ENTREVISTA - Inspetor Ramalho fala sobre ações da PRF no combate à exploração sexual

        

Ações efetivas e frequentes levaram a Bahia a sair da incômoda posição de 1°  lugar no ranking de estados brasileiros com o maior número de pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais. O Estado ocupa, atualmente, a 7°, conforme dados de um relatório da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em parceria com a Childhood Brasil.

As ações de combate à esse tipo de crime tem se intensificado em Vitória da Conquista e região jurisdicionada à Delegacia 1008 da PRF, ao longo das rodovias federais. A queda nas ocorrências envolvendo as práticas delituosas é fruto do trabalho incessante, com apoio de diversos parceiros.

O inspetor Ramalho Jr., chefe da delegacia da PRF em Conquista, fala sobre o Programa Mapear, um mapeamento nacional de pontos vulneráveis à exploração sexual de menores. 

A análise mais recente apontou uma queda de 14% dos pontos considerados críticos no Brasil, que possuem a maior possibilidade de ocorrência de abusos, na comparação do biênio 2013 e 2014 com o biênio 2017 e 2018. Destaque também para a região de Vitória da Conquista.

O trabalho de mapeamento dos pontos vulneráveis pela PRF começou em 2004. Um ano antes, o Governo Federal definiu como prioridade o enfrentamento desse tipo de crime. A partir de 2009, passou a classificar os pontos vulneráveis em quatro níveis: desde os de baixo risco, passando pelos de médio, alto, e, finalmente, o crítico. 

De 2005 até hoje, a PRF retirou de locais de risco em rodovias e estradas federais um total de 4.766 crianças e adolescentes vulneráveis. As ações policiais são planejadas e executadas de acordo com o grau de vulnerabilidade, que acaba determinando a forma e a urgência das respostas.

PUBLICIDADE