ITAPETINGA - Sargento da PM é preso acusado de estuprar a sogra de 70 anos

Imagem relacionada
Foi transferido na manhã desta terça-feira (28) para a Corregedoria Geral da Polícia Militar, em Salvador, o sargento de 47 anos acusado de abusar sexualmente da própria sogra, uma idosa de 70 anos de idade, com problemas de saúde. O crime teria acontecido no bairro Otávio Camões, na cidade de Itapetinga, na manhã do dia anterior. A família da suposta vítima disse que a mesma sofre de distúrbios mentais.

Resultado de imagem para washington é candidato a vereador itapetinga
A esposa do acusado retornava da academia junto com a filha, quando flagraram o sargento da Polícia Militar abusando sexualmente da idosa. Em seguida, elas procuraram a Polícia Civil e narraram o caso, que logo chegou ao conhecimento de moradores da localidade. As informações são dos sites Itapetinga Repórter e Itapetinga Agora.

O delegado regional, Antônio Roberto Júnior, disse que realmente tomou conhecimento da ocorrência e que todos os procedimentos foram realizados, inclusive, a vítima passou por exame de corpo delito no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

O delegado informou ainda que não poderia passar mais informações para a imprensa, porque os detalhes dos autos correm em segredo de justiça por se tratar de denúncia de crime sexual, mas os sites informaram tratar-se do sargento Washington, que inclusive foi candidato a vereador nas últimas eleições municipais.

Prisão Na noite de segunda-feira (27) o sargento foi preso em casa, no mesmo bairro onde teria acontecido o delito. Pessoas mais próximas ao acuado revelaram que, em depoimento, o sargento teria afirmado que a relação foi consensual. A defesa não se manifestou.

A prisão em flagrante foi realizada pela própria Polícia Militar e o acusado conduzido ao complexo policial de Itapetinga, onde foi autuado por estupro de vulnerável. Durante depoimento, o policial preferiu ficar em silêncio, dizendo que falaria apenas na presença do seu advogado.

Durante a conversa com o site Itapetinga Repórter, o comandante da 8ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), Haroldo de Araújo Horta, disse que o acusado aparentava tranquilidade e não resistiu à prisão. Ele será julgado pela justiça comum e, se condenado, será expulso da corporação. O denunciado é lotado na 8ª CIPM e atualmente estava trabalhando em Itapetinga.

O caso gerou grande repercussão nos bastidores dos órgãos de segurança pública e até nas redes sociais. Até mesmo porque o policial era conhecido como um grande profissional, respeitador e cumpridor das leis.

Comments