VÍDEO DA AÇÃO - Bandidos do PCC liderados por Nem Bomba roubaram malotes com R$ 400 mil em shopping no ES


Integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), organização criminosa com ramificações em vários estados do Brasil, arquitetaram e executaram o assalto a um carro-forte no térreo do Shopping Vila Velha ocorrido no dia 15 de maio. A informação é do chefe do Departamento de Investigações Criminais (DEIC), delegado Romualdo Gianordolli, que identificou como líder da quadrilha e mentor do assalto é Willians Alves de Souza Filho, o "Nem Bomba", 36 anos.




Natural de Vitória da Conquista, e atualmente o bandido mais procurado da Bahia, ele é intitulado líder da facção Bonde do Nem Bomba BNB/TD2, ligada ao PCC. As informações foram publicadas nesta terça-fera (28) pelo Jornal Gazeta Online e também veiculadas pela Record TV do Espírito Santo.


Nem Bomba segue foragido. Na ocasião, R$ 400 mil que estavam divididos em malotes foram levados pelos criminosos. Foram seis criminosos envolvidos na ação, sendo que quatro deles acabaram presos pela Polícia Civil.


Resultado de imagem para nem bombaO cunhado e braço direito de Nem, Alisson Silva Souza, o "Pivete", 24 anos, que também é de Vitória da Conquista, foi preso em Vitória. Outro conterrâneo e integrante da quadrilha, Cássio Moraes dos Santos, o "Cassim", 29 anos, está foragido. Ewerton Zotelle, 25 anos, o "Tom", também integrante do PCC, foi preso em Ataíde, Vila Velha; Warlon Ferreira Alexandre, 20 anos, de Linhares, foi preso em Mucuri, na Bahia; Grisley Menelli Bremenkamp, o "Grilo", 24 anos, foi preso em São Mateus.

De acordo com o delegado Romualdo Gianordolli, a quadrilha, especializada em roubos a bancos e cargas, também pretendia assaltar uma agência bancária em Jacaraípe. “Eles já tinham uma organização criminosa na Bahia, que é muito conhecida lá.

Lá, eles conseguiram se associar ao PCC para facilitar, principalmente, a compra de drogas e armas. Mas vieram para cá de forma independente. Eles já estavam planejando outro assalto a uma agência bancária, na Serra, mas frustramos esses planos com as prisões”.

Em apenas poucos minutos, R$ 400 mil foram roubados durante um assalto no Shopping Vila Velha, que fica no bairro Divino Espírito Santo. O crime aconteceu por volta das 7h45 do dia 15 de maio , quando três bandidos armados invadiram o local. O trio rendeu vigilantes de um carro-forte e roubaram os malotes de dinheiro.

A quantia roubada seria usada para abastecer os caixas eletrônicos do shopping. Segundo testemunhas, os criminosos usavam uniformes de técnicos em manutenção e chegaram em um carro. A polícia e o shopping não informaram como os bandidos entraram no local sem levantar suspeitas. Mas, segundo testemunhas, eles teriam invadido o shopping por uma rua de acesso, que fica perto de uma faculdade.

Três funcionários da TBForte saíram do carroforte, estacionado em um local de carga e descarga do lado de fora, enquanto um quarto vigilante ficou no veículo. Como de praxe, eles seguiram em fila indiana.

O chefe da equipe, que era quem levava os malotes, ficou no meio da fila, enquanto os dois funcionários davam apoio na frente e atrás. Já no interior do estabelecimento, os três criminosos, que estavam armados, abordaram o funcionário de apoio que estava na frente da fila indiana, colocando uma arma na cabeça dele.

O chefe da equipe que estava logo atrás chegou a sacar a arma, mas os bandidos ameaçaram atirar no colega rendido. O chefe da equipe decidiu não agir, mas mesmo assim foi agredido com coronhadas. Enquanto isso, o funcionário de apoio que estava no fim da fila conseguiu fugir.

Os três bandidos obrigaram os dois funcionários a deitarem no chão e recolheram as bolsas contendo R$ 400 mil, além dos dois revólveres calibre 38 das vítimas, 18 munições de calibre 38 e 27 de calibre 12. Depois, os criminosos fugiram descendo as escadas rolantes e entraram em um Honda Fit prata, que estaria dentro do estacionamento do shopping.

Na fuga, como os portões de uma das cancelas ainda estavam fechados, os bandidos jogaram o carro contra as grades para escapar. Pessoas que malhavam em uma academia dentro do estabelecimento chegaram a testemunhar parte da ação dos assaltantes.

Elas informaram ao Ciodes que viram três homens armados entrarem no shopping e que eles chegaram a apontar armas para pessoas que haviam terminado o treino e seguiam para a saída.

BANDIDOS USARAM CARRO COM PLACA ADULTERADA 

O carro Honda Fit, de cor prata, usado pelos assaltantes para fugir do shopping após a ação criminosa foi localizado abandono na rua José Resende Filho, em Divino Espírito Santo, Vila Velha, na tarde de terça (15).

Moradores informaram a polícia sobre a localização do veículo. Policiais da Delegacia de Roubo a Banco fizeram levantamentos no local. Peritos patrimoniais da Polícia Civil também trabalharam no veículo.
O carro estava danificado no teto por ter avançado sobre o portão de saída do shopping, após o roubo. No interior do veículo foram recolhidas cinco munições intactas de calibre 380, luvas usadas pelos bandidos e um rádio comunicador.

Após a perícia, o veículo e o material apreendido foram entregues na Divisão Patrimonial. A identificação do carro estava adulterada. A placa do Honda Fit, PYD 5276, pertence a outro veículo, que possui características completamente diferentes. A polícia não informou se o Honda Fit era roubado ou furtado.

Líder do tráfico de drogas em Vitória da Conquista já havia sido preso no Espírito Santo 

RELEMBRE

Em outubro de 2013  a Polícia Federal do Espírito Santo prendeu Willian Chaves de Souza Filho, 31 anos, o Nem Bomba, considerado pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP) um dos traficantes mais procurados do estado. Nem Bomba, o “8 de Ouros” do Baralho do Crime da SSP, foi preso no Balneário de Guriri, em São Mateus, região norte do Espírito Santo, em cumprimento de um mandado de prisão expedido em 2011, pela Vara do Júri de Vitória da Conquista.

Segundo a Polícia Federal do Espírito Santo, Willian morava no local há quatro anos e se passava por comerciante e proprietário de uma loja de aparelhos celulares no balneário, se apresentando com o nome falso de Luiz Carlos da Silva. Na casa dele foram apreendidos um título de eleitor e duas carteiras de identidade, todos falsos, além de dois papelotes de cocaína, um coldre, uma munição calibre 38 e uma arma de choque elétrico imobilizadora.

Nem Bomba liderava uma das principais facções do tráfico de drogas na cidade de Vitória da Conquista, abastecendo com armas e drogas traficantes dos bairros Pedrinhas, Alto Maron e Panorama. De acordo com o delegado Neuberto Costa, titular da Delegacia de Homicídios de Vitória da Conquista, a prisão foi o resultado de seis meses de investigação. Segundo o delegado, mesmo fora de Vitória da Conquista, Nem Bomba ainda comandava o tráfico na região, além de fornecer armas. 

No início de agosto daquele ano, a Polícia Civil apreendeu uma metralhadora Beretta, calibre 9 mm, de fabricação italiana e munições de diversos calibres, em uma casa no bairro Petrópolis em Conquista. Na ocasião, Amanda Carvalho de Almeida, 20 anos, namorada de Nem Bomba, Hudson Santos Freire, conhecido como Hudão, 28, braço direito do traficante, Ramon Martins Batista, 24, e Grazielle Brito Barroso, 26, todos jovens de famílias de classe média, foram presos.

De acordo com informações da Polícia Federal há indícios de que “Nem” fornecia explosivos utilizados em assaltos a bancos nos estados da Bahia e Espírito Santo. Segundo o delegado Neuberto Costa, Nem Bomba responde por tráfico de drogas e três homicídios e chegou a ser preso em 2005, mas fugiu do presídio Nilton Gonçalves, em Vitória da Conquista, indo para a região de Cabrália e posteriormente para o Espírito Santo.

Nem Bomba foi conduzido para o Centro de Detenção Provisória (CDP ) de São Mateus/ES, onde ficou custodiado à disposição da Justiça Baiana e depois transferido para Vitória da Conquista. Levado a julgamento, ele foi inocentado, mas ainda responde por diversos outros crimes e passou a ser procurado pela polícia em todo o país.

Ainda em 2013 a Delegacia de Homicídios de Vitória da Conquista encaminhou à Justiça o pedido de prisão preventiva para 25 pessoas, integrantes de organizações criminosas ligadas ao tráfico de drogas e homicídios na cidade. Além dos crimes que já foram imputados, Willian também responderá por posse de munição sem autorização, posse de entorpecentes e uso de documentos falsos. (Correio 24 Horas)

Comments