Comunicado Toyota Diamantina

EDITORIAL - “Transporte Público não é problema em Vitória da Conquista”. Será?

“Transporte Público não é problema em Vitória da Conquista”. Estas e outras foram as inúmeras manifestações públicas do "novo" prefeito Herzem Gusmão (MDB).

Sempre que fosse tratar do assunto mobilidade ele, com ênfase, recorria a certa pesquisa. Aproveitando para validar sua tese,  apontava para o seu aparelho celular, dando a entender que ali constava as referências estatísticas de um certo instituto de pesquisa.

“(...) Tenho aqui duas pesquisas quentinhas, transporte público aparece com menos de 3% (...)”, bradava o prefeito nas rádios e nas entrevistas. 

Fato que o calvário experimentado por aqueles que dependem de transporte púbico - 90 mil usuários/dia - revela que o instituto de pesquisa falhou. E falhou muito.

O estado falimentar da Viação Vitória e a falência social e econômica de mais de 500 funcionários desta mesma empresa, a contragosto, demonstram a estatura da queda ou quanto o prefeito Herzem falhou em suas avaliações e estratégias para a mobilidade.

Teria sido o prefeito mal orientado por sua equipe técnica da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) desde a gestão do coronel Esmeraldino ?
Foi o prefeito mal orientado por sua procuradoria, composta por vários advogados? 
Estariam equivocados os relatórios de sua equipe técnica em mobilidade?

Enfim, as cenas por ruas e avenidas, conversas de botequim ou nos apinhados pontos com centenas de passageiros sem saber o que fazer, sem ônibus, demonstram outra pesquisa muito diferente do cenário dito pelo prefeito.

Mas o que talvez alguns não percebam é que a Viação Vitória "adoeceu" a passos largos desde o governo Herzem. Mesmo com todos os mimos, defesas abertas do próprio executivo em favor da Viação Vitória.

Aumento imediato em 2017 de tarifa, na ordem de quase 20%, o presente da linha D38 e o instrumento denominado de TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) dando 180 dias para a empresa corrigir suas falhas.

Em seguida, a ajuda da Prefeitura com a recuperação judicial, com esse instrumento jurídico desobrigando a empresa de pagar uma série de tributos. A soma de tudo não foi suficiente para empresa sequer manter os salários de seus funcionários em dia.

O que atrasava uma semana no governo anterior, passou a atrasar três meses no atual. Sequer a empresa consegue manter a manutenção preventiva de sua frota. Enfim, nada foi suficiente para ocultar que o projeto da clandestinidade, alimentado pelos vanzeiros, iria falir o sistema de transporte público de Vitória da Conquista.

A imprensa denunciou, o vereador professor Cori (PT) diagnosticou e até mesmo o relatório encomendado pelo próprio prefeito também alertou. Por fim, o próprio Ministério Público do Estado interveio, enxergando que algo sério conspirava contra o transporte. Que um bem público estava em franca destruição. Nesse caso, o serviço essencial denominado de transporte púbico.

O que aprendemos com tudo isso, e quem sabe o prefeito também, é que existem áreas de qualquer governo em que a margem de manobra é estreita, não permitindo barbeiragem. O Decreto de emergência colide com a pesquisa do prefeito. 

O transporte público se tornou o maior problema na pesquisa das urgentes políticas públicas do prefeito Herzem. Agora, o maior desafio é atrair e convencer empresários investidores com esse argumento a colocar os milhões que a atividade requer em um cenário repleto de incertezas, principalmente em caráter emergencial. O que as ruas demonstram não precisa sequer de pesquisas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments