BAHIA EM ALERTA - Ministério da Saúde alerta para risco de volta da poliomielite


O Ministério da Saúde alertou que todas as localidades com cobertura vacinal contra poliomielite abaixo de 95% estão sob ameaça de surto da doença, destacando 312 municípios brasileiros – especialmente na Bahia, onde a vacinação contra a doença não chegou a atingir 50% da população.


Apesar de o Brasil não registrar casos de poliomielite há 28 anos, a resistência dos pais e mães em imunizar os filhos contra a doença tem aumentado o risco de novos casos. De acordo com o Organização Mundial da Saúde (OMS)a poliomielite foi erradicada nas Américas em 1994, embora no mês passado a Venezuela tenha registrado o primeiro caso em anos.

Segundo informações da Agência Brasil, entre as cidades onde a situação é mais grave, 15% dos casos estão na Bahia e 14,29% no Maranhão, ambos na região Nordeste do país. No Sudeste, São Paulo tem 44 municípios sob alerta; no Espírito Santo não há cidades com risco elevado, assim como em Brasília (DF) e Rondônia.

“Uma cidade com esses indicadores tem todas as condições de voltar a transmitir a doença em nosso País. Será um desastre para a saúde como um todo”, comentou Carla Domingues, coordenadora do Programa de Imunização, durante reunião com secretários estaduais e municipais de saúde.

Campanha de Vacinação

Devido aos casos de poliomielite registrados recentemente na Venezuela, o Ministério da Saúde informou no mês passado que a campanha de vacinação contra doença no país deve recomeçar no mês que vem: do dia 6 a 31 de agosto. Nos dois últimos anos a campanha aconteceu em setembro.

Em 2017, 22 unidades da federação não atingiram a cobertura considerada ideal durante a campanha: pelo menos 800 mil crianças ficaram sem o esquema vacinal completo, que compreende três doses do imunizante.

Diante dessa realidade, o Ministério orienta os gestores locais a organizarem as redes de prevenção, levantando a possibilidade de readequação de horários para que sejam compatíveis com a rotina da população brasileira. A pasta ainda recomenda o reforço de parcerias com creches e escolas, para ajudar na mobilização sobre a vacina.

Poliomielite

Também conhecida como paralisia infantil, a poliomielite é causada por um vírus que vive no intestino (poliovírus), atingindo crianças com menos de 4 anos, mas pode contaminar adultos também. A doença pode ser transmitida de uma pessoa para outra por meio de saliva e fezes, assim como água e alimentos contaminados.

A maioria das infecções apresenta poucos sintomas, geralmente semelhantes às infecções respiratórias (febre e dor de garganta) e gastrointestinais (náusea, vômito e prisão de ventre). A forma paralítica da poliomielite pode atingir cerca de 1% dos infectados pelo vírus, podendo causar sequelas permanentes, insuficiência respiratória e, em alguns casos, levar à morte.

Apesar de não ter um tratamento específico, é possível prevenir a doença através da vacinação, que é oferecida pelos postos da rede pública de saúde. O esquema de vacinação contra a poliomielite oral trivalente deve ser administrada aos 2, 4 e 6 meses de vida. O primeiro reforço é feito aos 15 meses e o outro entre 4 e 6 anos de idade. (Via VEJA.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments