ASSUSTADOR - “Vulto” visto em estrada de Malhada; geólogo garante que é redemoinho de vento

            
Um vídeo registrado na vicinal Pindorama Fundão, no município de Malhada, no Sudoeste da Bahia, está deixando muito gente curiosa e dividindo opinião entre os internautas. O vídeo, supostamente gravado por alguém que seguia atrás do ônibus escolar, mostra a imagem de algo semelhante a uma pessoa saindo de dentro do mato e posteriormente desaparecendo na frente do ônibus.

O vídeo foi encaminhado ao geólogo Mário Alcântara. Ao ver as imagens ele afirmou ao site Folha do Vale que o suposto fantasma na verdade é um ‘redemoinho de vento’.

Assista:

          

O geólogo explica que o redemoinho surgiu antes da cerca, mas devido o vácuo do ônibus finaliza na frente do veículo, dando a impressão que seja uma pessoa correndo. Para ele, a incidência de luz sobre uma superfície refletora pode causar ilusões de ótica.

Isso ocorre devido ao fenômeno da pareidolia, ou seja, um fenômeno psicológico capaz de ligar acontecimentos aleatórios a uma referência qualquer. É comum ver imagens que parecem ter significado em nuvens, montanhas, solos rochosos, florestas, líquidos, janelas embaçadas e outros tantos objetos e lugares. (Por: Redação www.folhadoavel.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments