ESTADO TERMINAL - Professores em greve se unem a rodoviários e usuários em protesto contra caos no transporte público

Imagens Ag. Sudoeste Digital
VITÓRIA DA CONQUISTA - O final da tarde em Vitória da Conquista foi marcado por um grande protesto de professores a favor do transporte público e contra o caos que se instalou no sistema, agravado pela interdição da secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) em 73 ônibus da Viação Vitória, todos sem condições de tráfego.

Em greve por reajuste salarial, os professores tiveram apoio de usuários e rodoviários da Viação Vitória, estes com salários atrasados há dois meses e sem perspectivas de manutenção dos empregos devido à crise financeira na empresa. No início da tarde os profissionais em educação se reuniram em assembleia, na Câmara Municipal para discutir os rumos da greve.

Após a assembleia convocada pelo SIMMP sindicato da categoria, o professores marcharam até o terminal de ônibus, com cartazes e discursos em carro de som, denunciando a perseguição à categoria, por parte da Prefeitura, e informando à população sobre os motivos da greve.
Também denunciaram o caos no transporte público, chamando a atenção para a falta de ônibus em diversos itinerários e o sucateamento da frota da Viação Vitória.

Os professores reivindicam a reformulação do plano de carreira, reajuste salarial de 6,81% e criação de um plano de carreira para os monitores escolares. São mais de 3 mil profissionais da educação, que atendem a e creches, nas áreas urbana e rural, abrangendo mais de 44 mil alunos nos três turnos.

A presidente do SIMMP, Ana Cristina Novais, fez um balanço dos cinco primeiros dias da greve. 

           

GUERRA FRIA

O movimento prossegue, mesmo com ameaças de repressão por parte da Prefeitura, por meio do gabinete do prefeito e da Secretaria Municipal de Educação. Além da edição de um decreto, ameaçando punir quem se manifestasse nos prédios públicos, a guerra fria da Prefeitura se estende a cortes de pontos dos professores e ameaças veladas.
Uma delas está exposta em circular desta quarta-feira, assinada pela secretária de Educação, Selma Maria de Oliveira Silva. No documento, a professora Selma, como é mais conhecida a gestora da pasta, solicita que seja entregue ao gabinete, até nessa quinta-feira (26), no turno matutino, relatório da situação da unidade escolar quanto ao movimento grevista.
Solicita ainda, que no relatório conste o nome dos profissionais efetivos e contratados que continuam em greve nessa data. "Reiteramos que além da cópia física entregue a esse gabinete, deverá ser encaminhado também em formato digital a relação para o e-mail smed@pmvc.ba.gov.br".

A secretária não detalha os motivos da solicitação, mas o sindicato dos profissionais fala em retaliação aos participantes da greve. A prefeitura não se manifestou, mas continua oferecendo reajuste de 2,7%

O valor proposto está muito abaixo do repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que é de 6,81%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments