ELEIÇÕES NA OAB |Candidatos à presidência da OAB-BA sobem tom em debate


Os advogados Fabrício Castro de Oliveira e Gamil Föppel, que são candidatos à presidência da seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA), subiram o tom, em um debate na rádio Metrópole, Salvador, mas os adversários também apresentaram propostas.
Cada um prometeu, se eleito, lutar pelo piso salarial da classe. “É mais uma coisa que a atual gestão poderia ter feito e não fez. A gestão que está há 11 anos e cinco meses no poder e não fez. Parece que só lembram do piso na véspera das eleições”, cutucou Gamil, que disse que a administração de Luiz Viana Queiroz, que apoia Fabrício, não tem “prestígio político” por essa razão a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) ainda não aprovou a matéria.

O candidato da situação rebateu. “Lamento que a oposição não apoie as lutas da OAB. Ele não apoia. Só critica. Não vem colaborar. A luta do piso é uma luta permanente”, disse, ao prometer que vai fiscalizar os escritórios para saber se cumprem o piso salarial. Gamil negou.

“Tudo na atual gestão da OAB é falso. Não fui chamado para assinar petição nenhuma”, falou, ao salientar que é “perseguido” pela instituição. Fabrício afirmou que o adversário solicitou documentos da entidade, mas nunca fui buscar.  “Preferiu entrar na Justiça e a ação dele foi extinta. Ele foi condenado a pagar honorários aos procuradores da OAB”, declarou. O oposicionista ressaltou que recorre da decisão.

O oposicionista acusou a gestão de Luiz Viana de ter aliados prestando “serviço renumerado à OAB”. “A classe me conhece e sabe que nós adotamos a impessoalidade. Não há ninguém da Ordem ligado à gente. Fazemos todas as contratações com cotações de menor preço. Temos uma gestão transparente”, retrucou Fabrício. Gamil afirmou que a administração atual tem tomado decisões “atrasadas”, ao falar sobre o fechamento de comarcas. Também disse que a OAB-BA está “acocorada em relação ao governo do estado”. (Por Rodrigo Daniel Silva/Tribuna da Bahia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments