Twin ABS de R$ 64.900 e Africa Twin ABS Travel Adventure de R$ 74.900, nas cores vermelha e branca. O modelo conta com três anos de garantia e Honda assistance 24h, durante o período de garantia. 

INFORME - Amarok terá motor mais forte no país







A Volkswagen apresentou a Amarok 2017 no Salão do Automóvel de SP 2016. A picape média da VW chega ao mercado brasileiro com motor mais forte: um inédito 3.0 V6 turbodiesel, o mesmo que equipa o SUV Touareg. Estará sob o capô para garantir mais força. Esta configuração da Amarok tem potência de 227 cavalos e 56 kgfm entre 1.400 e 2.750 rpm. A tração é 4Motion e a transmissão é automática de oito velocidades. A linha 2017 vem com mudanças visuais também. Tem pequenas alterações nos faróis, para-choques e frente com novos detalhes.  Há LEDs diurnos e as rodas são de 20 polegadas. As concessionárias aguardam a nova versão mais forte da Amarok para o segundo semestre de 2017.

Eleitor que não votou tem até esta quinta (1º) para justificar online



Justificativa poderá ser apresentada à Justiça Eleitoral por meio do Sistema Justifica, disponibilizado no site do TRE-BA - 


Termina nesta quinta (1º) o prazo para o eleitor justificar a ausência no primeiro turno das Eleições Municipais 2016, realizado em 2 de outubro. A justificativa poderá ser apresentada por meio do ‘Sistema Justifica’, ferramenta online implantada pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) com o objetivo de dar maior comodidade ao atendimento do eleitor que deixou de votar.
Para utilizar o sistema, o cidadão deverá informar nome completo, número do título de eleitor, data de nascimento, e-mail pessoal e o motivo pelo qual não pôde votar e nem justificar o voto no dia da eleição.


No sistema, é obrigatório anexar documento (em JPG ou PDF) como prova da impossibilidade, como um atestado médico, comprovante de passagens. Feito isso, a ferramenta enviará o requerimento diretamente para o cartório da Zona Eleitoral pertinente. Por fim, o eleitor receberá número de protocolo para consultar o andamento do seu requerimento.
Na Bahia, apenas o município de Vitória da Conquista realizou novo turno do pleito municipal. 

Como justificar

O acesso poderá ser feito pelo site do TRE-BA. O interessado deverá consultar o menu principal e seguir o caminho: eleitor > justificativa eleitoral > Sistema Justifica e preencher o formulário.
Mas atenção: o Sistema Justifica poderá ser utilizado apenas pelos eleitores baianos. Eleitores de outros estados deverão consultar seus respectivos cartórios eleitorais.
É importante lembrar que, para o eleitor que não votou no 2º turno, realizado em 30 de outubro, o prazo para apresentar a justificativa será encerrado no dia 29 de dezembro. 

Outras opções 

O eleitor que, por algum motivo, não conseguir acessar o ‘Sistema Justifica’, poderá preencher, em formato online, o formulário de Requerimento de Justificativa Eleitoral. É possível também imprimir o requerimento (formato pdf) e preencher manualmente. Nos dois casos, o eleitor precisará entregar o documento no cartório da zona eleitoral a que pertence. Caso prefira, o cidadão poderá solicitar o requerimento diretamente ao seu cartório eleitoral.

Cancelamento 

O eleitor que não votar e não justificar voto por três eleições consecutivas poderá ter o título cancelado e, após seis anos, excluído do cadastro eleitoral. 

Policial civil é preso pela PF por suspeita de envolvimento com narcotráfico em MS

O investigador da Policia Civil, José Adão Côrrea, foi preso nesta terça-feira (29) por agentes da Policia Federal, por suspeita de envolvimento com o narcotráfico, na cidade de Amambai distante 352 quilômetros de Campo Grande.



Ele foi preso em sua residência e a suspeita é de que o investigador tenha envolvimento com o narcotráfico. A descoberta foi feita após interceptações de ligações telefônicas, segundo o site A Gazeta News.

A investigação de acordo com a polícia é sobre o tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico e organização criminosa. O mandado de prisão foi expedido pela Justiça Federal de Guaíra, no Paraná, sendo cumprido em Ponta Porã.

Ele deve ser levado para o Paraná. José Adão Côrrea, que estava lotado em Coronel Sapucaia estava afastado do cargo por denuncia do Ministério Público de improbidade administrativa. A acusação é de 2012, o policial e outros dois investigadores estariam se valendo da função para ‘ludibriarem terceiros de boa-fé’, segundo denuncia do Ministério.

Outra parte do texto da denúncia do Ministério Público diz que os acusados  “Transformaram a delegacia da Policia Civil, de Coronel Sapucaia, em um verdadeiro balcão de negócios escusos, aproveitando-se de quaisquer oportunidades para obterem ganhos ilícitos”.José Adão Côrrea, foi preso em 2012 em cumprimento de mandados de prisão preventiva expedidos pelo Poder Judiciário da comarca de Amambai, em uma operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), em dezembro denominada “Nhu-Vera”. A época foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e 10 notificações para instrução do procedimento de investigação criminal.

Por Tathiana Melo

SAIBA MAIS:

Gaeco prende policiais e faz devassa em órgãos públicos de Coronel Sapucaia e Amambai

São cumpridos cinco Mandados de busca e apreensão em residências e repartições públicas, e 10 notificações para instrução do procedimento de investigação criminal
A ação policial teve inicío em março deste ano quando o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) de Mato Grosso do Sul, com o apoio da Corregedoria da Polícia Civil e da Delegacia Especial de Combate ao Crime Organizado (DECO), desencadeou a Operação denominada “NHU-VERA” (primitivo nome de Coronel Sapucaia. Em tradução livre significa “Campo Brilhante”), nas cidades de Amambai e Coronel Sapucaia.
Durante a operação foram presos, em cumprimento de mandados de prisão preventiva expedidos pelo Poder Judiciário da comarca de Amambai, os investigadores de polícia judiciária José Adão Correa, Oclécio José de Farias e Ronieri Isael Adomaitis de Araujo, todos lotados na Delegacia de Polícia de Coronel Sapucaia (MS), os quais, juntamente com outros agentes públicos são investigados pela prática dos crimes de peculato, corrupção passiva, inserção de dados falsos em banco de dados da Administração Pública e de formação de quadrilha, tipificados nos arts. 288, 312. 313-A e 317, todos do Código Penal.
Também estão sendo cumpridos cinco Mandados de busca e apreensão em residências e repartições públicas, e 10 notificações para instrução do procedimento de investigação criminal.
Participam da operação cerca de vinte Policiais Civis e Militares, além do Coordenador do GAECO (MS), Promotor de Justiça Marcos Alex Vera de Oliveira, dos Promotores integrantes do GAECO, Claudia Loureiro Ocáriz Almirão e Marcos Roberto Dietz, do Promotor de Justiça titular da 1ª Promotoria de Justiça de Amambai (MS), Eteocles Brito Mendonça Dias Junior, e dos Delegados de Polícia Civil Célia Regina Maria Bezerra da Silva, Clever José Fante Esteves e Luiz Eduardo Santana Davanço.
CLIMA ESQUENTA NA MEGA RÁDIO -

Estreia hoje,  às 20h, na Mega Rádio, o Programa Pudor Nenhum. Sob o comando das jornalistas Lu Rosário e Thaty Miranda, a atração é a versão radiofônica do Blog Pudor Nenhum, premiado como melhor do mercado erótico do Brasil na Premiação dos Melhores do Mercado Erótico e Sensual de 2016, realizado pela associação brasileira do ramo. Assim como o blog, o programa Pudor Nenhum busca abordar temas relacionados a sexo, sexualidade, relacionamento, autoestima, saúde e educação sexual. Para tanto, a participação dos ouvintes também será importante e não faltará oportunidades para matar curiosidades, fazer questionamentos e sentir-se em casa em cada edição e tema proposto. O Pudor Nenhum, no rádio, é mais uma tentativa de romper tabus e permitir o maior autoconhecimento.




Deputado demite assessor envolvido em desvios de verbas da saúde

Foto: Reprodução Facebook
Preso na Operação Manipulação, o ex-secretário de Guanambi, no sudoeste, André Luís Costa Donato, (veja abaixo) acaba de ser exonerado do cargo de assessor parlamentar do deputado Arthur Maia (PPS). A informação foi divulgada pela assessoria de Maia ao Bahia Notícias. Donato teve a prisão preventiva decretada por supostos desvios em recursos da saúde do Município de Palmas do Monte Alto. À época das suspeitas, Donato era secretário de administração de Guanambi. Conforme a assessoria de imprensa do deputado federal, a demissão serve para que o agora ex-assessor “possa se defender na Justiça” pelas acusações. A assessoria de Maia ainda afirmou que o deputado tomou conhecimento do caso pela imprensa, por isso não tem ligação com as denúncias. A Operação Manipulação foi deflagrada pelo Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU).
por Bahia Notícias


Assessor Parlamentar é preso em operação da PF por fraude e desvio de verbas

Polícia Federal, Ministério Público Federal e Controladoria Geral da União (CGU) deflagraram na manhã desta quarta-feira a Operação Manipulação, visando cumprir mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão em desfavor de André Luis Costa Donato, assessor do deputado federal Arthur Maia.
Além da prisão de Donato, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em sua residência e na residência de Valdete Rosa Martins Prado, sócia da Limpel Comércio e Representações, empresa que foi contratada para fornecer materiais e equipamentos para Postos de Saúde da Família em Palmas de Monte Alto, no ano de 2008, após licitação fraudada. O esquema foi descoberto pela CGU e investigado pela PF.
Segundo denúncia ajuizada pelo MPF em 2016, André Donato foi o responsável pela reunião da documentação para a montagem da licitação e concorreu para o desvio das verbas da saúde. Na ação penal (processo nº 0003260-62.2020.4.01.3309), além de Donato e Valdete, figuram como réus o ex-prefeito de Palmas de Monte Alto, Manoel Rubens Vicente da Cruz, e mais cinco servidores municipais.
Em razão da prática de crimes similares, André Donato já foi condenado pela Justiça Federal em Guanambi em outras duas ações penais (processos nº 1367-46.2020.4.01.3309 e 4358-53.2020.4.01.3309), em uma delas, inclusive, por formação de quadrilha voltada para a prática de fraudes a licitações.
De acordo com as investigações, Donato está atualmente envolvido em episódios de fraude a licitações de prefeituras baianas e desvio de dinheiro público, como no caso do município baiano de Pindaí, em que o acusado mantém contrato supostamente fraudulento com a Prefeitura para a prestação do serviço de transporte escolar, por meio de empresa constituída em nome de terceiros.
Ao decretar a prisão preventiva, a Justiça Federal considerou que “a manutenção do investigado André Luís Costa Donato em liberdade provavelmente implicará na reiteração das condutas aqui combatidas, atingindo-se a ordem pública”.

Sindicalista é preso durante operação da PF de combate a pedofilia


Operação foi realizada em Campo Grande e em Bonito; Polícia Federal realizou 12 mandados de busca e apreensão


Yarima Mecchi e Adriano Fernandes
Policiais apreenderam aparelhos eletrônicos e levaram para sede da PF. (Foto: Marina Pacheco)Policiais apreenderam aparelhos eletrônicos e levaram para sede da PF. (Foto: Marina Pacheco)
Um sindicalista foi preso na manhã desta quarta-feira (30) por armazenar conteúdo de pornografia infantil. O homem, que não teve a identidade revelada, foi capturado durante a Operação Patruus II da PF (Polícia Federal), desencadeada em Campo Grande e Bonito - a 300 km da Capital.

De acordo com a PF, o homem usava o computador do sindicato que fica em Campo Grande para armazenar imagens de pornografia infantil. Conforme apurado pela polícia, o equipamento era de uso exclusivo dele, o aparelho foi apreendido.

Além do sindicalista, um jovem foi preso em flagrante por porte de drogas. Ao cumprir o mandado de busca e apreensão a polícia encontrou 200 gramas de maconha. Os agentes da PF recolheram os equipamentos e droga.

Foram 12 mandados de busca e apreensão, sendo 11 em Campo Grande, e 60 agentes envolvidos. Entre os mandados da Capital, sete foram cumpridos em residências e quatro de empresas, como o sindicato e uma empresa provedora de internet. A localização dos suspeitos foi graça a união de uma empresa norte americana com a PF.

Conforme o delegado que comanda a investigação, Marcelo Alexandrino de Oliveira, a empresa localizou IP's - número que computador recebe quando se conecta à internet -, de computadores que faziam armazenamento ou compartilhamento dos conteúdos de pornografia infantil e repassou para a Polícia Federal brasileira.
Delegado disse que PF consegue identificar pedófilos em tempo real. (Foto: Marina Pacheco)Delegado disse que PF consegue identificar pedófilos em tempo real. (Foto: Marina Pacheco)
"Foi se o tempo em que um pedófilo ou qualquer outra pessoa que compartilhe material pornográfico infantil por meio da internet dificilmente não era identificado, a tecnologia avançou e hoje em dia a PF consegue identificar em tempo real qualquer pessoa que baixe conteúdo de pornografia infantil pela internet", explicou.
A operação começou a ser realizada em julho de 2016 quando a PF prendeu um cadeirante, em Campo Grande, que abusava sexualmente da sobrinha, 'petruus' em latim significa tio. Conforme informado durante a entrevista coletiva, os pais deixavam os sobrinhos com o tio e ele abusava sexualmente e fazia vídeo das crianças.
Todos os materiais das buscas e apreensões foram levados para a sede da Superintendência Regional da PF em Mato Grosso do Sul, a fim de instruírem procedimento investigatório.
Carro da vítima estava estacionado em frente a casa da ex-mulher (Foto: Raimundo Mascarenhas / Calila Noticias)

Um jovem de 24 anos foi morto a tiros quando estava dentro de um carro, no centro do município de Conceição do Coité, a cerca de 235 quilômetros de Salvador. Segundo informações da polícia, o crime aconteceu na terça-feira (29), e a vítima estava acompanhada do filho, de apenas dois anos. A criança não ficou ferida.
Ainda de acordo com a polícia, o jovem estava com o carro estacionado na frente da casa da ex-mulher, quando dois homens a bordo de uma motocicleta surpreenderam a vítima e realizaram os disparos. Ele chegou a ser socorrido pela Polícia Militar, mas morreu pouco depois de dar entrada no hospital.
A PM realizou rondas pela região, mas nenhum suspeito foi localizado. Até a manhã desta quarta-feira (30), a autoria e motivação do crime não foram determinadas pela delegacia de Conceição do Coité, responsável pela investigação do caso.

Senado aprova PEC na calada da noite

- Ato contra PEC no DF deixa placas destruídas e prédios pichados

- Carros, orelhões, luminárias, grades e caixas de correio foram queimados.
Senado aprovou em 1º turno limite a gastos do governo nos próximos 20 anos.



Do G1 DF 

O protesto de estudantes e ativistas políticos contrários à Proposta de Emenda à Constituição (55), que limita os gastos do governo pelos próximos 20 anos e foi aprovada em primeiro turno no Senado nesta terça-feira (29), terminou com placas de trânsito e de identificação de ministérios quebradas, luminárias arrancadas, orelhões danificados, caixas de correio detonadas e grades destruídas. Carros foram queimados. O ato, de acordo com a Polícia Militar, reuniu cerca de 10 mil pessoas e durou seis horas. Pelo menos quatro homens foram detidos - dois estavam com rojões na mochila.

Os estragos se estenderam até para as bicicletas das estações do Itaú, que são emprestadas por meio de um aplicativo de celular. Os veículos e as lixeiras foram incendiados. A placa turística em frente à Catedral Metropolitana foi arrancada, e lixo e garrafas foram espalhados pelo Eixo Monumental. O trânsito para carros foi liberado da Rodoviária do Plano Piloto ao Congresso às 23h.
“Todas [as placas] foram destruídas. As placas, as luminárias dos ministérios todas foram arrancadas. Só ficou sucata”, disse fiscal do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) Paulo Duarte. Foi necessário reforçar o número de garis, deixando sem atendimento a W3, o Setor Bancário e a Rodoviária. “Muita sujeita, muito lixo tem aqui. Tem bastante mesmo”, contou o profissional James Pereira Coimbra.
Painel com mapa do Plano Piloto derrubado no Eixo Monumental (Foto: TV Globo/Reprodução)
Um manifestante atira uma bomba de gás de volta para a polícia durante protesto contra a PEC 55, que limita os gastos públicos para os próximos 20 anos, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (Foto: Andressa Anholete/AFP)
Foram mobilizados 55 garis, com dois caminhões de coleta, caminhões de caçamba e caminhões pipa. De acordo com a fiscalização, também houve danos ao asfalto. Além disso, foi necessário recolher vidros e aparelhos de ar condicionado, que foram danificados em ministérios.
O funcionário do Ministério da Cultura Apoena Pinheiro conta ter encontrado o próprio carro todo destruído. O homem diz esperar que o seguro cubra os danos. “Não tem condição de retirar ele assim, agora tem que esperar um guincho. O guincho está tendo dificuldade de acesso, porque as vias ainda estão bloqueadas”, disse durante a noite.
Manifestantes quebram um carro estacionado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, durante protesto contra a PEC 55, que limita os gastos públicos para os próximos 20 anos (Foto: Eraldo Peres/AP)
Um carro em chamas é visto durante um protesto na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, contra a PEC 55, que limita os gastos públicos para os próximos 20 anos (Foto: Andressa Anholete/AFP)
Ele conta que chegou a descer do prédio quando a manifestação ainda estava pacífica para poder checar o automóvel. “Cruzei com estudantes, cruzei com todo mundo, mas, infelizmente, pouco tempo depois, eu tive que voltar para o trabalho, por conta de bomba de gás. Pouco tempo depois, encontrei o carro todo quebrado, outros carros incendiados, um problema muito grande, acho que não devia ser dessa forma, não tem porque fazer isso.”
Em balanço preliminar, o GDF informou que registrou cinco denúncias de dano ao patrimônio na Polícia Militar. O número pode aumentar, já que as investigações serão feitas a partir de imagens do protesto. O levantamento também apontou que 40 pessoas ficaram feridas, sem gravidade, e foram atendidas pelo Corpo de Bombeiros. No grupo havia dois policiais militares, que passam bem.
Pichações no Museu Nacional de Brasília durante protesto contra a PEC que limita o teto de gastos nesta terça-feira (29) (Foto: Luiza Garonce/G1)
Lixo e entulho queimados por manifestantes em frente ao Ministério da Educação, em Brasília, durante ato contra o teto de gastos (Foto: MEC/Divulgação)
A União Nacional dos Estudantes (UNE) criticou a postura dos policiais. "Não incentivamos qualquer tipo de depredação do patrimônio público. O que nos assusta e nos deixa perplexos é a polícia militar do governador Rollemberg jogar bombas de efeito moral, gás de pimenta, cavalaria e balas de borracha contra a estudantes, alguns menores de idade, que protestam pacificamente. Esse é o reflexo de um governo autoritário, ilegítimo e que não tem um mínimo de senso de diálogo."
Na avaliação do GDF, porém, a PM "agiu dentro dos padrões técnicos para o enfrentamento desse tipo de situação e procurou preservar o patrimônio e a segurança das pessoas". O porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, fez um pronunciamento no Palácio do Planalto informando que o presidente Michel Temer "repudia" os atos de "vandalismo, destruição e violência".
Grupo arranca placa de trânsito durante protesto em Brasília nesta terça-feira (29) contra a PEC que limita o teto de gastos (Foto: Luiza Garonce/G1)
Protesto
Os manifestantes e policiais militares entraram em confronto depois que um grupo virou carros que estavam estacionados de baliza na lateral da Esplanada. A corporação reagiu com bombas de gás lacrimogêneo. Os manifestantes quebraram, então, vidros e aparelhos de ar condicionado dos ministérios do Esporte e Desenvolvimento Agrário e da Educação, arrancaram placas de trânsito, quebraram orelhões e atearam fogo a veículos.
Um estudante exibe uma bandeira do Brasil com a mensagem 'Fora Temer' durante protesto contra a PEC 55, que limita os gastos públicos para os próximos 20 anos, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (Foto: Andressa Anholete/AFP)
Uma barricada foi montada na pista, com sacos de lixo, entulho e banheiros químicos. O Museu Nacional e outros prédios da Esplanada foram pichados. A PM voltou a dispersar bombas de gás na tentativa de dispersar o grupo. Por volta das 20h50, a Esplanada dos Ministérios já tinha sido liberada, mas os manifestantes davam continuidade ao ato na rodoviária do Plano Piloto.
Parte do grupo aplaudiu os atos de vandalismo. Os manifestantes gritavam “Fora, Temer”, “Não à PEC”. Outra parte dos manifestantes pediu a policiais militares que fizessem um cordão em volta da pista para garantir a segurança dos que não estavam envolvidos com a confusão.
Manifestantes e policiais entram em confronto durante uma manifestação contra a PEC 55, que limita os gastos públicos para os próximos 20 anos, em frente ao Congresso Nacional em Brasília (Foto: Fabio Pozzebom/Agência Brasil)
Manifestantes se protegem de bombas de gás atiradas pela polícia durante protesto contra a PEC 55, que limita os gastos públicos para os próximos 20 anos, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (Foto: Eraldo Peres/AP)
Um estudante da Universidade Federal de Minas Gerais de 20 anos informou que o tumulto começou no espelho d’água, quando manifestantes jogaram água em policiais. Ele conta que um militar reagiu com spray de pimenta depois de uma ser atingido por uma garota.
Outra jovem, do Rio de Janeiro, diz considerar o protesto importante. "São 20 anos que eu vou sofrer, meus filhos [também vão sofrer]. E não tem nenhuma consulta ao povo."
Manifestantes atira um coquetel molotov em direção a policiais durante protesto contra a PEC 55, que limita os gastos públicos para os próximos 20 anos, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (Foto: Eraldo Peres/AP)
Um carro em chamas é visto durante um protesto na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, contra a PEC 55, que limita os gastos públicos para os próximos 20 anos (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)
PEC do teto
A proposta em análise no Senado estabelece que as despesas da União (Executivo, Legislativo e Judiciário) só poderão crescer conforme a inflação do ano anterior. O texto é considerado pelo governo um dos principais mecanismos garantir o reequilíbrio das contas públicas.
Pelo texto da PEC, se um poder desrespeitar o limite de gastos sofrerá, no ano seguinte, algumas sanções, como ficar proibido de fazer concurso público ou conceder reajuste a servidores.
Inicialmente, os investimentos em saúde e em educação entrariam no teto já em 2017, mas, diante da repercussão negativa da medida e da pressão de parlamentares aliados, o governo concordou em fazer com que essas duas áreas só se enquadrem nas regras a partir de 2018.

Deixe o seu comentário!