DENUNCIE - Uesb pode suspender e até excluir autor de trote | Sudoeste Digital

Imagem: Redes sociais/ilustrativa
Caso haja trote na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), o autor do ato pode ser punido com suspensão de um semestre letivo ou até ser desligado do quadro da instituição, se for reincidente. A advertência é do pró-reitor de Graduação, professor Reginado Pereira, baseado na Resolução 07/2008 do Conselho Universitário (Consu).



O Consu é o órgão de deliberação máximo da universidade. Compete ao Conselho exercer a jurisdição superior da Universidade e traçar as suas diretrizes.

O pró-reitor também orienta os novos alunos a denunciar tal prática. “O discente que for vítima de trote na Uesb deve procurar o colegiado do seu curso ou Assessoria Acadêmica do campus e denunciar os agressores. 

Posteriormente, a denúncia é encaminhada à Prograd e à Procuradoria Jurídica para que seja instaurado procedimento cabível para apuração dos fatos”, explicou.

PUBLICIDADE


De acordo com a Resolução do Consu, toda e qualquer manifestação estudantil que configure agressão física, psicológica, moral ou outra forma de constrangimento, ou, ainda, coação aos discentes ingressantes, é considerada trote. 

Para evitar essa prática, Pereira lembra que há mais de cinco anos a Uesb realiza campanhas de conscientização contra o trote. “Nós orientamos para uma recepção acolhedora e calorosa dos estudantes que estão ingressando em nossa instituição, apresentando as instalações, estrutura administrativa, laboratórios, atividades de ensino, pesquisa, extensão, ações inclusivas, de permanência estudantil, dentre outras”.

Nesse sentido, o professor ressalta que a Semana de Integração é um importante instrumento para evitar o trote e promover um contato saudável entre os alunos que já estão estudando na Universidade e os que estão chegando. 

“A Semana de Integração, que ocorre no período de 3 a 7 de julho, nos três campi, constitui-se em um conjunto de atividades científicas, artísticas, culturais e esportivas importantes para possibilitar a integração entre toda comunidade acadêmica”, ressaltou.

                                                                               PUBLICIDADE


Em nota, a Uesb faz outras observações a respeito do trote, enfatizando que "o início de uma jornada muito importante da vida. Assim podemos definir a entrada em uma universidade. Esse é um momento bastante especial, mas para muitas pessoas pode ser traumatizante. Isso, porque, infelizmente, alguns estudantes passam pela triste experiência do trote".

Essa prática, realizada pelos alunos mais antigos de instituições de ensino superior, e que, muitas vezes, é entendida como ritual de passagem, é caracterizada pelo abuso e violência. "Por meio do trote, os alunos que estão iniciando a vida acadêmia passam por situações vexatórias e dolorosas, que causam danos psicológicos e até mesmo físicos. Por tudo isso, na Uesb, o trote é proibido", conclui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments