URGENTE - POLÍCIA CIVIL PRENDE AUTORES DA MORTE DE ATIVISTA LGBT


A Polícia Civil anunciou, nesta terça-feira (21), a prisão de dois indivíduos que assassinaram, a golpes de faca, o ativista e líder do grupo LGBT, Marcos Cruz Santana, conhecido por Marquinhos Tigrezza. O crime ocorreu na madrugada do último sábado (18), na cidade de Itororó com requintes de crueldade.



REPORTAGEM RELACIONADA


MACABRA COINCIDÊNCIA - Há 10 anos outro "Marquinhos LGBT" também foi morto a facadas em Itororó



O anúncio foi feito pelo Coordenador de Polícia, Roberto Júnior, que desde o conhecimento do fato coordenou e atuou diretamente nas investigações do bárbaro crime, juntamente com sua equipe e o Delegado de Itororo Frank Nogueira, com os investigadores de Itororo.

Isaias Andrade de Souza Júnior, o Quenã, de 24 anos, que se declarou homossexual e Josenilton Ferreira Sousa, o Jota, de 26 anos, confessaram o assassinato e deram detalhes do crime, que ocorreu após a saída dos autores e vítima de uma festa que acontecia na praça principal de Itororó.

Durante os interrogatórios ficou claro que a vítima se fazia acompanhada dos seus algozes durante e depois da festa e que o trio caminhou até próximo do local onde aconteceram os golpes de faca, que culminaram na morte de Tigrezza.

Segundo o delegado Roberto Júnior, Quenã segurou a vítima pelos cabelos, por trás, enquanto Jota lhe desferiu um golpe no pescoço. Com a vítima, já no chão, Jota golpeou Tigrezza na perna e em seguida decepou seu órgão genital.

O delegado ainda afirmou que a motivação está ligada a uma suposta ameaça feita pelo ativista a Josenilton Jota, que não mais queria se relacionar amorosamente com a vítima.

“Ele queria transar comigo novamente e disse que se eu me negasse, contaria tudo na rádio. Fiquei com medo de perder minha esposa e resolvi matá-lo”, revelou Josenilton Jota ao delegado.

Equipes da Polícia Civil, tanto de Itapetinga como de Itororó, desde a madrugada do domingo estão em campo investigando e tinham Quenã e Jota como principais suspeitos, inclusive, com imagens de câmeras de circuito fechado de TV em que mostram vítima e autores juntos momentos antes do homicídio.

Diante do cerco fechado pelos policiais civis, os autores resolveram confessar o bárbaro assassinato. Ambos ficarão custodiados na carceram do Complexo Policial de Itapetinga, à disposição da justiça criminal de Itororó, ficando descartado por completo que a motivação do crime tivesse conotação homofóbica e sim um crime passional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments