GREVE EM CONQUISTA - Sindicato dos rodoviários ameaça greve na Viação Vitória

Imagens: Redes sociais

Dos 90 mil usuários diários do transporte coletivo em Conquista, 40 mil são transportados pelos ônibus da Vitória. A Cidade verde responde pelos demais.

Os usuários do transporte coletivo podem ficar sem os serviços da Viação Vitória nas primeiras horas de sábado (26), caso a empresa não atenda ao ultimato do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Vitória da Conquista (Sintravc)

Em comunicado à imprensa e à população, a entidade diz que a Viação Vitória tem prazo até meia-noite de dessa sexta-feira (25) para pagamento do salário referente ao mês de abril deste ano, e até meia-noite de segunda feira (28) para quitar o vale deste mês. 


A empresa informou, em nota que "está tomando as medidas necessárias para efetuar o pagamento dentro do prazo estipulado pelo Sintravc". Sobre o combustível , disse que "a reserva deve durar até meio dia de amanhã".

"Caso a empresa não atenda o prazo estabelecido, o Sintravc apoiará logística e juridicamente a decisão dos trabalhadores de greve geral, por tempo indeterminado, com o recolhimento de 100% dos veículos da referida empresa a partir das 04:30h de terça-feira, 29 de maio de 2018", sustenta a nota, assinada pelo presidente do sindicato, Álvaro Souza. 

O comunicado também foi dirigido aos rodoviários da Vitória, na manhã de hoje. O Sindicato convocou reunião na garagem da Viação Vitória e também no terminal rodoviário para reforçar os prazos máximos de quitação de pagamentos e uma possibilidade de greve em caso de não pagamento do salário em atraso.

Fontes procuraram pelo Sudoeste Digital para colocar em xeque a posição sindical, garantindo que o comunicado de greve tem outro sentido e não seria exatamente por causa de atrasos salariais. Sob condição de anonimato, uma fonte sustenta que é uma manobra do sindicato, em conivência com a Vitória, é manter os ônibus parados por falta de diesel.

"A estratégia também favorece o sindicato, já que os rodoviários pensarão que estão trabalhando por eles", completou a fonte, sob condição de anonimato. A legislação exige que a empresa disponibilize pelo menos 60% da frota para atender a população no caso de colapso no abastecimento (como ocorre durante a greve dos caminhoneiros) e 30% da frota em caso de greve.



Em contato com a nossa redação, o presidente do sindicato, Álvaro Souza, rechaçou qualquer ligação com a empresa. "Inclusive eles se recusaram a receber a notificação do sindicato. Quanto à essa questão do combustível, temos imagens que flagram duas caminhonetes da Viação Vitória indo buscar diesel para abastecer seus veículos. Mas, independentemente disso, mesmo com combustível, se não atenderem ao ultimato, os ônibus serão impedidos de rodar".

Embora a situação não afete a Viação Cidade Verde, outra concessionária do transporte público em Conquista, a reportagem buscou saber se a população irá dispor dos serviços da mesma. A direção informou que "tem reafirmado que seguirá trabalhando até a última gota de diesel, ou seja: até domingo (27)."

COMUNICADO IMPORTANTE