BANCO DOS RÉUS - Homicida que se disfarçou de lavrador após matar rival será julgado em Conquista

Imagem: Ag. Sudoeste Digital/arquivo 06/06/18
Seguindo o cronograma de julgamentos semanais, sempre às quartas-feiras, o tribunal do júri em Vitória da Conquista julgará nesse dia 13, o réu Marcelo Alves Lopes, acusado do homicídio duplamente qualificado que teve como vítima Ricardo Gomes dos Santos.

O julgamento terá início às 9 horas, no Fórum João Mangabeira, no centro da cidade. De acordo com informações da Vara do Júri e Execuções Penais de Vitória da Conquista, o crime aconteceu no distrito conquistense de José Gonçalves, no interior da residência da vítima, localizada na Rua Miguel Cortes, em 2 de novembro de 2010, durante a madrugada.

Segundo narrou o promotor de Justiça Carlos Robson Oliveira Leão, os motivos do crime seriam rixas anteriores e o fato de que o acusado considerava imoral o costume da vítima andar com roupas íntimas no quintal da sua residência. No julgamento pelo tribunal do júri, atuará na acusação o promotor de Justiça José Junseira Almeida de Oliveira.

Na assistência da acusação atuará o advogado Gutemberg Santos Macedo, ex-presidente da OAB, seccional Vitória da Conquista. Na defesa do acusado estará o advogado Jean Ricardo Gusmão Vieira.

A sessão de julgamento será presidida pelo Juiz de Direito Reno Viana Soares. Segundo o magistrado, desde 2009 acontecem sessões semanais do tribunal do júri em Vitória da Conquista, sempre às quartas-feiras. No último mês de maio, a Corregedoria Geral da Justiça orientou que a imprensa local fosse informada da realização desses julgamentos.

RELEMBRE O CASO

02/03/2011 Depois de passar mais de quatro meses disfarçado de lavrador, com direito a botas, chapéu de palha e utensílios agrícolas, para tentar se livrar de uma acusação de homicídio, Marcelo Alves Lopes, então com 43 anos, foi localizado pela polícia no distrito de José Gonçalves, zona rural de Vitória da Conquista, a 509 km de Salvador.

Sem despertar suspeitas de vizinhos, Lopes cultivava hortaliças e cuidada de uma pequena roça de milho e feijão, mas teve que deixar tudo para trás e seguir para o Presídio Regional Nilton Gonçalves, por força de mandado de prisão representada pela Polícia Civil e decretado pelo juiz da Vara do Júri, Reno Soares Viana.

O assassinato de Ricardo Gomes dos Santos, à época com 20 anos, aconteceu no início de novembro de 2010, quando o acusado e outros dois homens encapuzados invadiram a casa da vítima pelos fundos e dispararam vários tiros, matando Santos na frente do filho pequeno e da mulher, Carla Soares.

O jovem levou três tiros. Naquela oportunidade a polícia desconhecia os motivos do homicídio. Alguns amigos da vítima sustentam que foi desavença entre ambos, outros dizem que foi crime passional, mas sem especificar os detalhes. O depoimento da mulher, fundamental na condenação do acuado, foi mantido em sigilo, apesar de ele sempre alegar inocência.

A prisão foi efetuada por uma equipe de investigadores da 2ª Delegacia, coordenada pelo delegado Neuberto Costa. De acordo com o delegado, o acusado teria sido reconhecido pelas testemunhas e foi indiciado como autor do homicídio. Os outros dois acusados fugiram. (Com informações do Sudoeste Digital/arquivo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments