CONQUISTA - Sessão Especial debate atuação da ViaBahia na região Sudoeste

Imagem Câmara Municipal discute atuação da Viabahia na região de Vitória da Conquista durante Sessão Especial
A Câmara Municipal de Vitória da Conquista debateu, em Sessão Especial nesta sexta-feira (4), a atuação da ViaBahia, concessionária que explora os trechos baianos das BRs 116 e 324,  A discussão contou com a participação de várias autoridades, bem como da própria ViaBahia. A reportagem é de Carol Ferraz.




Câmara Municipal de Conquista 

discute atuação da ViaBahia 


Críticas à falta de atuação na região sudoeste - O presidente do Legislativo Municipal, Hermínio Oliveira (PPS) mais uma vez criticou a falta de atuação da ViaBahia na região de Vitória da Conquista, a despeito de cobrar pedágios na região, uma vez que explora a concessão da via no trecho que corta o estado da Bahia, bem como a BR – 324. “A Via Bahia trabalha muito na Região Metropolitana de Salvador, na região da cidade de Feira de Santana e na região do Paraguaçu. Aqui na região sudoeste a Via Bahia faz muito pouco”, disse ele.
O presidente da Câmara cobrou ainda a construção de viadutos nos cruzamentos entre o Anel Rodoviário e outras rodovias e avenidas, como na saída para Barra do Choça, Campinhos, Brumado e Urbis VI. Além disso ele cobrou também a duplicação no trecho entre Planalto e a entrada do distrito de São João da Vitória (Batuque), que segundo ele já deveria ter começado, e também o alargamento do bueiro entre os bairros Nossa Senhora Aparecida e Guarani.
Comportamento de pedestres e motoristas é o grande gerador de acidentes – O inspetor Ramalho, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), frisou que existem trechos da BR 116, coberta pela ViaBahia, que enfrentam situação crítica. Segundo estudo da própria instituição, a maior parte dos acidentes é provocada pela conduta de pedestres e motoristas. Ele destacou que no Anel Viário a maior ocorrência é de atropelamentos, especialmente nos quilômetros 10 e 20. “É um trecho que sofre bastante com acessos irregulares”, disse. O inspetor afirmou que o surgimento de ruas e avenidas que alcançam o anel sem ordenamento de trânsito piora a situação. Ramalho também relatou problemas de falta de iluminação em diversos pontos da rodovia. Ele acredita que uma coletiva entre a ViaBahia, ANTT, PRF, Prefeitura e Câmara pode solucionar esses problemas. 
Anel Viário repleto de pontos críticos - Representando a Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, o secretário municipal de Infraestrutura Urbana, José Antônio Vieira, destacou que a cidade tem trechos bastante críticos envolvendo a BR 116. Ele lembrou que quando projetado, há 20 anos, o Anel Rodoviário Jadiel Matos era completo e contemplava 4 viadutos, iluminação e vias paralelas que não foram implantados em sua totalidade devido à falta de verbas, sendo construído apenas um viaduto, na região do Distrito Industrial dos Imborés. O secretário garantiu que o Governo Municipal está buscando melhorias, principalmente para os trechos críticos do Anel. “A atual gestão vem cobrando a implantação desses outros três viadutos e mais outros que se fazem necessário como os de Campinhos e Simão”, detalhou ele.
Concessionária reconhece problemas e promete soluções coletivas – O representante da ViaBahia, Carlos Bonine, afirmou que está disposto a encontrar soluções e espera a colaboração da Prefeitura, Câmara, ANTT e Estado da Bahia. Bonini frisou que a ViaBahia passa por dificuldades diante da crise econômica e mudanças na política de financiamento do BNDES. “Tivemos dificuldade em tocar alguns projetos”, falou. 
Ele explicou que o contrato da concessionária está sendo revisado e deve incluir obras reivindicadas por comunidades conquistenses. O novo contrato deve atender “a todas as cidades” e não só aqueles que trafegam pela rodovia. 
Sobre o bueiro, que liga os bairros Nossa Senhora Aparecida e Guarani, afirmou que melhorias naquele local não fazem parte do contrato, mas um projeto de sinalização que depende da autorização da prefeitura. o representante da ViaBahia informou que até o mês de novembro a concessionária deve reativar e finalizar obras de iluminação no trecho conquistense da BR 116. 
A respeito do acesso ao novo aeroporto, informou que um estudo está sendo feito. A obra também não faz parte do contrato, mas está sendo avaliada. “Nós temos muito interesse em executá-la”, afirmou. 
Questão afeta até mesmo a segurança pública - O comandante da 92ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), Major Cirilo Costa, morador do conjunto Morada dos Pássaros disse que o cruzamento entre o Conveima e o Morada dos Pássaros, na BR 116, é muito perigoso. Ele lembrou que a 92ª CIPM, responsável pelo patrulhamento na zona rural, utiliza constantemente a BR 116 para chegar às comunidades rurais e também enfrenta os mesmos problemas que a população que utiliza a via. “Nós estamos integrados, esperamos que sejam feitas as melhorias necessárias”, disse ele destacando que as melhorias na BR 116 trarão melhorias também na sensação de segurança da população rural.
Crise econômica afetou sustentabilidade de concessionárias – O superintende de Exploração da Infraestrutura Rodoviária da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Fábio Luiz Lima de Freitas, afirmou que a crise econômica atingiu em cheio as concessionárias. Ele relatou que ao menos seis enfrentam problemas gravíssimos. Além disso, o formato de composição da tarifa que as concessionárias praticam está defasado e houve uma queda de 15% no movimento das rodovias. 
Outra complicação é a mudança na política de financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). A previsão era até 70% de financiamento dos projetos. A taxa não chega a 30% com as mudanças. “Quando você soma todos esses fatores é impossível não dizer que houve uma deterioração desses contratos”, detalhou. Fábio explicou que os contratos estão sendo revisados para uma adequação. Ele ponderou que, mesmo com um novo contrato, existe um limite para a atuação das concessionárias. Sobre a obra do trecho que liga a rodovia ao novo aeroporto, explicou um dispositivo provisório para a entrada do aeroporto deverá ser feito. 
Populares questionam atuação da ViaBahia e cobram soluções
Síndica do Condomínio Vila Verde, Kátia Franco disse que até hoje os moradores do condomínio não tiveram o acesso ao direito de um acesso direto à BR 116. “Nós tivemos um direito tirado. Nós moramos num condomínio e esse acesso foi negado pela ViaBahia. Estamos ali há seis anos e a ViaBahia nunca nos procurou para nada, a Prefeitura também não”, apontou ela reclamando da falta de estrutura do condomínio do Minha Casa Minha Vida. “A gente teve um direito e ele nos foi tirado.
Outra cobrança de acesso à via foi apresentada por Moisés da Silva (Dida), líder comunitário do Vila América, que cobrou da ViaBahia a pavimentação e sinalização do acesso do Anel Viário para o Vila América, conforme foi prometido e avisou que, caso não seja feito, haverá manifestações da comunidade. 
O morador e um dos fundadores do Morada dos Pássaros, Zé da Paz, afirmou que a concessionária “não vale nada”. Ele cobrou presença da empresa no município, apresentação de uma planilha da arrecadação do pedágio na região de Conquista que deve ser entregue à Câmara para fiscalização, e soluções para o cruzamento do Conveima e Morada dos Pássaros.
Já Wesley Brito, líder comunitário do Guarani, lamentou o que considera morosidade da empresa em atender as reivindicações. Ele afirmou que o atendimento a situações de emergência na rodovia não funciona. Segundo Moisés, nenhuma gestão municipal conseguiu atender as demandas. Para ele, as regiões que pedem ações sofrem com o descaso porque são periféricas. (com informações da Ascom/CMVC)

Vereadores discutem situação 
de projetos da ViaBahia


Luís Carlos Dudé (PTB) – O líder do prefeito na Câmara destacou que a resolução dos problemas exige vontade política. “Estamos esquecidos desde 2009 quando esse contrato foi fechado. É necessário que tenham respeito com a cidade de Vitória da Conquista”, apontou o parlamentar. “Faltou vontade política”, apontou ele a causa da demora na resolução dos problemas envolvendo a ViaBahia na região de Vitória da Conquista. Dudé lembrou que a zona aeroportuária de Vitória da Conquista deverá ser inaugurada em breve e da forma como está estruturada a rodovia, haverá ainda mais acidentes automobilísticos na BR 116 devido ao aumento no fluxo de veículos na região. “Queremos uma participação mais efetiva da ViaBahia”, cobrou o parlamentar.

Fernando Jacaré (PT) – O edil ponderou que é preciso encontrar soluções para os problemas apresentados na sessão. Ele condenou a postura de apenas criticar. Segundo Jacaré, a Casa tem cumprido a sua função, debatendo e cobrando as obras no trecho administrado pela ViaBahia. Ele lembrou que o presidente Michel Temer cortou o repasse de recursos federais para esse setor, agravando a situação porque paralisou obras. “Cadê a promessa desse governo?”, questionou. Para o edil, as melhorias são tímidas. “Nós queremos mais”, cobrou. Ele acredita que compreender o contrato é fundamental para identificar o que é possível. Jacaré advertiu que a construção de viadutos e a duplicação de trechos são urgentes.

Álvaro Pithon (DEM) – O edil disse que a ViaBahia trata a Câmara com desrespeito, sequer respondendo aos vários documentos enviados à empresa, muitos inclusive convocando para reuniões para discutir ações que minimizem os problemas que atingem a rodovia no trecho conquistense. Segundo ele, a sua esperança é de que a concessionária mude de comportamento daqui pra frente. “Espero que agora a Via bahia faça realmente aquilo que Vitória da Conquista e a sua comunidade merecem”, disse Pithon.

Adinilson Pereira (PSB) – O vereador foi taxativo. Para ele, a ViaBahia deve apresentar urgente soluções para as reivindicações das comunidades. Ele relatou problemas enfrentados pelos moradores de Lagoa da Flores e cobrou pavimentação para o trecho que liga a Avinor à fábrica Sabão Teiú. Pereira frisou que a região de Lagoa das Flores sofre com o alagamento do acostamento da rodovia que corta a localidade e cobrou uma solução. Em sua fala, lamentou que suas constantes solicitações ainda não foram atendidas. O parlamentar explicou que possui vários documentos que foram encaminhados à concessionária com solicitações diversas. “Mas, nada foi resolvido até o momento”, disse.  

Bibia (MDB) – O Líder da Bancada de Situação na Câmara Municipal disse que a população já está cansada de “blá blá blá” e do jogo de empurra entre os governos municipal, estadual e a ViaBahia. “Nós estamos cansados de blá blá blá. Estamos cansados desse ping pong entre Governo do Estado, do Município e da ViaBahia”, disse ele cobrando ações que resolvam os problemas da BR 116 na região de Vitória da Conquista.

Bibia disse que nos dias que antecederam a sessão especial, houve uma intensificação do serviço de limpeza na BR 116 nos trechos próximos a Vitória da Conquista, fazendo uma maquiagem na região.  “Isso é coisa para enganar”, disse ele.

Valdemir Dias (PT) – O líder da bancada de Oposição acusou o governo Michel Temer de piorar a situação das concessionárias, pois congelou os investimentos na área. Segundo Dias, a Casa tem cumprido sua função, debatendo o tema. “Não vamos desistir. Vamos debater sempre que necessário”, detalhou. O vereador reivindicou a atenção da União e demais instituições para o município. Ele frisou que somente a região do Paraguaçu tem recebido investimentos. “O que estamos cobrando é o valor à vida”, afirmou. Valdemir frisou que Conquista já ultrapassou o Anel Viário e precisa de investimentos. Ele lembrou que cruzamentos, como o Conveima e Morada dos Pássaros, é muito perigoso, ocorrem muitos acidentes e exige um posicionamento da ViaBahia. O parlamentar afirmou que outras regiões sofrem a mesma situação. 

David Salomão (PRTB) – O parlamentar disse que é um equívoco o estabelecimento de pedágios. “É livre a locomoção no território nacional”, disse ele se baseando no que diz a Constituição Federal. Ele cobrou que o contrato entre o Governo da Bahia e a ViaBahia precisa ser cumprido. “É dia e noite arrecadando da população e o contrato não conseguem cumprir”, analisou David Salomão. 

Professor Cori (PT) – O vereador frisou que o congelamento dos investimentos pelo governo Michel Temer agrava a situação de paralisação ou não realização de obras da ViaBahia na região de Vitória da Conquista. Cori destacou que o contrato da ViaBahia, que é de 25 anos, e não previu, por exemplo, o pagamento de outorga pela concessionária. O edil criticou questões como a divisão dos trechos sob responsabilidade da ViaBahia que deverão ser duplicados. “Eu sou radicalmente contra. Eu acho que a duplicação tem que ser de Feira [de Santana] à divisa [com Minas Gerais]”, afirmou. Ele reconheceu que a ViaBahia melhorou as condições da rodovia até Salvador, mas é preciso cobrar o cumprimento integral do contrato e a modernização dos trechos conquistenses. Para ele, é uma questão urgente “porque vidas estão sendo ceifadas”.  

Jorge Bezerra (SD) – O vereador questionou o argumento apresentado pela ViaBahia de que faltam recursos para realizar as obras no treco da BR 116 que corta Vitória da Conquista. “Pra Vitória da Conquista tem que ter recursos de Michel Temer. E o dinheiro arrecadado dos pedágios, está indo pra onde?”, questionou ele. Bezerra cobrou ainda o alargamento do bueiro entre os bairros Nossa Senhora Aparecida e Guarani e culpou os deputados pela falta de atuação da ViaBahia em nossa cidade. “Falta os deputados bananas de Vitória da Conquista, os merdas que dizem representar a nossa cidade, falta se preocuparem com a nossa cidade”, disse o vereador. 

Cícero Custódio (PSL) – O parlamentar acredita que não basta apenas criticar. É preciso apontar soluções. ele lembrou que as cobranças à empresa já foram feitas reiteradas vezes. Para Custódio, além de apontar o problema é preciso também levantar soluções, ideias e projetos porque se trata de uma questão grave e “vidas estão sendo ceifadas”. 

Denis do Gás (PSC) – O vereador reconheceu a movimentação intensa dos colegas vereadores Adinilson Pereira (PSB), Edaime Rosa Bibia (MDB) e Hermínio Oliveira (PPS) a fim de cobrar melhorias nas condições da BR 116. “Tem ceifado muitas vidas e deixando muitos mutilados”, disse ele em referência aos constantes acidentes na via.


Danillo Kiribamba (PCdoB) – O parlamentar afirmou que é preciso ser objetivo nessa problemática. “O que a ViaBahia faz aqui em Conquista é uma vergonha”, disse. Kiribamba relatou que o trecho do Paraguaçu é outra realidade. Em contrapartida, o trecho entre a Serra do Periperi e Lagoa das Flores recebeu postes e lâmpadas, mas a iluminação ainda não foi efetivada. Para ele, é má vontade da empresa, porque já são mais de dois anos à espera. “É preciso uma atenção maior com Conquista”, detalhou. Em Veredinha, água encanada não chegou porque não foi possível ainda fazer um recorte no asfalto da rodovia. Ele ainda lembrou que entradas de localidades à beira da BR 116 são palcos de muitos acidentes, inclusive com mortes, pela falta de ações da Via bahia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments