NOVELA SEM FIM - Para a justiça, os ônibus da Serrana não são sucatas. E agora?


O patrimônio garantidor dos direitos de mais de 500 famílias pode estar tirando o sono de alguns e despertando outros. No epicentro da insônia está a instituição que deveria ter sido a guardiã de tudo: o Sintravc e seu presidente, Álvaro Souza.

CLIQUE AQUI e entenda o caso.

Os fantasmas sempre retornam. Nesse momento os ex-funcionários da Viação Serrana estão descobrindo, por força dos fatos, o quanto foram mal representados em seus direitos, infelizmente  negligenciados.

“O que mais dói é que por cinco anos, mesmo tendo a Viação Serrana deixado de operar, continuamos filiados e pagando mensalmente o Sintravc, justamente para que eles cuidassem de nossos direitos e do patrimônio garantidor. Igual a nós, centenas de outros, em vão, pensaram assim", lamentam os rodoviários Arnaldo e Cléber. "Triste olhar a garagem sucateada", emendam.

Uma sucata que ninguém se aventura mexer. Mas, por que?

A Construtora PEL arrematou em leilão apenas o terreno da Viação Serrana. Como condição a empresa adquirente exige que os ônibus sejam retirados de lá para que, assim, seja concluído o processo.

Enquanto isso o sindicato dos rodoviários não mexe e tampouco remove os veículos visando dar  cabo às indenizações, após cinco anos de espera, ainda que ao valor seja  1/4 daquilo que é devido à categoria.

Conversando com especialistas para tentar entender as razões da não remoção das sucatas, percebemos que há muito mais do que se imagina ser uma simples remoção de ferro-velho.

Na garagem não repousam simples restos do que foi um bem público.Aquela frota, embora para muitos pareça sucata, para a Justiça são ônibus, com identidade ou chassis. Todos arrolados em processos judiciais de toda sorte ou natureza: tributários, trabalhistas ou cível.

Argumentam que, provavelmente, existam registros judiciais das condições em que esses veículos foram deixados, na madrugada do dia 5 de janeiro de 2014 - último dia de operação da empresa. E mais, a situação atual de sucateamento vai provocar questionamentos da Justiça em diversas instâncias e envolverá muitas pessoas.

Tivemos acesso ao rol de perguntas que devem ser respondidas:

A - Como estão os documentos desses carros?
B - Quantos eram na madrugada do dia 5 de janeiro de 2014?
C - Quantos restaram no terreno que um dia foi a garagem?
D - Em quais e em quantos processos (tributários, cível e trabalhista) cada carro deste está arrolado como penhora?
E - Poderiam ser vendidos como ferro-velho?
G - Quem assumirá a tutela desses veículos?
H - Para onde leva-los já que configuram em outros processos?

O presidente Álvaro foi zeloso? teria ele elementos, provas judiciais para comprovar que denunciou a invasão da garagem da Viação Serrana e alertou as autoridades que o patrimônio “derretia”?

Por fim, como o sindicato dos rodoviários enfrentará os questionamentos judiciais, por assistir os bens garantidores de direitos trabalhistas sagrados serem dilapidados e sucateados por cinco anos?

Esqueletos no armário!

Uma comissão composta por rodoviários e ex-rodoviários se organizam contratando advogados para responsabilizar o sindicato e o presidente da instituição. A novela continua.

Um comentário:

  1. Se o nosso sindicato incompetente falasse com a justiça que aquelas sucatas que está lá e da vitória e não nosso

    ResponderExcluir

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments