MÁFIA DAS VANS | Prefeitura admite comércio ilegal e desativa pontos de embarque e desembarque

Resultado de imagem para vans sudoeste digital
As denúncias de compra e venda de pontos ilegais, além de comercialização de linhas no transporte clandestino, denunciada há meses pelo Sudoeste Digital/TV Conquista, foi finalmente admitido pela Prefeitura de Vitória da Conquista.
Segundo o Conselho de Segurança (Conseg) e um relatório técnico encomendado pela Prefeitura, existem mais de 600 clandestinos em atividade na cidade, entre vans e carros de passeio.

Ainda conforme apurado, existe a participação de agentes públicos em transações ilícitas, porém nada foi apurado até o momento. Fontes garantem que a "diária" ou "pedágio" para que as vans utilizem os pontos centrais varia entre R$30,00 e R$50,00. Todas as denúncias estão sendo investigadas, o que não descarta eventual quebra de siligo telemático (telefônico) e/ou fiscal dos acusados.

RELEMBRE
EDITORIAL - Que Deus nos livre das milícias e dos ventos quentes do Rio de Janeiro

Como resposta, o prefeito Herzem Gusmão (MDB) determinou a desativação de todos os pontos de embarque e desembarque,inclusive os que ficam em locais estratégicos, com elevado fluxo de passageiros, como nas proximidades do terminal de ônibus da Avenida Lauro de Freitas e Viaduto "Bigode de Pedral", na Avenida Régis Pacheco.

"A Prefeitura foi informada que os pontos são negociados por aquele que se acham donos. A operação visa desarticular o sistema ilegal das vans clandestinas do transporte urbano em Conquista".
      
“Os atuais pontos existentes, inclusive o do viaduto da avenida Regis Pacheco [Bigode de Pedral], serão desativados. A nenhuma van será permitido o estacionamento em qualquer ponto no Centro da Cidade", declarou o prefeito, em nota ao Blog da Resenha Geral.

"A Prefeitura foi informada que os pontos são negociados por aquele que se acham donos. A operação visa desarticular o sistema ilegal das vans clandestinas do transporte urbano em Conquista”, emendou.

A medida, determinada a ser cumprida imediatamente por agentes de fiscalização da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (SEMOB), abrange todos os pontos e faz parte de uma ofensiva contra o transporte clandestino. De acordo com a Prefeitura, as apreensões desses veículos acata uma recomendação da promotora de Justiça, Lucimeire Carvalho.

Nos últimos anos os clandestinos têm se apropriado do transporte púbico, de seus passageiros, dos pontos de embarques e desembarques construídos pelo concessionário (Empresa de ônibus) e causando danos aos cofres públicos ao não depositar o Imposto Sobre Serviço (ISS), estimado em mais de R$1 milhão por mês.

Como se não bastasse, se apropriam do espaço público, das calçadas e fachadas dos imóveis para suas operações e, assim, fazer dinheiro nos espaços alheios. A cidade fica na condição de refém, assaltada em seus espaços - a bem do enriquecimento ilícito, em todos os sentidos - pela clandestinidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments