POLICIA FEDERAL - Quer passar no concurso? Conheça os segredos do edital



Priscila Natividade* - A primeira etapa para sair na frente da concorrência no concurso da Polícia Federal (PF) é entender bem o edital do certame. Entrar na PF se tornou o sonho de muita gente, tanto pelo status do órgão quanto pelo salário, que pode passar dos R$ 22 mil.  Por isso, a seleção está no topo da lista de desejos dos concurseiros de todo o Brasil.

A reportagem traz dicas valiosas que podem ajudar o candidato  a desvendar o que está por trás das normas que definem o processo seletivo. O primeiro ponto observado pela coach de concursos Jesica Lourenço é que o edital da PF, diferentemente do de outras seleções para a área da segurança, não traz exigência de altura mínima e idade máxima. O segundo é o de que há muitos cargos em disputa.  
“A PF é uma das instituições mais cobiçadas pelos concurseiros que se preparam para carreiras policiais. Esse concurso tem oportunidades para agente, delegado, perito criminal, escrivão e papiloscopista com remunerações muito atrativas”, afirma. 
Ainda de acordo com a especialista, houve mOutra surpresa está na presença de um conteúdo mais complexo na prova de Informática,  que cobra, inclusive, linguagens de programação. “Com esse tipo de conteúdo presente no edital, a Polícia Federal demonstra possivelmente uma mudança de perfil na atividade, que tenderá mais para a investigação técnica. Nas demais matérias não houve modificações significativas”, diz.
Banca
Mais uma dica sobre as características da banca examinadora, que nesse certame está a cargo da Cespe/Cebraspe: na hora da prova, é preciso ter atenção redobrada. Uma das principais características dessa banca é o  modelo de cobrança “certo ou errado”  em que uma resposta errada anula os pontos de uma certa.
“As provas tendem a ser mais cansativas e as questões geralmente primam pela contextualização e interdisciplinaridade, exigindo o raciocínio analítico do candidato, deixando de lado as tradicionais decorebas”, diz Jesica.
Conteúdo
Com a prova prevista para 18 de agosto, Alessandro Marques, do Portal Coach de Concursos, recomenda que o candidato analise como está o seu nível de conhecimento em cada matéria e trabalhe sua estratégia de estudos nisso. “Como qualquer concurso, não há macete e sim uma boa estratégia e planejamento”, afirma.
Outro ponto é se preocupar em aprender as matérias e não em terminá-las até a prova. A meta é conseguir chegar até a  prova dominando o maior número de matérias e conteúdo”, complementa. 
Mesmo que o concurseiro ache mais importante dominar as disciplinas de Direito Penal e Direito Processual Penal, as armadilhas da prova, segundo Marques, estão nos conteúdos de Português, Contabilidade e Informática.
“Em Português, a banca costuma cobrar mais interpretação, mas se engana o candidato que acha que não precisa estudar gramática, precisa sim. Em Informática deve ser cobrada a parte mais conceitual, já que são noções do assunto. O mesmo vale para a Contabilidade”, fala.
E durante a preparação, não pode faltar gás também para o Teste de Aptidão Física (TAF), como alerta o professor. “A preparação para o TAF já deve começar agora. O candidato que se prepara para concursos de carreira policial já sabe que precisa ter tempo para isso. Como o teste físico é muito puxado, não adianta deixar para depois da prova”, alerta o especialista. 

Foco no resultado
Jorge Luiz Medina passou no concurso da PF em 2012, para o cargo de papiloscopista. A receita dele para passar foi o de manter foco no resultado de aprovação no cargo quese quer, mesmo tendo sido selecionado em concursos anteriores. veja seu depoimento: 
"Em 2008, fui aprovado no concurso do Banco do Brasil, porém, a minha intenção era continuar a estudar para outros concursos. Melhorar o perfil salarial era uma das minhas metas, além da realização profissional. Então  passei a me preparar para o concurso da Polícia Federal.  
Ao fazer o concurso do órgão em 2009, consegui pontuação que me classificou para o Teste de Aptidão Física (TAF), mas, infelizmente, não consegui o desempenho mínimo na prova de natação. A partir daí, eu consegui manter a continuidade nos estudos até que fosse lançado o edital seguinte, em 2012, e fui aprovado.
Tomei posse no início de 2013, o que significou aproximadamente três anos de estudos. Quando você começa a conhecer mais a fundo a instituição, a entender a sua abrangência e todas as suas áreas de atuação, você se encanta e fecha o pacto consigo mesmo de atingir esta meta que é ser aprovado no concurso da PF. A minha área de dedicação específica é a Papiloscopia Forense.
Os papiloscopistas confeccionam laudos de identificação de fragmentos de impressões digitais em documentos, materiais colhidos para perícia em laboratório e também em locais de crime.  Hoje, eu tenho cinco anos na PF.  Eu acho que o segredo de qualquer estudante para concursos públicos é a sua capacidade de se manter focado no seu projeto principal de vida que é a sua aprovação.  
Em especial, para o concurso da PF, a preparação física focada nas metas exigidas no edital deve fazer parte das rotinas de estudo. Após a prova teórica, os treinos devem ser intensificados. Na verdade, uma das técnicas motivacionais ‘interessantes’ que eu adotava era visitar, de vez em quando, algum estande de vendas de imóveis. Aquela era a minha maior motivação enquanto eu estudava.
Ver as maquetes com os novos lançamentos imobiliários me transportava para dentro do meu maior projeto de vida que sempre foi morar bem. Hoje, este projeto já foi realizado. Amém!".

Principais pontos do edital
Leitura detalhada 
Uma dica fundamental para quem vai prestar o concurso é que façam a leitura completa e detalhada do edital. “Portanto, independente de qualquer análise de edital por terceiros, é fundamental que o próprio candidato faça sua leitura e veja se está enquadrado nas regras do certame”, destaca a coach de concursos Jesica Lourenço.
Cargos x requisitos  
O candidato precisa se certificar se preenche tudo aquilo que é exigido para o cargo.  Um ponto em comum entre todos os cargos é que os aprovados deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”. 
Etapas
Todos os cargos terão provas objetivas, discursivas, testes físicos, avaliação médica e psicológica. Já o cargo de escrivão terá também uma prova prática de digitação, enquanto que o cargo de delegado contará com prova oral. Os cargos de delegado e perito terão avaliações de títulos. Vale destacar que o candidato somente será considerado aprovado após passar pelo Curso de Formação
Profissional, de caráter eliminatório. 
Pontuação
 A prova objetiva contará com 120 questões, no estilo de formatação “certo e errado”, em que um acerto representa um ponto positivo (1,0), um erro representa um ponto negativo (-1,0), e deixar em branco representa  zero ponto (0,0). Portanto, se não tiver certeza da resposta pode ser mais interessante deixar em branco e não pontuar a marcar errado e perder pontuação.
Prova objetiva
 Em relação às provas objetivas, o candidato deve ter atenção máxima à  pontuação mínima que deve fazer para não ser eliminado,  já que a banca inovou neste critério. “Será reprovado na prova objetiva e eliminado do concurso o candidato que obtiver nota inferior a 48,00 pontos na prova objetiva”, diz  Jesica Lourenço. 
Quanto ao texto dissertativo, a prova discursiva avaliará o conteúdo – conhecimento do tema, capacidade de expressão na modalidade escrita e o uso das normas cultas da Língua Portuguesa. “Se tem dificuldades na elaboração da redação, não deixe para a última hora, pois muitos candidatos conseguem subir várias colocações quando obtêm uma boa nota nas discursivas”, fala a especialista.
Aptidão física
 O candidato deverá estar atento em relação aos parâmetros mínimos que a banca cobrará para cada um dos exercícios, que são barra fixa, impulsão horizontal, corrida e natação. Lembrando que o teste é de caráter eliminatório e um dos mais rigorosos do país.  “Mesmo quem possui bom condicionamento físico deve fazer um treinamento específico focado nos parâmetros do edital”, completa Jesica Lourenço.
Mudanças significativas no conteúdo em comparação com o edital anterior, de 2012, ano do último concurso. “Foram excluídas as matérias de Economia, Administração e Atualidades e, por outro lado, a inclusão da disciplina de Estatística. Há, também, a inovação com a cobrança de Contabilidade para o cargo de Escrivão”, analisa. *Correio 24 horas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments