EXCLUSIVO | Prisão de bandido ligado ao tráfico de drogas expõe a face criminosa no transporte clandestino em Vitória da Conquista



Como num quebra-cabeças, onde as peças se encaixam perfeitamente, aos poucos a face criminosa das milícias, do tráfico de drogas e dos ataques a ônibus urbanos vai se revelando, tendo como pano de fundo a ação desordenada do transporte clandestino em Vitória da Conquista, com mais de mil veículos sem fiscalização.


A peça que faltava se encaixou após a Cipe Sudoeste (Caesg) prender em flagrante, nessa quinta-feira, 23, Valmar Silva de Jesus, responsável pela cobrança semanal aos vanzeiros que realizam o serviço clandestino em linhas que atendem o bairro Vila Eliza.

Livres da fiscalização da Prefeitura, apesar de liminar judicial determinando apreensão desses veículos (LEIA AQUI), os vanzeiros encontraram um "inimigo" perigoso, que pode atacar motoristas e passageiros caso não recebam o pagamento ilegal do "pedágio".

REPORTAGEM RELACIONADA
INSEGURANÇA E CAOS | Aplicativos ilegais de mototáxi ampliam caos e insegurança nas ruas de Vitória da Conquista

De acordo com a polícia, a denúncia foi realizada pelos próprios vanzeiros que atuam no transporte clandestino, conduzindo passageiros entre o centro ao bairro e vice-versa. Segundo os motoristas, eles estariam sendo ameaçados e coagidos por Valmar, a mando de traficantes e milicianos, para que cada motorista pagasse "pedágio" semanal de R$ 50 para rodar livremente no bairro.

No depoimento do preso, a relação criminosa se confirmou. Segundo Valmar, a versão contada pelos vanzeiros é verídica e que a cobrança era realizada em parceria com um elemento apelidado de “Dandan” e a serviço de “Rafa”, principal traficante da área. Valmar foi apresentado na delegacia e autuado em flagrante pelo crime de extorsão.

ANTECEDENTES

Essa não foi a primeira prisão de bandido ligado à milícia que extorque vanzeiros. Em 17 de janeiro deste ano, a Rondesp prendeu um perigoso bandido que, em nome do tráfico de drogas e de milicianos, fazia a cobrança de propinas a vanzeiros para que eles pudessem circular livremente pelas rotas dominadas pelos chefes de facções em Vitória da Conquista. 


De acordo com o registro da prisão, quando os policiais se aproximaram do elemento, ele tentou fugir, carregando consigo uma bolsa. Não teve êxito. Alcançado e rendido pelos rondespianos, "Gilmar" - cuja identidade foi mantida em sigilo pela polícia, entregou a bolsa, que continha diversas cédulas de R$100,00 e R$50,00, totalizando cerca de R$4 mil.

Ao ter o nome consultado no CNJ ( Conselho Nacional de Justiça), a polícia constatou que ele mandado de prisão em aberto. Ele teria dito que o valor era proveniente das cobranças aos vanzeiros. Era revelado, assim, a ponta do "iceberg" por trás do esquema criminoso que alimenta os comércio de transporte clandestino em Conquista e que já havia sido relevado em reportagens do Sudoeste Digital.

INVESTIGAÇÃO JORNALÍSTICA | Tráfico domina Miro Cairo e controla vans e venda de gás de cozinha

Ainda segundo a polícia, além de cobrar propina dos vanzeiros, Gilmar também é apontado como um dos suspeitos de ter ateado fogo em um ônibus da Viação Cidade Verde, dia 10 de novembro do ano passado, no conjunto Santa Mônica, próximo à fábrica de calçados Dass.

INVESTIGAÇÃO (PARTE 1) | Tráfico ordenou ataque a ônibus em retaliação às apreensões de vans

BARRIL DE PÓLVORA

Uma fonte ouvida pela reportagem investigativa do Sudoeste Digital, mantida em anonimato por questões de segurança, voltou a se manifestar esta semana após ter feito revelações bombásticas em (RELEMBRE).

Segundo a fonte, se o serviço de inteligência da polícia não entrar logo em ação, identificando os líderes das milícias, novas mortes podem acontecer por causa do transporte clandestino, a exemplo das duas relacionadas à atividade, no Miro Cairo.

A primeira foi do vanzeiro José Aldo Souza Oliveira, assassinado a tiros em 29 de dezembro do ano passado, na Avenida Principal do Miro Cairo e a segunda,vitimou Diego Nascimento Filho, 34 anos, alvejado com três tiros por um indivíduo que estava a bordo de uma moto em frente ao bar, no mesmo bairro, em 2 de março . (RELEMBRE).

"É muita gente envolvida, é muito dinheiro em jogo. Se a Justiça quebrar sigilo, Conquista vai ser notícia nacional. A sujeira envolve gente grande, desde funcionário público a políticos e pessoas ligadas a eles", garantiu.

As investigações continuam, mas as extorsões prosseguem, com o agravante de retaliações dos milicianos e traficantes pela delação dos vanzeiros.

Desde que a atividade clandestina ganhou corpo, com a falência da Viação Vitória, a cobrança de "pedágio"pelo tráfico se tornou prática comum todos os bairros periféricos de Conquista.


Ano passado, por exemplo, os bandidos atacaram uma van a tiros, após o motorista supostamente rejeitar o pagamento da taxa semanal.

Os bandidos também atearam fogo em quatro ônibus, nos últimos meses - para deixar o caminho livre para as vans protegidas por eles e, recentemente, deflagaram tiros em um ônibus (todos da Viação Cidade verde), no Bairro Miro Miro, dominado pelo tráfico e pela milicia.


Os bandidos também levam terror aos passageiros dos ônibus. Os fatos mais recentes resultaram na prisão do ladrão de Ônibus, Lenilton Vargens Chaves (imagem abaixo), e no ataque, há três meses, de dois homens armados, que renderam passageiros de um ônibus da fabrica Dass na altura do bairro Miro Cairo.

O coletivo havia saído da fabrica de calçados e levava funcionários para casa,quando foi abordado por dois assaltantes armados que entraram no ônibus e anunciaram o roubo. Rapidamente os criminosos recolheram bolsas com documentos, cartões bancários, celulares.

TIROS - Sobre o ataque mais recente, um dos tiros, deflagrados na noite do dia 20 deste mês, atravessou de um lado ao outro do veículo, próximo ao cobrador, no espaço destinado a passageiros.

Os passageiros tinham acabado de desembarcar e o ônibus seguia viagem. Pela altura do tiro, ele poderia ter atingido a cabeça, caso ainda houvesse pessoas no veículo. A ocorrência foi registrada na delegacia de Polícia de Vitória da Conquista e na 78ª Companhia Independente da Polícia Militar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Comments