OPINIÃO | DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS: Prefeitura decreta contenção de gastos, mas renova com a Viação Rosa por R$2 milhões/mês

Resultado de imagem para viação rosa quebrado

Um dia após publicar um decreto determinando a contenção de gastos públicos, com base na Lei de Diretrizes Orçamentárias, que determina uma margem de gastos do município com base na sua receita, o prefeito Herzem Gusmão (MDB) renovou o contrato com a Viação Rosa, nessa terça-feira (26), até janeiro de 2020, por R$ 2 milhões mensais.

De acordo com a publicação sobre a contenção de despesas, "a diminuição nos gastos foi necessária porque os repasses do Governo Estadual e do Governo Federal para cobrir os programas criados por eles são insuficientes" e, "dessa forma, o município tem que arcar com o valor restante para garantir a manutenção de tais programas".

Por outro lado, a Prefeitura prefere operar um transporte público capenga, com contrato emergencial milionário no lote 1, abandonado pela falida Viação Vitória e descumprindo determinação legal, deixando mais de 1,2 mil clandestinos - entre vans, carros de passeio e aplicativos não regulamentados - invadirem espaços e dominarem a fiscalização.
Em entrevista ao Blog do Sena, o vereador Professor Cori criticou "o contrato oneroso que a Prefeitura de Vitória da Conquista tem com a Viação Rosa". O parlamentar afirmou que o sistema de transporte é ‘autossustentável’, não existindo a necessidade de manter essa forma de operação para o lote 1.

“A população está sendo lesada, parte do recurso que poderia ser investido na educação, na saúde, está sendo destinada para bancar a empresa rosa no lote 1, quando é um sistema autossustentável”, criticou Coriolano.

Postar um comentário

0 Comentários