CADEIA - Dono da rede de farmácias Pague Menos é preso em Fortaleza

Deusmar Queirós, da Pague Menos (Foto: Divulgação)
O empresário Francisco Deusmar de Queirós, sócio e fundador da rede de farmácias Pague Menos, uma das maiores do país, continua preso. Ele foi detido na noite de sábado (8), em Fortaleza, por crime contra o sistema financeiro.


Os advogados de Queirós destacam que ele se apresentou voluntariamente à Polícia Federal após decisão judicial determinando sua prisão. "O objeto do processo que gerou a apresentação se refere à sua atuação à frente da Renda Corretora de Valores entre 2000 e 2006. A ação ainda está em curso e a condenação não é definitiva. A defesa continua acreditando na Justiça e na sua absolvição", disse, em nota divulgada domingo, o escritório Rocha, Marinho e Sales Advogados e Marcelo Leal Advogados Associados.

Atualmente em fase de expansão para o Sudeste, a rede cearense tem 168 unidades e faturou R$ 6,3 bilhões no ano passado. A previsão é encerrar este ano com 1,2 mil lojas e vendas de R$ 7 bilhões. Com esse porte, a companhia tem uma atuação equivalente à cerca da metade da Raia Drogasil, líder do setor e presente em 22 Estados.

A rede Pague Menos chegou a cogitar uma abertura de capital em 2012, mas acabou desistindo do projeto de chegar à Bolsa paulista em 2013. Dois anos mais tarde, o fundo de private equity (que compra participações em empresas) General Atlantic comprou 17% do capital da companhia, em uma operação de R$ 600 milhões. A empresa ainda tem intenção de chegar à B3, mas somente a partir de 2020.

Fora do conselho

Diante da prisão de seu fundador, a Pague Menos nomeou o atual diretor-presidente, Mário Henrique Alves de Queirós, para o cargo de presidente do conselho de administração, que ainda era exercido por Deusmar Queirós. "O processo judicial ao qual o fundador da companhia, Deusmar Queirós, responde não possui qualquer relação com a rede. Todas as informações sobre o processo foram prestadas de maneira transparente pela Pague Menos em seus formulários de referência", disse a companhia, em nota.

STJ autorizou prisão

A ordem de prisão de Deusmar partiu da 12ª Vara da Justiça Federal do Ceará e foi tomada cumprindo a determinação do ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O fato de ser condenado em segunda instância, por crimes contra o sistema financeiro nacional, foi apontado pelo ministro do STJ como justificativa para o início do cumprimento da pena de 9 anos e 2 meses por crimes contra o sistema financeiro nacional.

A jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, como o ministro destacou, permite a antecipação da execução da pena. A condenação, além da pena, prevê multa de multa de 2.500 salários mínimos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments