Sindicato vira as costas aos rodoviários para defender empresários

Jussara Novaes (Sudoeste Digital) - Na contramão da racionalidade, o presidente do sindicato dos rodoviários, Álvaro Souza, caminha a passos largos e trôpegos rumo ao abismo. Nesse caminho sem volta ele não quer se acabar sozinho. Pretende levar consigo sua diretoria e alguns rodoviários, órfãos da combalida Viação Vitória.

Com o fim da contribuição sindical obrigatória, que resulta em enormes perda de receita para bancar a farra com o dinheiro suado do trabalhador, Álvaro  recebeu mais um duro golpe esta semana.

A interdição de 74 ônibus da Vitória, seguida da pronta ação da Cidade Verde em assumir as linhas falidas, com o anúncio da absorção da mão-de-obra dos rodoviários daquela empresa, não estava nos planos dele.

Desesperado com a queda, fingindo e importar com os rodoviários, o inconsequente contra-ataque foi imediato. Primeiro resolveu atacar a imprensa, alegando que os jornalistas e radialistas só estavam preocupados com os usuários do transporte público (como se isso não fosse motivo para se preocupar). A categoria, desconfiada, se afastou dele.

Com motivos, obviamente. Não se esquecerem do abandono quando a Viação Vitória descumpriu um acordo com o Ministério Público do Trabalho (MPT), bateu o pé firme e não pagou salários atrasados, nem tickets alimentação.

Não fosse a arrecadação de alimentos, vaquinhas e doações, os rodoviários da Vitória passariam necessidade - muito embora muitos ainda estejam em situação delicada.

Agora, mesmo com a certeza de que os rodoviários não ficarão desamparados, visto que a Cidade Verde, após assumir as linhas abandonadas pelas sucatas da Vitória e "abraçou a categoria", Álvaro volta a atacar a imprensa e faz birra de menino mimado, dizendo que não quer uma empresa que sempre cumpriu suas obrigações trabalhistas.

Quem não quer mais acreditar no sindicato são os próprios diretores, que começam a renunciar aos cargos da base e os rodoviários, que já articulam eles mesmo ir em busca dos seus direitos, sem atravessadores.

Aos poucos a insatisfação ganha corpo, vozes ecoam pelos quatro cantos da garagem, no terminal, nas rodas de bate-papo, nos grupos de whatsapp. Será o triste fim de um sindicato que mais se assemelha a uma sucursal da Viação Vitória.

Perguntas que surgem, respostas que não vem: É papel de um sindicalista demonstrar tantos vínculos com empresários de ônibus a ponto de dizer que possui o poder sobre qual a empresa deva entrar ou não na cidade? Como explicar?

Não seria a população que depende do transporte público?

Estaria Álvaro falando por alguém?

Como explicar um presidente de sindicato com uma categoria dependendo de donativos e dizer que não aceita a Viação Cidade Verde que paga em dia?

Qual é a verdadeira  prioridade de Álvaro?

Resolver as questões da categoria ou de algum político ou empresário ?

Álvaro do Sintravc está falando por quem?

Quem estaria por trás dele?

A - A Viação Vitória ?
B - Algum empresário de seu interesse?
C - É papel de sindicalista definir os rumos de um serviço essencial?;
D - Álvaro tem solução para as rescisões dos funcionários da Viação Vitória ?
E - Álvaro tem solução para os salários atrasados de mais de 500 funcionários?
F - Por quanto tempo mais os funcionários e seus familiares suportarão ficar sem os seus salários?

Por fim, a pergunta de um milhão de reais:

POR QUE ÁLVARO NÃO QUER A CIDADE VERDE?

O Que a Viação Vitória faz pelo Álvaro que a cidade Verde não faz?

Álvaro teria mais facilidade de atingir seus objetivos com uma empresa irregular ?

E a opinião pública quanto aos serviços prestados pela Viação Cidade Verde?

Terá que se curvar aos interesses desse sindicalista ?

E a opinião pública quando aos desserviço da Vitória?

Terão que aceitar porque Álvaro morre de amores por ela?

E o prefeito Herzem Gusmão?

Terá que se curvar diante dos caprichos de um mero sindicalista que não controla nem o seu sindicato ?

Se o prefeito ceder a  Álvaro, o que irá sugerir para a sociedade conquistense que depende do transporte público ?

Esta resistência declarada e velada de Álvaro teria conexão com o processo judicial que ataca a Viação Cidade Verde ?

Algo muito estranho ocorre dentro do sindicato dos rodoviários e dos interesses deste. O sindicato tem mais de R$1 milhão  a receber da Viação Vitória e isto não incomoda ao Álvaro. Por que?

Toda a diretoria do sindicato vem pedindo exoneração Qual a razão ?

O Ministério Público deve recomendar investigação, o que pode caber até à Polícia Federal,  até porque agora ficou público as ações e intenções dele em manipular pessoas e famílias sofridas, que são os funcionários da Viação Vitória.

A lógica de qualquer sindicalista sério seria conduzir seus associados (motoristas e cobradores) a receber seus salários e ter segurança de emprego.

Que motoristas, cobradores, autoridades e passageiros estejam atentos às essas manobras.

Antes que as respostas venham, e estamos aguardando isso, cabe uma pergunta a Álvaro: "A TUA MENTE, ATUA OU MENTE?"

* Jussara Novaes é jornalista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments