ESPAÇO DO LEITOR | CENTRO GLAUBER ROCHA – Educação e Cultura

Imagem Blitz Conquista/20.8.18
Segundo relatos que tive acesso, no início da década de 1950 o município de Vitória da Conquista doou ao governo federal um terreno à margem da Br -116 (Rio-Bahia) para a construção da sede regional do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem – DNER-, atual DNIT. Por esse motivo, o bairro onde se localizava o terreno doado ficou sendo designado de Departamento, que é o atual Bairro Brasil, onde moro.

Com a desativação de grande parte das atividades que ali eram realizadas pelo DNER, a prefeitura municipal, nas gestões do governo do Partido dos Trabalhadores, reivindicou à Secretaria Nacional do Patrimônio da União, durante o Governo Lula, a reincorporação daquele espaço ao patrimônio do município.
Na última gestão do prefeito Guilherme Menezes concretizou-se o retorno de parte daquela área, cerca de 25 mil m², ao município, onde foi construído o Centro Glauber Rocha, com recursos próprios do governo municipal, e com os seguintes equipamentos:

1 - Área de eventos, com palco, camarins,praça de alimentação, instalações sanitárias e espaço para comportar um público superior a 30 mil pessoas, como aconteceu por ocasião das festividades do São João e, principalmente, do Natal no ano de 2016. Vale lembrar que a Praça Barão do Rio Branco não cabia mais tanta gente que ia participar desses inesquecíveis eventos com Milton Nascimento, Cidade Negra, Nando Reis, Teatro Mágico, Gal Costa, Lenine e tantas outras atrações.
No Glauber Rocha, além da ampliação imensa do espaço, ações de segurança foram reforçadas pelo governo municipal, com o apoio da polícia militar e do corpo de bombeiros, além de detectores de metal e vídeo-monitoramento, para que a população pudesse desfrutar desses momentos festivos com a tranquilidade necessária. E eu sempre estava lá com toda minha família;
2 – Mercado de artesanato;
3 – Casa da Capoeira, para a preservação dessa cultura por seus mestres e alunos, com a presença de luthier (fabricante e reparador) de instrumentos de percussão e berimbau;
4 – Luthieria de instrumentos de cordas
5 – Planetário Municipal - com todos equipamentos comprados e pagos pela gestão anterior, necessitando ser instalados – como apoio qualificado à educação da rede municipal, à formação pedagógica e à cultura, contando, também, com espeço para exposições de arte e reuniões;
6 – Conservatório Municipal - aulas de piano, violão clássico e popular, viola, flauta e saxofone, canto coral infantil e adulto, teoria musical e iniciação à composição, além de auditório para concertos e apresentação dos alunos, dotado, inclusive, com piano de cauda. Eram 11 professores e cerca de 750 alunos, em três turnos, no governo anterior. Hoje, restam apenas 7 professores, com a consequente e lamentável redução de alunos;
7 – Há, também, ali, espaço reservado para a construção da Casa da Filarmônica.
Assim, como filha e moradora desta cidade, nascida no Bairro Brasil, fico triste em ver o descaso com que tem sido tratado aquele espaço.
Sei que Vitória da Conquista precisa de áreas de estacionamento de veículos, como praticamente todas as cidades deste porte, mas o Centro Glauber Rocha não foi construído com essa finalidade. É necessário que a atual gestão municipal preserve e amplie as obras e ações que ali foram deixadas pelo governo anterior porque o Centro Glauber Rocha pertence à cidade com todos os segmentos de sua população.
Bruna Nogueira, historiadora

Comments