Su Tonani não comparece à delegacia para depor sobre assédio de José Mayer

Slide 1 de 8: Su Tonani não compareceu à 32ª delegacia, na Taquara, Zona Oeste do Rio, para dar depoimento na tarde desta segunda-feira, dia 24 de abril de 2017

Su Tonani, figurinista que acusou o ator José Mayer de assédio sexual, faltou a mais um depoimento nesta segunda-feira (24). A mulher de 28 anos havia sido intimada a depor contra o artista na 32ª delegacia, na Taquara, Zona Oeste do Rio, após ser noticiado que ela, sem se pronunciar publicamente desde que o assunto foi publicado no blog "Agora É Que São Elas", do Jornal "Folha de S.Paulo", não desejava formalizar a denúncia. Segundo a revista "Veja", o encontro com as autoridades estava agendado para as 11 horas.

Figurinista tem prazo de 6 meses para depor contra ator


Em casos de denúncia de assédio sexual, a vítima tem até 6 meses para formalizar a denúncia contra o agressor. Como Su Tonani tornou público o fato em fevereiro, ela tem até agosto para comparecer à delegacia e relatar formalmente as agressões. No entanto, caso ela não preste esclarecimentos e denuncie José Mayer, o caso é encerrado e o artista não responderá judicialmente.

Ator pediu desculpas, mas foi afastado de trabalhos futuros


Depois da repercussão do assédio e de afirmar terem sido atitudes de Tião, seu personagem em "A Lei do Amor", José Mayer pediu desculpas para Susllem Tonani por meio de uma carta aberta escrita por uma assessoria contratada. "Mesmo não tendo tido a intenção de ofender, agredir ou desrespeitar, admito que minhas brincadeiras de cunho machista ultrapassaram os limites do respeito com que devo tratar minhas colegas. Sou responsável pelo que faço", disse. O pedido, no entanto, não foi suficiente para manter o ator em um futuro trabalho: ele foi afastado do folhetim das nove "O Sétimo Guardião", de Agnaldo Silva, com a justificativa de "não dar visibilidade" a uma das partes envolvidas no caso.

Assunto repercute internacionalmente


O caso de assédio cometido por José Mayer em Su Tonani repercutiu no Brasil, gerando a campanha "Mexeu com uma, mexeu com todas", e também ganhou a imprensa internacional. O jornal americano "The New York Times" exaltou a punição do ator, afirmando ser uma "vitória contra o machismo". O também americano "Washington Post", o canadense "The Globe and Mail" e o inglês "Daily Mail" também deram destaque para a notícia.

(Por Carol Borges)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments