AGRO | Tecnologia de produção ao alcance de todos

Entre os dias 8 e 10 de novembro, Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, reunirá o que há mais de moderno em inovação para o agronegócio, durante a e-Agro Bahia, evento inédito no estado voltado para o desenvolvimento tecnológico do setor e que será realizado no Parque de Exposições Teopompo de Almeida.

Na programação do evento estão previstos fóruns, palestras, workshops, mesas redondas e reuniões com representantes de entidades do setor, sobretudo as ligadas à cafeicultura, principal cultura da região do Planalto da Conquista, e à pecuária, que reúne grandes criadores em torno de Itapetinga, cidade vizinha.
Com entrada gratuita, a e-Agro pretende reunir cerca de 5 mil pessoas ligadas ao agronegócio, que é responsável por 23,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado, segundo a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI). Só no primeiro semestre deste ano, o PIB do agro na Bahia foi de R$ 33,3 bilhões.
A organização do evento é do Sistema Faeb/Senar, Sebrae-BA e Cooperativa Mista Agropecuária Conquistense (Coopmac), dentre outros parceiros, como a Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Banco do Nordeste (BNB) e Desenbahia, banco de fomento do Estado da Bahia.
Ao comentar sobre o evento, o presidente do Sistema Faeb/Senar, Humberto Miranda, disse que “vamos levar as tecnologias e inovações existentes no mundo para o Parque de Vitória da Conquista, reunindo em um mesmo espaço empresas do Brasil e do exterior, máquinas de última geração e tecnologias adaptáveis para a nossa realidade. Contaremos, ainda, com uma vasta programação de palestras e mesas redondas para debater os temas ligados ao setor”.
Já o diretor técnico do Sebrae-BA, Franklin Santos afirmou que o evento é uma oportunidade para que os produtores rurais possam se atualizar e ter acesso a conhecimento e novas tecnologias disponíveis no mercado. “Produtividade deve estar associada à inovação, e sabemos que ferramentas bem aplicadas podem trazer resultados extremamente positivos aos produtores rurais, como verificamos nas diversas ações que realizamos pelo estado”, declarou.
Maratona
Como adiantado por Miranda, a e-Agro busca apresentar ao produtor rural, do pequeno ao grande, o que há de mais moderno no setor agropecuário e fomentar a geração de negócios durante a feira – por se tratar do primeiro evento, não se tem uma expectativa mínima sobre a quantidade de geração de negócios.
Um das grandes atrações do evento será o Hackathon – Cadeia Produtiva Pecuária de Corte, maratona tecnológica de 52 horas que iniciará na noite de sexta e finalizará na noite de domingo. Os participantes da maratona terão de desenvolver uma tecnologia voltada para solucionar gargalos do setor da pecuária de corte na região. 
“Hoje há muitos gargalos no setor da pecuária de corte na Bahia, sendo os principais deles o acesso à assistência técnica rural pública, que praticamente não existe; baixa produtividade dos animais; acesso a energia de qualidade para poder refrigerar o leite, melhores estradas e conexão de internet”, disse o médico veterinário Luiz Sande, assessor técnico da FAEB e um dos coordenadores da maratona. Serão R$ 5.000 para as melhores ideias desenvolvidas durante a maratona. A equipe que ficar em primeiro lugar vai levar R$ 3 mil reais, o segundo R$ 1,5 mil e o terceiro R$ 500.
Superar conflitos
Para Sande, a feira também é importante para aproximar mais as novas tecnologias tanto o homem do campo de gerações passadas, como das atuais gerações. Pois, segundo ele, muitas vezes o problema do desenvolvimento da propriedade reside na superação de formas arcaicas de produção e manejo do campo. “Existe um choque de gerações, sobretudo quando se vai fazer assistência técnica. O mais antigo se prende muito a técnicas usadas pelo pai ou avô dele, e muitas vezes acaba não aceitando novos métodos de manejo e produção. Então, a feira busca mostrar para essas pessoas que é possível e necessário fazer inovações”, comentou.
E inovar, diz  Sande, não significa grande investimentos. Existe sim tecnologias que possuem preços elevados, mas, sobretudo para regiões áridas, há formas de se utilizar melhor o que a natureza oferece para evitar perdas na produção. Uma das inovações recentes é o uso da palma para alimentação do gado durante a seca, quando a comida natural diminui e o gado perde produtividade do leite por falta de nutrição. Com a palma sendo usada na época da seca como alimento para o gado se tem a garantia de que a produção será mantida de forma perene durante o ano.
“A palma é algo que está sendo muito difundido na região do semiárido baiano. Ela acumula água, isso favorece a ter menos consumo de água de açude e poços para dar aos animais, e em tempos de seca saber usar de forma mais racional a água e o pasto faz um grande diferencial ao final do ano”, disse.
Superar mitos
Reflexo de um setor que exige produzir mais em menos tempo e espaço, com melhor qualidade e redução de custos, a e-Agro quer quebrar um mito entre os produtores rurais – sobretudo os mais antigos – de que o acesso à tecnologia é algo que requer grandes investimentos, sendo, por tanto, algo restrito a poucos. E uma das principais novidades a serem apresentadas na e-Agro é uma técnica de purificação de água não-potável de cisternas por meio da luz solar, sem o uso de produtos químicos ou descartáveis. A novidade foi criada pela baiana de Salvador Anna Luísa Beserra, de apenas 21 anos. Ela será, inclusive, uma das palestrantes do evento.
Por conta do seu trabalho, batizado de Aqualuz, a jovem foi a primeira brasileira a vencer o prêmio ambiental Jovens Campeões da Terra, concedido pela Organização das Nações Unidas para jovens entre 18 e 30 anos. A premiação foi em 26 de setembro. Atualmente, o Aqualuz está em fase de testes no semiárido do Nordeste e garante água potável a 265 pessoas.
A tecnologia, conta Anna, começou a ser desenvolvida quando ela tinha 15 anos, após concorrer a uma bolsa para jovens cientistas oferecida pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do governo federal. Ela não ganhou, mas conta que já estava tão apaixonada que continuou desenvolvendo a ideia. Anna classifica a tecnologia como “muito fácil e viável para regiões de semiárido”.
Segundo Anna, as pessoas do semiárido podem se beneficiar muito desse método de purificação, sobretudo porque ele viabiliza o consumo de água da chuva, de poços e cisternas.
Quanto ao valor do Aqualuz, Anna garante que é acessível, mas prefere não informar porque depende de outras variáveis, como local de instalação, treinamento das pessoas e tempo de assistência, que pode variar de três meses a um ano.
Interação com o público
A e-Agro ainda permitirá interação entre o público e as tecnologias apresentadas durante o evento, como os óculos de realidade virtual, que permitem ao participante a sensação de estar dentro de uma fazenda através de um vídeo 360º.
Um grande telão interativo de realidade aumentada também estará no parque, colocando o setor agro dentro de um dos pavilhões da feira. E tem muitas novidades, como um túnel do tempo contando um pouco da história do agro na Bahia.
Além disso, haverá uma grande praça de alimentação com restaurantes, food truck e outras atrações para toda a família. A feira será dividida em blocos temáticos para otimizar a participação do público. No Espaço do Conhecimento acontecerão palestras, capacitações, cursos para utilização de drones no campo e oficinas.
No Espaço Sustentabilidade serão realizadas demonstrações do uso de energias renováveis, como eólica, solar, hídrica, biogás e biomassa, e as oportunidades que podem ser geradas no campo, garantindo economia, sustentabilidade, independência e segurança.
O Espaço Tecnológico – Inovação e Transformação Digital será o local de apresentar tudo o que há de mais moderno para o produtor rural: startups do agro, tecnologias mobile e aplicativos, aceleradoras de agritechs e o espaço da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).
Na Unidade de Demonstração de Tecnologias Aplicadas, produtores rurais terão acesso às novidades que já são adotadas nos mais modernos sistemas produtivos para gestão hídrica, pecuária e agricultura de precisão.
A programação do evento pode ser acessada pela Loja Virtual Sebrae: bit.ly/e-agro. Outras informações devem ser obtidas pela Central de Relacionamento, no telefone 0800 570 0800. 
E-AGRO TERÁ EDIÇÃO DO FÓRUM DE INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE
Durante a e-Agro, temas de grande relevância para o setor serão debatidos em palestras, workshops e fóruns com autoridades ligadas ao setor público e privado, bem como a entidades de classe. No sábado (9), a partir das 14h30, um dos destaques será o I Fórum de Inovação e Sustentabilidade para a Competitividade – edição Vitória da Conquista, que será aberto pelo diretor da WWI-Worldwatch Institute no Brasil, Eduardo Athayde.
O tema do diretor do WWI Brasil, entidade internacional sediada em Washington (EUA) que busca promover ações de desenvolvimento econômico com sustentabilidade, será “e-Agro na eco-nomia digital”.
O I Fórum de Inovação e Sustentabilidade para a Competitividade - edição Vitória da Conquista é uma realização do Ibama e WWI, com apoio editorial do Jornal CORREIO e apoio institucional da FAEB/SENAR.
No fórum também estarão o Superintendente da Bahia do Ibama, Rodrigo Alves, cuja fala será sobre “Desafios e Oportunidades”; e Matheus Ferreira, diretor de Inovação do Sistema CNA/Senar, que apresentará o Senar AgroUp, uma plataforma de inovação do Sistema CNA/Senar. O AgroUp, explica Ferreira, é uma rede nacional de inovação para o agronegócio que está sendo executado em cinco estados brasileiros (Bahia, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Rondônia e Minas Gerais).
Em cada região, é desenvolvido um tipo de trabalho, com a reunião de demandas específicas, coletadas junto a diversos atores e parceiros, sobretudo ligados aos sindicatos rurais associados à Federação da Agricultura do Estado da Bahia (Faeb).
O AgroUp reúne dados sobre inteligência analítica, criativa e visão empreendedora para contribuir ativamente com a transformação tecnológica no campo, por meio da identificação das reais necessidades dos produtores rurais e da busca de soluções.
“A inovação tecnológica é considerada uma das melhores alternativas para dar suporte à expansão do agronegócio”, declarou Matheus Ferreira ao CORREIO. “Nesse contexto, os domínios do conhecimento e da informação passam a ser variáveis fundamentais na determinação do poder nas relações comerciais, já que os avanços científicos possibilitam incrementos nas mudanças tecnológicas”, completou.
O fórum contará ainda com a presença do agricultor Fabiano Borré, que na zona rural de Lençóis está construindo um hotel voltado para o turismo rural e onde cultiva uva especiais para produção de vinhos e também cafés do tipo gourmet. No evento, Fabiano Borré abordará o tema “Chapada Diamantina - Equilibrando propósitos para um legado sustentável”.
Logo depois dele, será a vez de a jovem pesquisadora Anna Luísa Beserra, vencedora do Prêmio Jovens Campeões da Terra da ONU. Ela apresentará o seu projeto Aqualuz, numa palestra com o tema “usando o sol para tratar à água”.
ABAF APRESENTA PROGRAMA AMBIENTE FLORESTAL SUSTENTÁVEL
Na sexta-feira (8), primeiro dia da e-Agro, um dos destaques será a palestra “Plantar para não faltar – uso múltiplo da madeira”, da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (Abaf).
A palestra será realizada às 15h pelo diretor executivo da entidade, Wilson Andrade. Na ocasião, Andrade vai divulgar o Programa Ambiente Florestal Sustentável (PAFS), voltado para educação ambiental em diversas comunidades rurais.
Dentre os temas abordados pelo programa, estão o Uso Múltiplo da Floresta Plantada; a Regulamentação Ambiental das Propriedades Rurais (Código Florestal/ CAR/ Cefir); a Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (iLPF)/Plano ABC; a Preservação dos Recursos Hídricos; a Prevenção e Controle de Incêndios Florestais; o Controle de Gado nas Áreas de Preservação; o Combate ao Carvão Ilegal; e o Programa Fitossanitário de Pragas.
“A divulgação de importantes tópicos para a diversificação e sustentabilidade da atividade agropecuária é um dos principais objetivos da Abaf. A Bahia ainda não produz (e processa) a madeira plantada suficiente para atender a demanda do estado e muito disso se dá pela falta de conhecimento sobre o setor”, afirmou Andrade. “Trabalhamos, inclusive, para a inclusão dos pequenos e médios produtores e processadores de madeira para uso múltiplo, visando o atendimento da demanda por móveis, peças e partes de madeira na Bahia - hoje atendida, na sua maior parte, por outros estados brasileiros; além de geração de energia”, completou.

PROGRAMAÇÃO
Fórum de Inovação e Sustentabilidade para a Competitividade (Fisc)

14:30   Eduardo Athayde - Diretor do WWI: e-Agro na “eco-nomia digital”
15:00  Rodrigo Alves - Superintendente da Bahia do Ibama: Desafios e Oportunidades
15:30   Matheus Ferreira - Diretor de Inovação do Sistema CNA/Senar: Senar AgroUp: A plataforma de inovação do Sistema CNA/Senar
16:00   Fabiano Borré - Produtor Rural: Chapada Diamantina - Equilibrando propósitos para um legado sustentável.
16:30   Anna Luísa Beserra - Vencedora do Prêmio Jovens Campeões da Terra da ONU: Aqualuz: usando o sol para tratar à água.
O I Fórum de Inovação e Sustentabilidade para a Competitividade - edição Vitória da Conquista é uma realização do Ibama e WWI.

Postar um comentário

0 Comentários