PERSISTÊNCIA - Prefeitura de Conquista concorda em pagar rescisões a ex-servidores após jejum e orações

Imagem: Ag. Sudoeste Digital/13.06.18
Depois de três peregrinações ao prédio da Prefeitura, com direito a jejum e orações com mãos dadas, finalmente os ex-servidores com rescisões em atraso receberam a notícia que tanto aguardavam.

Embora tenha tentado obter o pagamento integral das duas parcelas em aberto, a comissão fechou acordo para que os valores fossem creditados em dois lotes, sendo o primeiro no próximo dia 20 e o segundo, em 20 de julho.
Enquanto aguardava o desenrolar de uma reunião na Secretaria de Administração, um grupo se posicionou nos corredores, lamentando a ausência do prefeito Herzem Gusmão (MDB) que, ao contrário do prometido em vídeo, não compareceu para conversar com os ex-servidores.
Na manhã de segunda-feira (11), uma corrente humana, com cerca de 100 pessoas de mãos dadas, se formou na Praça Joaquim Correia, onde fica a sede administrativa da Prefeitura. Nesta quarta-feira (13), em novo encontro agendado,

Ao longo de duas semana de promessas de pagamento, o desespero era visível, com a maioria dos ex-servidores alegando não ter o que fazer diante de faturas vencidas e sem dinheiro para despesas do dia-a-dia.

Durante a manifestação, alguns chegaram a sugerir que acampassem na Prefeitura até uma reposta favorável à causa. "Tem colegas que sequer tem dinheiro para pagar a passagem de ônibus e vir se juntar a nós Não tem sido fácil essa espera angustiante", lamentou um deles.
Cartazes reforçaram as orações. "Senhor, derrame sobre nossas vidas o óleo do Seu espírito, da Sua sabedoria. Nós, servidores, queremos o que é de direito”, estava escrito num deles. "Saiba que acima do Céu e da Terra há um Grande Deus somente”, completou. O cartaz retornou nesta quarta-feira. "Deus é mais forte que tudo isso".

PROMESSA NÃO CUMPRIDA

Na segunda-feira o grupo também esteve nas dependências da Prefeitura e seguiram o prefeito Herzem Gusmão (MDB) pelos corredores, exigindo o pagamento dos valores em aberto. Ele se comprometeu em participar da reunião, então marcada para essa quarta-feira, mas não cumpriu a promessa.

Seguindo o planejamento da Secretaria de Finanças, a previsão de pagamento dos contratos com rescisão em 2013 seria em 20 de março deste ano. Os demais anos, ainda segundo a Prefeitura, em nota, seriam pagos seguindo o seguinte cronograma: 2014 (em 20/04); 2015 (em 20/05); e 2016 (em 20/06).

Era exatamente os de maio e o de junho (ainda por vencer) que preocupavam os ex-servidores. Sem apoio de representantes sindicais, alguns não descartavam ocupar o prédio da Prefeitura até que o prefeito resolvesse quitar os valores. A espera parece ter chegado ao fim.

Comments