INVESTIGAÇÃO - Transexual que esfaqueou rival mantém clínica clandestina; agressão ocorreu pelo não pagamento de implante de silicone

Jussara Novaes (Sudoeste Digital) - William Silva Gomes. Este é o nome de batismo da transexual Priscila (imagem acima), natural de Caatiba, que retirou a golpes de faca um implante de silicone de seio em Talita que, assim como a agressora, atende clientes nas proximidades de um posto de combustíveis, na Avenida Integração. O Sudoeste Digital apurou com fontes ligadas à Priscila que o motivo foi o não pagamento pelo implante, efetuado por ela em Talita.

Priscila mantém uma clínica clandestina, onde realiza procedimentos de implantes de silicone industrial em transexuais e até em mulheres. "Ela cobrava o serviço feito por Talita (imagem), mas sempre ouvia que o dinheiro não tinha entrado".

"Então no sábado (28) Priscila foi cobrar a 'parada'. Ela disse, já que você não quer pagar, então com ele você não fica", relatou a testemunha, que se identificou como "Safira".

Ela mesma fazia auto-aplicação e, por causa das partes avantajadas, se intitulava em sites privês como “a cavala, a boneca mais safada”.

Além da retirada do implante, o que ocasionou grave lesão no local, a vítima também foi ferida no braço ao tentar se defender. As lesões foram profundas e ela perdeu bastante sangue. Atendida pelo SAMU 192, Talita foi encaminhada em estado grave ao Hospital Regional de Base.

As últimas informações dão conta de que ela corre risco de vida.

"Todo mundo sabe que Priscila faz isso (implanta) há anos, mas agora a casa caiu. Deu ruim", completou a fonte. A polícia foi até um dos locais onde a agressora costumava atender clientes e apreendeu uma faca que, supostamente, pode ser a mesma utilizada no ataque.

A polícia não informou se algum outro objeto ou produto foi apreendido. Após a agressão, ela apanhou alguns pertences e desapareceu, sendo procurada desde então. A reportagem apurou que ela foi para Caatiba e stá em casa de parentes.

Já havia uma denúncia contra ela, formulada no Disep, há mais de um ano, sem avanço nas investigações. O delegado do caso não foi localizado.

Foi apurado, ainda, que o atendimento é feito em um pequeno quarto no Bairro Ibirapuera, mas alguns atendimentos também são feitos em casas de clientes, tanto na zona oeste, quanto nas leste e sul. O preço varia de acordo com o local do procedimento, ficando entre R$500,00 e R$ 2 mil a sessão completa".

Na internet o produto é vendido livremente, ao custo médio de R$120,00 o volume com 5 litros. Não há restrição à venda, porque o silicone líquido industrial tem fim específico para proteger partes automotivas, como conservar e embelezar capotas de vinil, painéis, consoles, laterais, para-choques, frisos, borrachas e couro em geral.

REPERCUSSÃO NACIONAL 

As revelações feitas pelo Sudoeste Digital neste domingo (29) devem provocar repercussão nacional ao longo da semana, já que existe um clamor em todo o País pelos inúmeros casos desencadeados pelo escândalo envolvendo a morte de uma paciente do médico Denis Furtado, conhecido como "Doutor Bumbum",

O caso levantou a discussão sobre o perigo de procedimentos estéticos. Na quarta-feira (25), outra pessoa foi presa no Rio de Janeiro por aplicar silicone industrial em pacientes. Patrícia Silva dos Santos, de 47 anos, foi detida em casa e levada para prestar depoimento. Um áudio atribuído a ela e divulgado nas redes sociais registra a mulher defendendo Denis Furtado e afirmando que o importante é "não morrer feia".

"Paty Bumbum", como era conhecida, fazia aplicações de silicone industrial, que não é adequado para ser usado no corpo, em um quarto sem estrutura hospitalar. Ela vai responder por prática ilegal da profissão, mas não deve ficar presa.
Silicone Industrial

Os Riscos do Silicone Industrial Para a Saúde

O corpo perfeito se tornou uma verdadeira obsessão e o silicone é visto como um aliado para conquistar as formas desejadas. Porém, quem não tem condições financeiras de realizar esses procedimentos estéticos com os materiais adequados acaba recorrendo ao uso do silicone industrial que é bem mais barato, porém, nada adequado e muito perigoso.
A utilização do silicone industrial tem se tornado cada vez mais comum e em geral é uma alternativa para pessoas que estão a margem da sociedade, como, por exemplo, quem é profissional do sexo, mulheres ou travestis. A prática do uso de silicone industrial é condenada pela Anvisa e em muitos casos é feita de forma clandestina.
A Aplicação Clandestina de Silicone Industrial
O paciente é colocado numa maca, tem as suas pernas e a cintura amarradas e quase sempre recebe um pedaço de pano para morder durante a aplicação do silicone. Para que o silicone seja colocado no corpo uma pessoa precisa fazer o papel de bombadeira.
Basicamente com uma seringa geralmente de uso veterinário que é acoplada a uma grossa agulha o líquido entra no corpo e assim transforma o corpo oferecendo formas femininas para transexuais, por exemplo.
A aplicação do silicone industrial é quase uma sessão de tortura tamanha a dor. O pior é que geralmente esses “pacientes” não podem nem mesmo gritar já que trata-se de um procedimento realizado clandestinamente. Depois de injetar o líquido no corpo é necessário fazer um tipo de massagem para que o produto se espalhe na região.
Em geral quem passou por esse procedimento diz que a massagem é o momento mais difícil e doloroso pelo fato de que o corpo ainda está sensível devido as agulhadas. Para finalizar a aplicação é necessário fechar os buracos das agulhas, isso é feito quase sempre com cola instantânea ou esmalte.
O silicone industrial por si já oferece um grande risco para a saúde humana e quando aplicado clandestinamente sem nenhuma condição básica de saúde ou higiene pode ter consequências ainda piores. Dentre os principais resultados catastróficos estão a mutilação do corpo e até mesmo a morte.
Um Problema da Saúde
O fato de não haver a disponibilidade do serviço público de aplicação de próteses de silicone apropriadas é levantado como bandeira por entidades dos direitos dos homossexuais como um dos principais fatores que gera a clandestinidade.
Ressaltamos ainda que a aplicação do silicone industrial é crime que está previsto em três artigos do Código Penal – exercício ilegal da medicina, curandeirismo e lesão corporal. As penas variam de 2 a 8 anos de prisão.
O Fácil Acesso
Mesmo havendo implicações legais não é difícil encontrar o silicone industrial, basta que alguém se disponha a ir buscar. Esse produto que não deve ser utilizado no corpo humano é utilizado para obras, como impermeabilizante de azulejos, lubrificante de máquinas a motores como aviões entre outros fins.
Além de muito utilizado por travestis o silicone industrial está sendo indiscriminadamente utilizado também para procedimentos estéticos em mulheres. Em geral as mulheres usam o silicone da morte para aumentar as pernas, coxas e glúteos.
Problemas
O silicone industrial como o próprio nome sugere não é para fins estéticos, pois quando injetado no organismo pode acarretar em vários problemas como deformações, dificuldades para caminhar e até mesmo morte por infecção generalizada. O silicone que pode ser utilizado para fins estéticos deve estar sempre dentro de implantas que são chamadas de próteses e jamais na sua forma líquida.
Quando o silicone industrial é injetado em sua forma líquida acaba aderindo ao músculo e isso pode causar uma reação inflamatória com muitas possíveis complicações como tumores e edemas.
Dores e Trombose
O uso do silicone industrial é muito perigoso e traz consequências para quem ainda assim aposta nesse método. Para começar quando o produto é aplicado no corpo pode acabar se deslocando da região, por exemplo, quem aplicou nas nádegas pode ter o líquido se espalhando pelas pernas e pés.
Depois da aplicação do silicone industrial é necessário um período de repouso e mesmo que sejam seguidas essas “recomendações” das pessoas que aplicam clandestinamente o produto há diversos riscos. Se o silicone se desloca pelo corpo pode acarretar em vários problemas sérios como trombose, por exemplo.
Torna-se necessário fazer drenagens do silicone do local que ficou comprometido para que ele seja removido.
O Que os Médicos Pensam Disso
Os médicos têm um consenso geral de que não se pode utilizar silicone industrial para esse tipo de procedimento estético, pois os riscos são muitos e altos. Dentre as consequências desastrosas estão possíveis alergias e até mesmo morte por septicemia.
A principal preocupação está no fato de que o produto está solto de forma líquida dentro do corpo o que pode comprometer os órgãos vitais e inclusive chegar a gangrena na área por falta de vascularização.
Baixo Custo Que Não Compensa
O uso do silicone industrial é cada vez maior na clandestinidade devido ao seu preço bastante em conta. Homens e mulheres recorrem a esse produto para mudar as formas dos seus corpos e assim chegar ao que consideram a perfeição. Porém, a economia feita no ato da aplicação não compensa de nenhuma forma a dor e os riscos a que essas pessoas se expõem.
Seja em qual parte do corpo for a aplicação do silicone industrial ele sempre poderá causar efeitos negativos e propiciar o começo de sérios e graves problemas de saúde. Com o passar do tempo e as complicações as pessoas que fizeram uso do silicone industrial apenas encontraram desespero e arrependimento.
Saiba Mais
Saiba Mais
O pior de tudo nessa situação é que em geral as pessoas que fazem uso de silicone ilegal apenas procuram ajuda de um médico depois que as complicações começam a se tornar muito sérias. O agravante que leva as pessoas ao médico é a dor e em alguns casos a deformidade que pode ser causada pelo uso desse produto.
Provavelmente muitos se perguntam por que com tantos riscos ainda tem gente que faz uso do silicone industrial, a resposta com certeza inclui o fato de ser um produto muito barato. Mas, lembre-se sempre que esse é o verdadeiro barato que sai caro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments