Madeireira Sudoeste

Madeireira Sudoeste

DENÚNCIA - Milicianos miram linhas de vans em Conquista; Mais de 600 clandestinos faturam com a carência de opções de transporte


Jussara Novaes (Sudoeste Digital) - Uma fonte da Polícia Militar da Bahia garante que membros de facções e chefes de milícia, especialmente de São Paulo, estão de olho em brechas deixadas pela falta de regulamentação do transporte público por meio de vans em Vitória da Conquista, a 509 km de Salvador. 


Em meio às incertezas, greves sucessivas e má conservação de alguns ônibus, muitos passageiros buscam por alternativas, expondo-os a riscos, diante de opções nem sempre seguras. Especialistas em trânsito alertam para os diversos riscos da concorrência ilegal e predatória face à aceitação ao transporte pirata. 

Dentre os problemas, eles listam falta de segurança, inobservância da qualificação dos condutores, frota sucateada e sem manutenção, além da falta de cobertura de seguro em caso de acidente.

DEFICIÊNCIA

Valendo-se da deficiência no transporte regular coletivo e posterior colapso da Viação Vitória, algumas vans,  à margem da lei, sob o comando de supostos milicianos, dentre as mais de 600 em situação ilegal, já estariam rodando clandestinamente, com lotação acima do permitido, para bairros mais afastados do centro.

O número é quase quatro vezes maior que o de ônibus das duas empresas licitadas, que juntas fazem circular 171 veículos no transporte de passageiros em Conquista. Oficialmente a Prefeitura, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), estima em 200 o número de vans em circulação.

O interesse dos milicianos estaria ligado à rentabilidade dos clandestinos, que seriam obrigados a pagar pedágios para entrar em itinerários rentáveis. "Onde a Prefeitura deixa de faturar, sem a arrecadação de impostos, o marginal entra e faz a parte do Estado".

Nossa reportagem não comprovou a veracidade da informação que aponta a clandestinidade, apesar de ter encontrado muitas vans em circulação, preenchendo as lacunas deixadas pelo transporte coletivo. A fonte, no entanto, garante que a informação sobre a relação com a criminalidade procede. 
"E tem mais. Obviamente que eles querem continuar na clandestinidade, pois além de não serem obrigados a recolher taxas, podem colocar muitas vans para sufocar e ameaçar a concorrência e nem serão responsabilizados em caso de acidente com passageiros", sustenta. "O tempo e as investigações vão mostrar a verdade", concluiu.

SEGURANÇA

A preocupação tornou-se ainda mais evidente esta semana, após o Conselho Comunitário de Segurança Pública da Indústria, Comércio e Entidades Afins de Vitória da Conquista (Conseg) tornar público um documento encaminhado à Prefeitura em 19 de março deste ano. 

Nele, o órgão requer “atenção imediata das autoridades públicas competentes com relação ao atual momento que o transporte irregular de passageiros tem se expandido pela cidade”, o órgão faz uma denúncia grave. "A formação de grupos que já disputam áreas de acesso, realizando cobrança de “pedágios” para circulação em alguns bairros”.

Ainda no ofício, o Conseg destaca que a falta de regulamentação “facilita a ação de traficantes e demais criminosos” pois por falta de padronização muitos veículos possuem películas escuras aplicadas em seus vidros.

Além dos bairros da zona Oeste, como Brasil, Kadija, Santa Cruz, Patagônia e conjuntos habitacionais, as vans clandestinas circulam sem fiscalização por mais populosos das zonas Leste e Sul, a exemplo de Guarani, Nossa Senhora Aparecida, Vila América e Candeias (ao longo da avenida até a Uesb).


No mesmo documento, o Conselho sustenta que o transporte feito pelas vans acontece sem qualquer fiscalização, sem qualquer regulamentação, sem nenhum tipo de controle e segurança e “expõe os seus usuários e demais cidadãos a riscos”.
O Ofício diz ainda que “o transporte de passageiros pelas vans, nos moldes atuais geram prejuízos aos cofres públicos, "vez que nosso município não vem arrecadando, quer em razão da falta de regulamentação e controle, quer pela ausência de fiscalização”, e que “o transporte por meio de tais veículos é realizado de forma desordenada, clandestina e ilegal”.
Por fim, a entidade menciona a "crise enfrentada pelas duas empresas de ônibus licitadas, “principalmente pela diminuição de passageiros para as vans e com consequências ainda maiores nos direitos sociais com a perda de linhas de ônibus, cujas maiores prejudicados são as pessoas que tem os serviços de gratuidade, (idosos e portadores necessidades especiais) e meia passagem para os estudantes, além da redução das receitas tributárias e direitos trabalhistas que o poder público deve tratar de forma vinculante”.
HERZEM CULPA GESTÕES ANTERIORES
A Prefeitura não se manifestou oficialmente sobre o assunto, mas em entrevista esta semana o prefeito Herzem Gusmão (MDB) fez referência ao ofício do Conseg e atribuiu culpa às gestões locais do Partido dos Trabalhadores. 
"Durante 20 anos o PT quebrou 5 empresas de ônibus em Vitória da Conquista. O transporte clandestino de vans surgiu com força e descontrole no governo passado". Em outro trecho da entrevista em critica a postura do Conseg em tornar público o ofício. 

“Mesmo com o conhecimento de todas as providências tomadas pela administração municipal, no sentido de melhorar o transporte coletivo, feito pelas empresas Viação Vitória e Cidade Verde, e já em andamento o processo licitatório para regulamentar o transporte alternativo de vans, é que o Conseg – Conselho de Segurança resolveu divulgar carta aberta com ampla divulgação na imprensa – e nela contendo observações e cobranças como se o Governo Municipal estivesse alheio ao problema”, falou Gusmão.

ÍNTEGRA DO OFÍCIO
Vitória da Conquista, 19 de março de 2018
Ofício nº: 01/2018
AO
EXMO. SR. HERZEM PEREIRA GUSMÃO
PREFEITO MUNICIPAL DE VITÓRIA DA CONQUISTA NESTA
Prezado Senhor,
O CONSEG – Conselho Comunitário de Segurança Pública da Indústria, Comércio e Entidades Afins de Vitória da Conquista vem, por meio do presente instrumento, externar a Vossa Excelência a sua preocupação com a situação do transporte coletivo em nossa cidade.
Em última reunião realizada em 15/03/2018, fora discutida a situação do transporte público em nossa cidade, destacando, principalmente o desordenamento em que o mesmo vem enfrentando.
O CONSEG, bem como as demais entidades representativas de Vitória da Conquista tem sido procuradas, questionadas, a respeito da situação em que se encontra o transporte público de nossa cidade, bem como vem tomando conhecimento dos fatos exaustivamente noticiados na imprensa local, fatos estes que temos acompanhado.
Estes fatos noticiados pelos meios de comunicação e por este Conselho acompanhados tem despertado a nossa atenção, assim como das demais entidades subscritoras do presente documento, ao ponte de terem sido levados à discussão em reunião realizada em 15/03/2018.
Após ampla discussão sobre a matéria, deliberamos no sentido de comunicar a Vossa Excelência de nossa preocupação, vez que os fatos relativos à situação do transporte público de nossa cidade demanda uma atenção imediata das autoridades públicas competentes com relação ao atual momento que o transporte irregular de passageiros tem se expandido pela cidade.
É de conhecimento de todos que atualmente estamos com algumas centenas de VANS circulando de forma desordenada pelo Município, sem nenhum tipo de fiscalização, bem sem qualquer regulamentação, o que provoca um verdadeiro caos no trânsito de nossa cidade.
Notadamente, para grande parte dos usuários, o serviço de VAN atende a sua necessidade, principalmente àqueles que residem ou trabalham em locais mais longínquos, no entanto, esse transporte, na forma em que se apresenta atualmente, sem qualquer fiscalização e sem qualquer regulamentação, sem nenhum tipo de controle e segurança, expõe os seus usuários e demais cidadãos a riscos.
Não é demais destacar que o transporte de passageiros pelas VANS, nos moldes atuais geram prejuízos aos cofres públicos, vez que nosso município não vem arrecadando, quer em razão da falta de regulamentação e controle, quer pela ausência de fiscalização, uma vez que o transporte por meio de tais veículos é realizado de forma desordenada e clandestina, ilegal.
Outro ponto relevante que foi igualmente discutido em nossa última reunião, e que merece nosso destaque e preocupação, é o fato de já ter se iniciado a formação de grupos que já disputam áreas de acesso, realizando cobrança de “pedágios” para circulação em alguns bairros.
Ademais, em razão da ausência de regulamentação, fiscalização e controle, diversos são os veículos que vem realizado o transporte ilegal, irregular e irresponsável de passageiros em nosso município, pois inúmeras VANS e até mesmo veículos de passeio, “carros pequenos” vem se aproveitando da clandestinidade e dessa omissão do poder público para circularem por nossa cidade realizando o transporte de passageiros.
Observe-se ainda, que a falta de regulamentação, fiscalização e controle por parte das autoridades competentes, vem favorecendo, também, o tráfico de drogas, uma vez que os veículos que realizam o transporte dito como “alternativo”, as VANS, não possuem padronização, assim como, muitos desses veículos possuem películas aplicadas em seus vidros, vidros escuros, o que facilita a ação de traficantes e demais criminosos.
O reflexo maior desta ausência de regulamentação, fiscalização e controle do transporte “alternativo”, das VANS, já é observado e percebido na Segurança Pública, que hoje é a maior preocupação de todos os municípios, onde temos acompanhado um crescimento do tráfico de drogas, com formação grupos, quadrilhas e milícias, que nas cidades de maiores portes dominam vários serviços públicos. E por esta razão não podemos deixar que essa “cultura” nefasta atinja a nossa cidade por omissão do poder público.
Por outro lado, estamos vendo o transporte público legalizado, enfrentando severa crise, principalmente pela diminuição de passageiros para as VANS e com consequências ainda maiores nos direitos sociais com a perda de linhas de ônibus, cujas maiores prejudicados são as pessoas que tem os serviços de gratuidade, (idosos e portadores necessidades especiais) e meia passagem para os estudantes, além da redução das receitas tributárias e direitos trabalhistas que o poder público deve tratar de forma vinculante.
O tempo urge, para uma intervenção imediata, considerando que há mais de um ano esse tipo de transporte irregular vem aumentando acintosamente em nossa cidade, inclusive, com uso de carros de passeio, o que expõe a riscos e perigos tanto os usuários destes serviços, os quais não tem qualquer garantia de que o serviço será bem prestado, bem como que, em caso de acidentes, terão a assistência devida; quanto os prestadores destes serviços, vez que não tem seus direitos trabalhistas preservados e garantidos; os demais munícipes, os quais estão expostos aos riscos de acidentes, bem como em razoa da crescente utilização destes meios de transporte para o favorecimento do tráfico de drogas; e principalmente o nosso Município, o qual deixa de arrecadar aos cofres públicos os impostos, taxas e demais tributos decorrentes desse transporte.
Diante do exposto, solicitamos que Vossa Excelência se digne a determinar, de imediato, com a urgência que o caso requer, à Secretaria de Mobilidade Urbana adoção de medidas de repreensão para a retirada de circulação dos veículos não regularizados para transporte de passageiros, carros de passeio e VANS, inclusive
com o apoio de força policial, se necessário, bem como para que, igualmente se digne de regulamentar de forma coerente o transporte “alternativo” de passageiros, com a adoção das medidas necessárias a promover a fiscalização e o controle dessa modalidade de transporte..
Na certeza, de podermos colaborar para termos uma CONQUISTA MAIS SEGURA, somos.
Atenciosamente,
CONSEG VITÓRIA DA CONQUISTA






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments