ITUAÇU - Presidente da Câmara de Vereadores de Ituaçu vai mudar regimento interno


Marcinho de Noé, presidente da Câmara de Ituaçu

            A sessão desta sexta-feira, 10, na Câmara de Vereadores de Ituaçu, a 510 km de Salvador, foi histórica, graças à insatisfação popular com o uso da tribuna livre para fins pessoais e ataques gratuitos por parte de políticos rejeitados nas urnas. O povo cobra ordenamento.
Por causa disso, que está em discordância com o regimento interno da casa legislativa, os vereadores devem alterar o dispositivo para as próximas sessões. Um dos que se manifestaram a favor da mudança foi o líder do prefeito, vereador Adriano Silva Machado (PTB).
No grande expediente da sessão, ele defendeu o ordenamento do uso da tribuna livre. “Vamos nos reunir com o presidente para que haja bom senso e que se conceda espaço a todos, com tempo adequado de 5 a 10 minutos para cada um e que todos tenham direito à fala”.


Vereador Adriano Silva, líder do prefeito na Câmara de Ituaçu
A maior reclamação é a cessão do uso da tribuna para o ex-prefeito Albercinho, que frequentemente age como se estivesse num palanque, atacando a atual administração. Nas sessões anteriores o assunto girou em torno do pagamento do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ).
A oposição tentou atacar a atual gestão, desclassificando a fala do prefeito, que disse não ter encontrado dinheiro em caixa para pagar a educação. “O prefeito está analisando a legalidade do abono. O prefeito não tem satisfação a dar à fala do ex-prefeito, já que esse não representa mais o município, já que participou de uma eleição e teve seus votos nulos ou anulados”, frisou.

Sessões à noite

            Além dessa mudança no uso da tribuna livre, o presidente Câmera de Vereadores de Ituaçu, Márcio Aparecido Rocha (Marcinho de Noé), do PR, também deve colocar em apreciação a mudança no horário das sessões, que atualmente acontece pela manhã.
“Propomos sessões à noite para que tenhamos muito mais acesso da população. As portas da Câmara estão abertas para a população, também na tribuna livre, então não há dificuldade”.
Marcinho de Noé também teve que responder às denúncias de contratação excessiva de assessores, a maioria ligada ao seu aliado político, o ex-prefeito Albercinho. Segundo as denúncias, a folha de pagamento desse pessoal aliado responde pela maioria das despesas do Legislativo.
Indagado sobre a quantidade de pessoal adicional e de valores elevados, já que o trabalho contábil da Câmara – ainda conforme as denúncias - não passa de uma resma de ofício, ou seja, 500 páginas, Marcinho de Noé tentou justificar, dizendo que “os assessores da Câmara já existiam anteriormente”.
Dessa forma, continuou, “não mudou nada. Só manteve o que já existia de dois anos para cá”. Já em relação ao aluguel de um veículo para os trabalhos da Câmara, especialmente para viagem à Contabilidade, ele também comentou.
Acontece que, em denúncia formulada, o veículo estaria sendo usado em desvio de finalidade, já que o trabalho contábil sob responsabilidade da empresa Plena é feito internamente.
Quando indagado se não temia ser condenado, como outros presidentes de Câmara, de várias outras cidades, por estar utilizando um carro com desvio de finalidade, Marcinho de Noé também se esquivou e alegou que “o veículo, que já existia há dois anos, é para o seu uso e, também, dos demais vereadores, caso haja necessidade”.    
Por fim, avaliando os primeiros dias do Legislativo, Marcinho de Noé disse estar satisfeito com a condução das atividades. “Todos os vereadores fazendo suas reivindicações, cobranças. Estamos aguardando as respostas e acredito que possamos tê-las em breve possível”.

Além dessas discussões, outros assuntos foram tratados na sessão desta sexta-feira, 10, a exemplo da reivindicação popular para, com a intermediação do prefeito Adalberto Luz junto ao governo do Estado, implantar melhorias na BA 142, que liga o município a Tanhaçu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments