CONQUISTA | Críticas ao governo Bolsonaro e reforma da Previdência marcam a Marcha das Mulheres



SUDOESTE DIGITAL (Conteúdo exclusivo) - Com o tema "Pela vida das Mulheres, em defesa das liberdades democráticas e contra a reforma da previdência" centenas de pessoas, a grande maioria de mulheres, seguiram por ruas, avenidas e prédios públicos de Vitória da Conquista, na 4ª Marcha das Mulheres, com críticas e protestos aos governos municipal e federal e contra a reforma da Previdência.

O ato, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, teve início às 8h30 na Praça Barão do Rio Branco, seguindo em direção à Prefeitura, Câmara Municipal e sede regional do INSS. De acordo com os organizadores, mais de 50 entidades, entre elas sindicatos, ONGs e coletivos, participaram do ato.

⇦ Em discurso na Câmara Municipal, a vereadora Nildma Ribeiro (PCdoB) frisou que o 8 de Março é um dia de luta das mulheres, de sair às ruas reivindicando direitos. 

Ela explicou que aderiu à Marcha das Mulheres porque é uma luta que busca melhores condições para as mulheres, o fim de todos os tipos de violência, sobretudo o feminicídio. A parlamentar agradeceu a acolhida da Câmara ao manifesto da marcha. 

A vereadora Viviane Sampaio (PT), por sua vez, destacou que a lutas das mulheres é política e social. Ela afirmou que é importante a Casa receber o manifesto e as organizações que promovem a Marcha. 

“Nós que estamos aqui não somos convidadas para estar no movimento das mulheres. Nós, enquanto mulheres, temos o direito e a obrigação de nos fazermos presentes. Nós não precisamos esperar sermos convidadas. Nós precisamos conquistar os nossos espaços, que são espaços de luta, de conquistas, de reivindicações e espaços de resistência”, reforçou.


Na tribuna da Câmara, a presidente do Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista (Simmp), Ana Cristina Novais apresentou reivindicações do movimento à Casa. 

Em seu discurso, Ana salientou que várias mulheres da zona rural estavam presentes e destacou que as condições das estradas e escolas rurais estão precárias.


Ela também se manifestou contra a Reforma Trabalhista do governo Michel Temer e contra a Reforma da Previdência do governo Jair Bolsonaro, as quais ela considerou serem prejudiciais para as mulheres. Ainda em sua fala, a sindicalista criticou as ações da Prefeitura que, segundo ela, “prejudicaram as mulheres e retiraram direitos no ano passado”.

Imagem Câmara recebe manifesto da Marcha das Mulheres
As participantes da marcha entregaram um manifesto em nome das mulheres trabalhadoras do campo e da cidade, o qual também foi entregue à Prefeitura Municipal, ao Banco do Nordeste e à Gerência do INSS. “Não é um papel para ser guardado, se fosse, seria entregue em branco”, comentou a representante.

A inspiração para a criação da Marcha Mundial das Mulheres (MMM) partiu de uma manifestação realizada em 1995, em Quebec, no Canadá, quando 850 mulheres marcharam 200 quilômetros, pedindo, simbolicamente, “Pão e Rosas”.  

No final dessa ação, diversas conquistas foram alcançadas, como o aumento do salário mínimo, mais direitos para as mulheres imigrantes e apoio à economia solidária.


CONFIRA IMAGENS EXCLUSIVAS DO EVENTO


























Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments