GREVE GERAL || Professores da Uneb e Uesb entram em greve por tempo indeterminado

Docentes da Uesb irão iniciar a greve na terça-feira, 9
Os professores da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) e da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) decidiram entrar em greve por tempo indeterminado, após se reunirem em assembleia geral, nesta quinta-feira, 4. Já os docentes da Universidade Estadual De Santa Cruz (Uesc) votaram pela manutenção do estado de greve.
A votação na Uneb aconteceu no teatro da instituição, no bairro do Cabula, em Salvador. Foram 141 votos a favor da paralisação imediata. A categoria ainda vai deliberar os próximos rumos da greve. A decisão começa a valer a partir da próxima segunda, 8.
Na quarta, 3, os docentes, que estavam em estado de greve desde o último dia 28, ocuparam o prédio da reitoria da universidade como parte da agenda de mobilização.
Segundo a Associação dos Docentes da Universidade do Estado da Bahia (Aduneb), mesmo após uma reunião com o governo na quarta, quando foi apresentada uma proposta como parte das reivindicações, a avaliação da categoria é de que nenhuma proposta concreta foi apresentada.
A Aduneb ressaltou ainda que, conforme a lei, a greve só começará 72h após a decisão tomada nesta quinta. Dentre as exigências, estão o respeito aos direitos trabalhistas (confira as pautas de reivindicações abaixo).
Com a greve, todos os 24 campi da instituição no estado estarão fechados até que haja uma negociação com o governo e as demandas sejam atendidas.
Uesb
Na tarde desta quinta, os professores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), em Vitória da Conquista (distante 517 Km de Salvador), também decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. 
As atividades docentes na Uesb serão suspensas a partir da terça, 9, Antes, na próxima segunda, eles fazem uma nova reunião com o governo.
Professores da UESC esperam negociação com o governo para decidir de irão deflagrar greve

Já os professores da Universidade Estadual De Santa Cruz (Uesc), em Ilhéus (a 472 km de Salvador) votaram nesta quinta pela manutenção do estado de greve. 
A categoria aguarda respostas em relação às reivindicações na primeira rodada de negociação, agendada para segunda. O resultado será avaliado em assembleia na quarta, 10, quando a deflagração da greve volta a ser apreciada.
A Secretaria de Educação do Estado afirmou que o assunto já está sendo discutido e se pronunciará em breve. | A Tarde

REIVINDICAÇÕES DOS PROFESSORES E ESTUDANTES DA UNEB

Professores

- Destinação de, no mínimo, 7% da Receita Líquida de Impostos (RLI) do Estado da Bahia para o orçamento anual das universidades estaduais. Atualmente esse índice é de aproximadamente 5%;

- Reposição integral da inflação do período de 2015 a 2017, em uma única parcela, com índice igual ou superior ao IPCA;

- Reajuste de 5,5% ao ano no salário base dos docentes para garantir a política de recuperação salarial, referente aos anos de 2015, 2016 e 2017;

- Cumprimento dos direitos trabalhistas, a exemplo das promoções na carreira, progressões e mudança de regime de trabalho. Atualmente, mais de 400 professores possuem seus direitos à promoção negados pelo Estado;

- Ampliação e desvinculação de vaga/classe do quadro de cargos de provimento permanente do Magistério Público das Universidades do Estado da Bahia.

Estudantes

- Exigência do programa acompanhamento de saúde mental dos estudantes;

- Exigência do repasse integral dos recursos da Uneb;

- Construção do Restaurante Universitário;

- Continuar atendimento comunitário pelo DCV;

- Segurança patrimonial  e do campus com iluminação pública e recontratação dos seguranças demitidos;

- Transparência e prestação de contas;

- Exigir política efetiva  de permanência e Assistência Estudantil;

- Reabertura imediata do Edital do Programa Mais Futuro, com pagamento de bolsas no período de férias;

- Melhoria da acessibilidade no campus;

- Abertura de concurso público para contratação de professores e técnicos;

- Construção da creche do campus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments